Home > Tendências

Dê boas-vindas às redes privadas 5G

O controle da segurança já está levando grandes empresas industriais a explorar redes sem fio 5G

Stacy Collett e Patrick Nelson, NetworkWorld/EUA

11/11/2018 às 9h58

5Gspeed_556702579.jpg
Foto:

A Chevron Corp. divulgou planos em setembro para adicionar manutenção preditiva em seus campos de petróleo e refinarias ao armar milhares de equipamentos com sensores até 2024, com o objetivo de prever quando os equipamentos em campo precisarão de manutenção.  

"A Chevron está sempre investigando novas tecnologias, incluindo a 5G, mas nossas necessidades atuais são totalmente atendidas com as tecnologias de rede 4G e outras", disse um porta-voz da Chevron para seus grupos de tecnologia e midstream. “À medida que a rede 5G amadurece e diminui em termos de custo, nós a consideraremos em áreas que exigem recursos de 5G”. 

É um refrão familiar de muitas empresas que não sabem muito sobre o 5G ou o que ele poderá fazer por elas. Quando a Ericsson pediu a executivos de 10 setores para apontar o que consideravam barreiras para adotar o 5G no final de 2017, 62% citaram que "é muito cedo para saber quais serão os benefícios reais". Outros motivos foram a falta de padrões e os desafios da integração de ponta a ponta.

Esses sentimentos não mudaram muito quase um ano depois, exceto pelo fato de que os padrões de produtos que permitem aos fabricantes começar a desenvolver aparelhos compatíveis, chipsets e equipamentos de rede foram finalizados em junho de 2018.

Há muita propaganda em torno da 5G e sua promessa de revolucionar carros sem motorista, realidade virtual e entretenimento, mas o que é menos claro é como ela possibilitará a inovação transformadora de negócios para as corporações.

Vejamos no setor automobilístico, por exemplo. Temos ouvido muito por aí que a Internet das Coisas Industrial (IoT) impulsionará a adoção de redes privadas de 5G nas fábricas 4.0. Na verdade, as montadoras de automóveis BMW, Daimler (que fabrica veículos Mercedes) e Volkswagen, estão "interessadas cada vez mais em operar redes 5G locais", escreveram Markus Fasse e Stephan Scheuer, em um recente artigo da Handelsblatt Global

Segundo eles, os fabricantes de automóveis estão preferindo cuidar de sua própria segurança de dados e confiabilidade de rede, sem depender de terceiros para protegê-los de espionagem industrial, ataques de hackers e desgaste de rede. "Se a rede quebrar, não podemos ficar esperando que um técnico apareça e conserte", disse um executivo da indústria automobilística a Fasse e Scheuer. 

Para a indústria automobilística, a fábrica em rede é a grande esperança de aumento de produtividade no médio prazo. A enorme quantidade de dados deve fornecer um controle sem precedentes sobre todos os aspectos da produção, permitindo que as fábricas mudem o foco rapidamente e com grande precisão, fazendo modelos diferentes simultaneamente nas mesmas linhas de montagem.

Planos para construir e manter redes privadas 5G já estão tomando forma. Em agosto, a Audi - uma subsidiária da Volkswagen - concordou com uma joint venture com a empresa sueca de telecomunicações Ericsson. Ele planeja estabelecer um laboratório de teste 5G em sua sede em Ingolstadt.

Para fornecedores de equipamentos de rede como a Ericsson ou a Nokia, as redes corporativas 5G podem ser um negócio muito lucrativo. "As empresas que querem operar suas próprias redes terão que construir uma infraestrutura completa", disse o chefe da Nokia, Thorsten Robrecht, a Fasse e Scheuer.

Segundo a Qualcomm,  há um mercado para o tipo de “restrições rigorosas de privacidade e segurança” que pode ser entregue ao usar redes 5G privadas ou “locais”, como às vezes são chamadas. As vantagens adicionais incluem a configuração da tecnologia de baixa latência para requisitos de desempenho precisos e em tempo real sob medida - porque não se depende de “interoperabilidade com redes públicas”.

O 5G será melhor em fábricas do que o LTE e o WiFi já implementados, porque tem melhor desempenho, diz a Qualcomm. O controle de movimento robótico, que pode precisar de atualização em milissegundos, é um exemplo no qual um melhor desempenho é necessário. 

Já hoje, o provisionamento interno do 5G vem permitindo que as empresas definam suas próprias implementações de segurança, em vez de confiar nas operadoras de redes móveis (MNOs). O modelo adotado também permite que dados sigilosos e confidenciais permaneçam locais.

Portanto, as redes 5G não apenas já oferecem uma rede mais confiável, como também uma rede extremamente segura para a IoT industrial, integrando a segurança na arquitetura de rede central. Instalações industriais estarão entre os principais usuários de redes privadas 5G.

5G

A corrida pelo espectro
Naturalmente, a grande questão é qual espectro será usado.

Inúmeras indústrias verticais têm se perguntado sobre a liberação de espectro privado, e o Grupo Volkswagen já está trabalhando com a fabricante de equipamentos de telecomunicações Ericsson em um laboratório de testes.

Nos EUA, o Serviço de Rádio de Banda Larga Cidadão (CBRS) a 3,5 GHz está prestes a se tornar disponível. Isso seria adequado, diz a Qualcomm. Alternativas para o CBRS podem incluir o espectro licenciado por MNO existente, transformado em um acordo corporativo - a empresa administra a rede nas freqüências do MNO.

Fasse e Scheuer, no entanto, questionam até que ponto as operadoras de telefonia móvel vão ajudar redes locais ou privadas de 5G, porque isso poderia afetar seus modelos de negócios. De fato, eles dizem, três grandes MNOs europeus “se manifestaram contra redes 5G [privadas] locais”.

Até agora, os provedores de 5G têm promovido testes que comprovam o desempenho da tecnologia, como a primeira transferência de dados da AT & T em setembro, e o avanço da Verizon com a Nokia, transmitindo um sinal para um veículo viajando entre dois. setores de rádio em agosto. Eles continuam de boca fechada, no entanto, sobre os ensaios em que estão trabalhando com clientes corporativos que poderiam demonstrar os benefícios da 5G para as empresas. Em vez disso, muitos provedores de serviços sem fio estão procurando empresas que os procurem com suas listas de desejos sem fio e pontos problemáticos, para que possam desenvolver casos de uso 5G personalizados.

O 5G realmente será um divisor de águas para as empresas e, em caso afirmativo, quando? Analistas de rede, consultores e provedores de serviços sem fio expõem os fatos sobre a 5G hoje e oferecem conselhos sobre o que as empresas devem fazer para se preparar.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail