Home > Notícias

Do aço aos smartphones, conheça as novas fábricas do futuro

Eles são líderes nas uso das tecnologias que caracterizam a Quarta Revolução Industrial, segundo a McKinsey e o Fórum Econômico Mundial

Da Redação

03/02/2019 às 17h18

Foto: Shutterstock

O World Economic Forum, em colaboração com a McKinsey and Company, identificou 16 “Manufacturing Lighthouses”, locais de produção que são líderes mundiais na adoção bem-sucedida e integração das tecnologias de ponta da Quarta Revolução Industrial.  Sete deles foram apresentados ao mundo no início de janeiro, somando-se aos outros 9 revelados em 2018. Todos foram selecionados de uma lista inicial de 1 mil fabricantes com base em sua implementação bem-sucedida das tecnologias da Quarta Revolução Industrial de maneiras que causaram impacto financeiro e operacional.

O objetivo da WEF e da McKinsey é ajudar a superar os desafios práticos enfrentados pelas indústrias em economias avançadas e emergentes ao atualizar a tecnologia para o modelo de Indústria 4.0. Trabalhos anteriores do Fórum identificaram que mais de 70% das empresas que investem em tecnologias, como Big Data e Analytics, Inteligência Artificial (IA) ou impressão 3D, não conseguem ir além da fase piloto. Em resposta a isso, todos os Manufacturing Lighthouses concordaram em abrir suas portas e compartilhar seus conhecimentos com outras empresas de manufatura.

As novas empresas representam uma variedade de indústrias e localizações geográficas, com quatro fábricas localizadas na Europa, duas na China e uma no Oriente Médio. A lista também contém uma empresa de médio porte, a italiana Rold.

“Em vez de substituir os operadores por máquinas, essas fábricas estão transformando o trabalho para torná-lo menos repetitivo, mais interessante, diversificado e produtivo. A tecnologia, implantada com sabedoria no sistema de produção, pode criar um mundo melhor e mais limpo”, avalia Helena Leurent, chefe da Iniciativa do Sistema de Produção do Futuro da Produção no Fórum Econômico Mundial.

Veja a seguir a lista:

BMW Group (Regensburg Plant, Alemanha)
Essa fábrica de automóveis fabricou aproximadamente 320 mil veículos em 2018. Usando a plataforma customizada BMW Internet of Things, ela obteve redução significativa nos custos de logística e 5% de redução nos problemas de qualidade.

Essa fábrica desenvolve compressores para refrigeradores, unidades de ar-condicionado e outros produtos. Utilizando seu sistema completo de rastreabilidade digital e ferramentas digitais, como sensores inteligentes, inspeção visual e sistema de monitoramento automático para melhorar o controle de qualidade, a fábrica aprimorou a produtividade do trabalho em 30% e diminuiu as reclamações de clientes em 57% em dois anos.

Foxconn (Shenzhen, China)
A fábrica, especializada em componentes para smartphones e outros equipamentos elétricos, possui um processo de produção totalmente automatizado com aprendizado de máquina e AI para otimização automática de equipamentos, auto-manutenção inteligente e monitoramento de status em tempo real na produção inteligente. Sua abordagem resultou em ganhos de eficiência de 30% e reduziu seu ciclo de estoque em 15%.

Rold (Cerro Maggiore, Itália)
O negócio de 240 funcionários faz mecanismos de bloqueio para máquinas de lavar louça. Como a única PME na rede da Lighthouse, a utilização das tecnologias da 4ª Revolução Industrial, como relógios inteligentes, prototipagem rápida e painéis digitais, ajudou a melhorar o volume de negócios entre 7% e 8%.

Sandvik Coromant (Gimo, Suécia
}{Essa produtora de ferramentas e soluções de corte criou um segmento digital por meio de seus processos de produção, o que aumentou significativamente a produtividade do trabalho. Um exemplo é a sua “mudança sem toque”, que permite que os padrões de projeto sejam alterados automaticamente, mesmo durante turnos não-tripulados.

Saudi Aramco Uthmaniyah Fábrica de Gás (Uthmaniyah, Arábia Saudita)
A fábrica de processamento de gás da gigante tornou-se líder em várias tecnologias da 4ª Revolução Industrial, incluindo o uso de soluções de AI, drones para inspecionar dutos e maquinário (reduzindo os tempos de inspeção em 90%) e tecnologias vestíveis, como capacetes digitais, que ajudam os trabalhadores a reduzir o tempo necessário para realizar inspeções e reparos.

Tata Steel (IJmuiden, Holanda)
Essa fábrica de 9 mil funcionários está colocando sua equipe em primeiro lugar, criando uma Academia de Análises Avançadas para ajudar os colaboradores a encontrar soluções para reduzir o desperdício e melhorar a qualidade e a confiabilidade dos processos de produção. O trabalho resultou em uma melhoria significativa nos resultados financeiros.

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail