Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Estas são as habilidades essenciais para avançar transformação digital durante (e após) pandemia
Home > Carreira

Estas são as habilidades essenciais para avançar transformação digital durante (e após) pandemia

Reavaliar as habilidades individuais da equipe pode potencializar a implementação da transformação da empresa

Da Redação

12/05/2020 às 16h00

Foto: Shutterstock

A desaceleração comercial das organizações durante a pandemia do novo coronavírus é uma oportunidade para as empresas reavaliarem as habilidades de transformação digital individual de cada membro da equipe de TI. Dessa forma, líderes devem verificar quais e como os profissionais de TI podem atuar para tornar esse processo mais eficaz. Um artigo do Wall Street Journal sugere como avaliar isso na prática.

Vinte e cinco anos depois de Nicholas Negroponte, fundador do MIT Media Lab, escrever no livro "Being Digital", que introduziu o conceito de transformação digital, o processo continua sendo uma “estratégia aspiracional” para a maioria das empresas, segundo Gary Beach, ex-Editor da CIO Magazine e autor de "The U.S. Technology Skills Gap".

Beach, que assina o artigo do WSJ, apresenta os passos para identificar as habilidades específicas da equipe de TI no processo de transformação digital impactado pela Covid-19.

Capital Humano

Um relatório da McKinsey & Company 2018 constatou que, embora 80% das empresas tenham tentado um projeto de transformação digital, menos de um terço conseguiu melhorar o desempenho da empresa. Outro relatório, o Chaos Report de 2019 do The Standish Group, descobriu que 84% dos projetos de tecnologia "falham parcial ou completamente". Enquanto isso, o Índice de transformação digital da Dell Technologies afirma que apenas cinco por cento das empresas alcançaram o status de “líder digital”.

CIO2503

E-book por:

Com esse tipo de histórico, o pensamento de implementar uma iniciativa de transformação digital durante a pandemia de Covid-19 parece ainda mais assustador. Uma razão é menos capital fiscal, diz Beach. A IDC, em 11 de março, disse que as perspectivas de crescimento anual nos gastos globais em TI podem cair para 1%, ou cerca de US$ 2,3 trilhões, abaixo das previsões de fevereiro de mais de 4%.

A outra razão é o interesse silencioso na aquisição de capital humano. As empresas publicaram 370.000 empregos principais de TI em janeiro de 2020, de acordo com a associação comercial do setor CompTIA. Um mês depois, esse número passou para 40.000 novos postos de trabalho.

Matriz de habilidades de transformação digital

Para alinhar a pausa comercial imposta pela Covid-19 às habilidades de transformação digital dos profissionais de TI, Beach recomenda traçar o eixo Y da matriz de transformação digital, em uma escala de zero a 10. Isso deverá representar o que Thomas Lynch, Diretor de Informações da Universidade de Suffolk, em Boston, chama de "capacidade cultural" de um funcionário para se comunicar, colaborar, pensar criticamente e ser criativo. No eixo X, também na escala de zero a 10, identifique a “capacidade técnica” de um indivíduo para trabalhar de forma competente com tecnologias discretas necessárias no projeto de transformação digital, explica Beach.

Ele explica que os funcionários com coordenadas do conjunto de habilidades que os colocam no quadrante superior direito - fortes habilidades de capacidade técnica e cultural - são prioridades vitais de retenção. Trabalhadores no quadrante superior esquerdo - fortes habilidades de capacidade cultural, mas fracas habilidades técnicas - devem ser empregados em funções voltadas para clientes e funcionários. Indivíduos cujas habilidades os alinham ao quadrante inferior direito - forte capacidade técnica, mas fracas habilidades culturais - devem ser designados para revisar a tecnologia emergente e criar plataformas internas de transformação digital. Aqueles que se enquadram no quadrante inferior esquerdo - fracas habilidades de capacidade técnica e cultural - são candidatos à redução de força, segundo o artigo de Beach no WSJ.

O autor cita novamente Negroponte para traçar o cenário das organizações em um mundo pós Covid-19: "Muitas empresas estão tentando pensar em como o mundo será diferente depois. A única crença comum é que não será a mesma. A pandemia trouxe uma apreciação pela tecnologia, em geral, e pela Internet, em particular”.

Ainda nesse sentido, ele afirma que a tecnologia ajudará as organizações a apontar esse novo caminho. Para isso, cita também Eric Schmidt, ex-Diretor Executivo do Google: "Todo americano deveria estar perguntando onde queremos que o país esteja quando a pandemia da Covid-19 terminar. Como as tecnologias emergentes podem nos impulsionar para um futuro melhor?"

Para garantir um "futuro melhor" para projetos de transformação digital, os diretores de tecnologia também devem fazer e responder a essas perguntas. Comece agora a reconfigurar sua equipe para priorizar as habilidades de transformação digital, finaliza Beach.

Fonte: CIO Journal

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15