Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Desenvolvedores sacrificam qualidade do software para cumprir prazos
Home > Notícias

Desenvolvedores sacrificam qualidade do software para cumprir prazos

Segundo relatório da Diffblue, prazos apertados e processos manuais de testes são alguns dos fatores que levam à baixa qualidade dos softwares

carla

02/01/2020 às 10h00

Foto:

Os desenvolvedores de tecnologia vêm enfrentando inúmeros desafios na criação de softwares. Além da expectativa das funcionalidades, correção de possíveis bugs e prazos curtos a serem cumpridos, um relatório da Diffblue mostra que todas essas questões impactam na qualidade do trabalho dos profissionais da área.

Para o estudo, a Diffblue entrevistou 300 desenvolvedores dos Estados Unidos e Reino Unido. Questionados sobre quais fatores contribuem para a baixa qualidade do software, 40% dos profissionais citaram cronogramas irrealistas e 40% atribuíram a culpa aos processos manuais de teste.

Leia mais na IT Trends

No geral, as empresas definem metas de cobertura de códigos de teste, exigindo que os desenvolvedores criem essas avaliações para garantir a qualidade do seu software. A metade de cobertura média do código é de 63%, segundo a pesquisa, mas 48% dos participantes admitiram considerar difícil alcançar esse objetivo.

CIO2503

E-book por:

A maioria dos desenvolvedores concordou que os testes de unidade melhoram a qualidade do software e aceleram a manutenção do código. Mas, para atingir suas metas de cobertura, eles devem gastar 35% do tempo criando testes e 20% apenas escrevendo os testes de unidade, tempo que poderia ser melhor gasto em outras tarefas de codificação.

Para atingir todas essas expectativas, 42% dos desenvolvedores reconhecem que deixaram de escrever testes de unidade para concentrar seu tempo e esforços no desenvolvimento de novos recursos. Além disso, dois terços dos desenvolvedores disseram que a configuração dos testes de unidade é uma tarefa secundária.

Ainda conforme o levantamento, 82% dos entrevistados disseram preferir dedicar tempo a atividades mais criativas, como o desenvolvimento de novos recursos. Questionados sobre quais tarefas eles gostariam de ver automatizadas, 73% citaram o rastreamento de bugs e 70% apontaram para a realização de testes de unidade.

"A criação de código de qualidade não deve depender de desenvolvedores escreverem centenas ou milhares de testes não intuitivos e desinteressantes. Quando tarefas robóticas podem ser atribuídas a máquinas, elas devem ser - não apenas para manter a força de trabalho mais satisfeita e eficaz, mas também para melhorar a qualidade do código que eles criam", concluiu o CEO da Diffblue, Mathew Lodge, em comunicado à imprensa. .

Tags
Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15