Home > Gestão

É possível lucrar com dados gratuitos e subutilizados?

Ativos de dados internos negligenciados, bem como informações livremente disponíveis da web e do setor público, podem o que sua empresa

Martin De Saulles, da CIO (EUA)

27/04/2019 às 9h36

Foto: Shutterstock

Os dados são acertadamente vistos como um ativo valioso que as empresas devem proteger com cuidado. Ter acesso a conjuntos de dados exclusivos e possuir a capacidade de usar técnicas avançadas de análise para processá-los pode separar os vencedores dos perdedores no século 21 – basta perguntar ao Google ou ao Facebook como isso pode ser lucrativo.

No entanto, muitas empresas estão sentadas em ativos de dados que não estão sendo utilizados de forma eficaz ou mesmo usados. Há também uma abundância de dados de livre acesso disponibilizados por órgãos públicos.

Recentemente, a McKinsey & Co. estimou que as operadoras de telecomunicações poderiam gerar receitas incrementais de 5% a 15%, além de reduzir os custos em 15% a 35%, por meio do melhor uso dos ativos de dados existentes.

Nos EUA, estima-se que mais de US$ 220 bilhões tenham sido gerados por empresas que dependem de dados coletados e disponibilizados gratuitamente por agências governamentais e outros órgãos públicos. Dentro da UE, a legislação foi aprovada para proporcionar aos Estados membros maior acesso à informação pública para reutilização comercial pelo setor privado. O valor econômico de disponibilizar esses dados gratuitamente foi de 52 bilhões de euros em 2018, aumentando para 194 bilhões de euros até 2030.

Escondendo-se em plena vista

Por meio da análise de arquivos e documentos internos e da aplicação de um “assistente digital” para responder a consultas comuns de clientes e funcionários, a firma de advocacia Fenwick e West estima que economizou quase US$ 200 mil em 2018.

À medida que software de aprendizado e análise de máquina é aplicado a dados e registros gerados dentro de uma organização a partir de CRM, ERP e outros processos, ele abre uma grande variedade de possibilidades para melhorias operacionais.

Um dos principais desafios para CIOs e CDOs é conseguir extrair insights acionáveis dos dados. Como recentemente observou Doug Laney, analista de VP do Gartner, “dados e análises se tornarão a peça central da estratégia, foco e investimento da empresa.”

Valor de raspagem da web

Com mais de 2 bilhões de websites atualmente on-line, nunca houve tantas oportunidades para as empresas encontrarem dados potencialmente valiosos. No entanto, identificar os sites certos para investigar e extrair os dados necessários pode ser difícil. As soluções de web scraping existem desde o surgimento da web, mas agora atingem um nível de sofisticação que permite que o valor real seja extraído quase em tempo real.

Claro, existem limites legais para o que pode ser raspado e como os dados podem ser usados, mas pode ser um processo que sua empresa deve considerar. Se você quiser saber o que está sendo dito sobre sua empresa on-line, quais produtos seus concorrentes estão oferecendo e os preços que estão cobrando, ou como as tendências emergentes da moda e consumo podem afetar seus negócios, uma solução de extração de dados da Web pode ser a resposta. Empresas como a import.io, com sede na Califórnia, oferecem serviços de extração de dados da Web pública, que podem ser integrados por meio de APIs aos fluxos de trabalho de seus clientes.

Dados públicos, lucro privado

Aludindo à natureza sem rivalidade da informação, Thomas Jefferson, terceiro presidente dos Estados Unidos e primeiro examinador de patentes declarou: “Quem recebe uma ideia de mim, recebe instrução sem diminuir a minha, assim como quem acende sua vela na minha, recebe luz sem me deixar no escuro".

Ao contrário de muitos outros ativos que, quando usados, não estão mais disponíveis para outros se beneficiarem, os dados podem ser reutilizados por vários jogadores para várias finalidades. Os governos nacionais e locais estão despertando para essa característica no contexto dos dados que geram, e do valor que têm para as empresas e os indivíduos.

Nos EUA, o site da data.gov oferece mais de 200.000 conjuntos de dados para reutilização por qualquer indivíduo ou empresa, enquanto o equivalente no Reino Unido fornece mais de 40 mil conjuntos. A maioria desses dados pode ser usada em ofertas de dados comerciais de terceiros e um conjunto crescente e dinâmico de empresas está construindo negócios em torno dele. De acordo com um relatório recente da Deloitte, as empresas estão usando dados meteorológicos públicos para prever padrões de vendas sazonais, mapeando dados para melhorar a logística e as imagens de satélite para estimar o tráfego de varejo e as vendas.

As lições a serem aprendidas aqui são que o uso inteligente de dados e análises não é apenas para corporações maiores que têm acesso a grandes conjuntos de dados internos. Você pode descobrir que sua organização já possui dados valiosos localizados em silos que precisam ser liberados, ou que pode acessar os dados de que precisa por meio de web scraping, corretores de dados ou repositórios do setor público.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail