Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Cortes durante pandemia podem prejudicar crescimento a longo prazo
Home > Gestão

Cortes durante pandemia podem prejudicar crescimento a longo prazo

Muitos CFOs perdem a oportunidade de reformular posição competitiva na pressa por soluções que podem comprometer a lucratividade da empresa no futuro

Da Redação

12/05/2020 às 10h00

Foto: Shutterstock

Uma pesquisa de longo prazo sobre o desempenho de 1.142 empresas públicas globais revelou que as organizações capazes de enfrentar crises com desempenho líder do setor seguiram um conjunto diferenciado de comportamentos em relação ao gerenciamento de custos e investimentos que os definiam além de seus pares com desempenho inferior.

De acordo com o Gartner, os CFOs que recorrem a medidas de corte de custos de curto prazo e insustentáveis durante a pandemia da Covid-19 perdem a oportunidade de reformular fundamentalmente sua posição competitiva a longo prazo.

"As pressões que os CFOs enfrentam para conter custos durante esta crise são intensas", disse Dennis Gannon, Vice-Presidente, Consultor do Gartner Finance Practice. "Com 62% dos CFOs informando que planejam fazer cortes significativos em SG&A (Selling, General & Administrative Expense) este ano como resultado da crise de coronavírus, é importante primeiro obter clareza sobre quais custos protegem os investimentos de longo prazo que impulsionarão a lucratividade futura".

A pesquisa do Gartner sugere que, de maneira geral, os cortes de custos não direcionados tenham uma correlação negativa com a lucratividade a longo prazo.

"Os CFOs capazes de navegar com sucesso por crises e levar suas organizações a uma posição mais forte, como saldo pensam em contenção de custos de maneira diferente dos pares, e isso porque eles pensaram em seus investimentos em crescimento de maneira diferente", disse Gannon.

CIO2503

E-book por:

A pesquisa Efficient Growth do Gartner estudou o desempenho das maiores 1.142 empresas públicas por capitalização de mercado no S&P Global 1200 Index de 2010 a 2018. Das empresas estudadas, apenas 5% alcançaram o status "Efficient Growth", com pontuação no quartil superior em relação à indústria pares em crescimento de receita de longo prazo, redução de custos de longo prazo e crescimento simultâneo de curto prazo e expansão de margem.

Protegendo os investimentos

Os CFOs bem-sucedidos apreciam claramente as, relativamente, poucas iniciativas que gerarão vantagens enormes. Eles não apenas protegem esses projetos de reduções de custo, como também aumentam as áreas que apoiam essas apostas. Segundo o Gartner, os principais CFOs resistem à "fluência do escopo" e à tentação de proteger as apostas em investimentos de crescimento, inserindo mais regiões geográficas ou introduzindo mais linhas de produtos.

Os portfólios dos CFOs das principais empresas estudadas pelo Gartner foram diferenciados de um grupo de controle de pares pelas seguintes características:

  • 18% menos apostas de crescimento focadas;
  • 24% menos linhas de produtos e serviços;
  • 20% a mais de receita gerada em seu maior segmento geográfico

"Os principais CFOs estão usando esse período de incerteza para reavaliar seus portfólios de negócios e reduzir a complexidade que diminui a lucratividade a longo prazo", disse Gannon. "Ao reduzir o número de frentes de batalha do setor em que competem, esses CFOs naturalmente encontrarão custos ‘bons’ para cortar, ao mesmo tempo em que liberam mais recursos para canalizar para as apostas vencedoras de crescimento".

As organizações que usavam períodos de incerteza econômica para acelerar suas vantagens competitivas tradicionalmente protegiam os custos em P&D e Capex, enquanto diferenciavam os custos de SG&A que impulsionam as vendas versus os que não o fizeram. As organizações líderes eram mais propensas a se beneficiar dos gastos com pesquisa e desenvolvimento e a serem as “pioneiras” durante os períodos de mudanças ou interrupções do setor, além de serem mais rápidas em aumentar os gastos de Capex resultantes de uma recessão. Os custos logísticos que apoiaram a capacidade de enviar pedidos e os custos de vendas e marketing que levaram diretamente a novos negócios foram protegidos contra iniciativas mais amplas de corte de custos.

Parceria comercial

Além de reduzir o escopo e a complexidade do portfólio de investimentos em crescimento, os CFOs que buscam contenção de custos sustentável a longo prazo devem reconhecer o valor em incentivar os parceiros de negócios a identificar economias de custos. Os principais CFOs reconhecem os limites das iniciativas de custo centralizadas e estabelecem programas de “recuperação de custos” que devolvem parte da economia aos proprietários das unidades de negócios que podem implantar esse fundo em iniciativas mais produtivas.

"Os líderes das unidades de negócios terão maior probabilidade de identificar economia de custos se sentirem que receberão algum benefício por fazê-lo", disse Gannon. "Ao criar um mecanismo que retorna parte da economia de volta à unidade de negócios, os CFOs podem criar um ciclo de feedback positivo, em que os gerentes estão identificando continuamente custos desnecessários e canalizando parte desses recursos para prioridades de maior valor".

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15