Home > Tendências

Empresas estão migrando apps de volta para a infraestrutura local

Estudo da Nutanix mostra que 73% das organizações estão adotando modelo de nuvem híbrido para atender requisitos de segurança e flexibilidade

carla

19/11/2019 às 13h00

Foto:

A Nutanix anunciou os resultados da sua segunda pesquisa e relatório globais do Enterprise Cloud Index, que tem como objetivo mensurar o progresso das empresas na adoção de dados em nuvens privadas, híbridas e públicas. O relatório mostrou que as organizações pretendem transferir os investimentos para arquiteturas de nuvem híbrida, com planejamento de implantação para os próximos cinco anos.

Para o estudo, foram entrevistados 2.650 tomadores de decisão de TI em 24 países. Eles falaram sobre onde estão sendo executadas as suas aplicações de negócios, onde pretendem executá-las no futuro, quais os desafios na nuvem e como as suas iniciativas de nuvem estão posicionadas em relação aos outros projetos de TI.

Entre os resultados, constatou-se que 85% selecionaram a nuvem híbrida como seu modelo operacional ideal de TI. Segundo os pesquisadores, as empresas estão percebendo que existem diversas considerações a se levar em conta ao selecionar o melhor modelo de nuvem para os negócios. Dessa forma, a criação e execução de uma estratégia na nuvem acabou se tornando um desafio multidimensional, que vai além da economia de investimento. Hoje, as estratégias variam de acordo com os casos de aplicação.

“À medida que as organizações continuam a lidar com iniciativas complexas de transformação digital, a flexibilidade e a segurança são componentes críticos para permitir a adoção contínua e confiável da nuvem”, explica Wendy M. Pfeiffer, CIO da Nutanix. Em um cenário de mudanças constantes, as empresas devem avaliar a aplicação dos serviços apropriados, bem como a faixa de custos. Além disso, a flexibilidade tem se demonstrado como um fator essencial, o que é oferecido pela nuvem híbrida.

“O mercado enterprise progrediu na compreensão e na adoção da nuvem híbrida, mas ainda há trabalho a ser feito quando se trata de colher todos os seus benefícios. Nos próximos anos, veremos as empresas repensando a melhor forma de utilizar a nuvem híbrida, incluindo a contratação de equipes de TI com habilidades de computação híbrida e a sua requalificação para acompanhar as tecnologias emergentes”, acrescenta Pfeiffer.

Sobre o assunto, vale destacar que, segundo os pesquisadores, 73% dos entrevistados afirmaram que estão removendo algumas aplicações da nuvem pública novamente para a infraestrutura local. Isso demonstra a escolha das empresas pela flexibilidade da nuvem híbrida. Outro fator de impacto para as estratégias é a segurança - e os profissionais de TI consideram a nuvem híbrida como a mais segura.

“A computação em nuvem tornou-se uma parte integrante da estratégia de negócios, mas introduziu vários desafios em paralelo”, declara Ashish Nadkarni, vice-presidente do Grupo de Sistemas de Infraestrutura, Plataformas e Tecnologias do IDC. “Isso inclui preocupações com segurança, o desempenho das aplicações e o alto custo. Como demonstra o relatório Enterprise Cloud Index 2019, a nuvem híbrida continuará sendo a melhor opção para as empresas, permitindo que elas atendam com segurança aos requisitos de modernização e agilidade para cargas de trabalho.”

Apesar das considerações, 23,5% das empresas participantes da pesquisa afirmaram que não estão utilizando qualquer tecnologia em nuvem. No entanto, o número de organizações sem as soluções deve cair para 6,5% em um ano e para 3% em dois anos.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail