Home > Tendências

Em 2019, Digital Twins vão revolucionar ativos e serviços financeiros

Tecnologia está dentro das 10 maiores tendências para os próximos meses

Bruno Tinoco *

24/12/2018 às 12h25

Foto: Shutterstock

Talvez um dos assuntos mais falados dentro das empresas na atualidade seja a digitalização de seus negócios, ou simplesmente, a Transformação Digital. Com isso, buscam atender e se antecipar às demandas do mercado, o que implica na exploração expansiva do uso de softwares para identificar, analisar e prever situações adversas que impactem o negócio do seu produto.

Novos modelos em uma era dirigida a dados
Se observarmos hoje a redução dos custos da produção de componentes eletrônicos e sua proliferação de forma ubíqua e interconectada, o volume de dados gerados por diversos dispositivos e sensores espalhados por todo lugar e ainda redução dos custos de armazenamento e processamento em larga escala, podemos dizer que o potencial de realizar essa Transformação Digital chegou em níveis nunca antes imaginado.

Dentro desse contexto surge a tecnologia chamada Digital Twins ou Gêmeos Digitais. Como o próprio nome diz, é a virtualização de um produto real dentro do mundo digital, uma cópia de todas as características de um produto físico para um modelo representado via software.

Exemplo de virtualização de um ativo real
Dentro do meio industrial, imagine um componente como uma turbina de um avião, reproduzido dentro de um software de computador com as mesmas dimensões e características, projetado em um modelo 3D com a mesma dinâmica e comportamento do componente físico real.

Agora, imagine que esse componente virtual está operando ao mesmo tempo, de forma simulada, dentro dos mesmos parâmetros de configuração e circunstância do componente real, de maneira que essa operação seja alimentada pela coleta de dados de sensores de seu gêmeo real. Temos uma réplica idêntica, virtual e viva do componente concreto que pode ser manipulada em quaisquer circunstâncias, prevendo falhas em sua operação a partir dos dados reais.

Uma potencial falha pode ser identificada previamente pelo resultado de uma simulação antecipada do gêmeo virtual. Essa detecção poderia gerar uma ação automática de notificação para a fábrica de turbinas, agendando a manutenção daquela turbina já com detalhes e dados suficientes para que, além de corrigir o defeito, gerasse uma solicitação de correção no projeto original daquele modelo de turbina.

Essa mesma ideia pode ser aplicada a qualquer equipamento físico e, em grande escala, até para que uma hierarquia de componentes de uma fábrica inteira seja virtualizada e simulada de forma integrada e contextualizada. O impacto é gigantesco na indústria de produtos ao tornar possível antecipar problemas reais com uma precisão muito maior do que em modelos passados e por influenciar outras indústrias como a de serviços financeiros.

Digital Twins em Serviços Financeiros
A aplicação da tecnologia de Digital Twins dentro da indústria de Seguros poderia, por exemplo, permitir que as condições de ativos e componentes segurados sejam coletados e utilizados para criar gêmeos que identifiquem potenciais sinistros por meio da análise do desgaste e condições nos quais eles são expostos. Isso possibilitaria a criação de modelos personalizados de seguros e melhor gestão de risco dos ativos.

Um produto real poderia possuir diversos gêmeos que, expostos em diferentes condições, com diferentes configurações e em um ritmo de operação acelerado pode predizer a melhor configuração de performance.

Dentro desse cenário, podemos perceber que a coleta de dados de sensores e o uso desses dados em conjunto com modelos avançados de análise e predição possuem grande relevância. Para isso, um alto grau de automação de desenvolvimento de software e dos processos operacionais são necessários na exploração dessa tecnologia.

Essa solução reforça o potencial das novas oportunidades de inovação para que sejam experimentadas e combinadas com outras tecnologias como internet das coisas (IoT), inteligência artificial e serviços de computação em nuvem.

Projeção de Mercado
De acordo com pesquisas do Gartner, a tecnologia de Digital Twins está dentro das 10 maiores tendências para os próximos. Estima-se que mais de 21 bilhões de dispositivos estarão ligados a digital twins até 2020 o que resultará em bilhões de dólares em economia na manutenção e operação (MRO).

No curto prazo essa tendência irá ajudar na eficiência operacional na gestão de ativos, porém existe um potencial de aplicação dessa tecnologia em outras áreas que poderão conectar cada aspecto do nosso cotidiano com uma representação virtual que será capaz de coletar dados dinamicamente e realizar simulações avançadas com a ajuda da Inteligência Artificial. Isso poderá impactar desde o planejamento da área da saúde, do marketing até o planejamento de cidades.

Avaliação antes da adoção
Existe uma oportunidade aberta principalmente para os CIOs que desejam buscar inovação com o uso de IoT em seus negócios. Eles devem avaliar o real benefício que a aplicação da tecnologia de Digital Twins pode trazer ao negócio de sua empresa antes de investir e verificar o quão pronto está a empresa para adoção de soluções construídas usando dispositivos baseado na IoT. A simplicidade também não pode ser ignorada quando apenas uma solução construída utilizando indicadores de sensores podem resolver problemas críticos de performance.

Mesmo assim, no longo prazo novos modelos de negócios surgirão e serão facilitados pelo uso de Digital Twins como por exemplo a venda de dados de performance de ativos físicos ou a cobrança com base em dados de performance gerados pelos objetos.

 

(*) Bruno Tinoco é arquiteto de Soluções Sênior da GFT Brasil

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail