Home > Carreira

Conheça 10 empresários com menos de 20 anos bem-sucedidos em tecnologia

Esses empreendedores ainda não podem beber cerveja, mas já ganharam milhões de dólares antes mesmo de sair da adolescência

Redação da PCWorld

11/03/2008 às 18h46

Foto:

Os adolescentes não esperam mais a época da faculdade para ingressarem no mercado de trabalho e se destacarem. Conheça dez empreendedores bem-sucedidos que têm no máximo 20 anos de idade – e são mais ambiciosos, vigorosos, familiarizados com tecnologia e sagazes do que a maioria dos executivos de grandes empresas.

Alguns deles já são milionários. Contrate-os agora, enquanto eles são relativamente ingênuos. Ou torça para ser contratado por um deles em breve.

O empresário em série: Ben Casnocha, 19 anos, da Comcate
Poucas pessoas escreveram um livro e fundaram uma empresa de softwares antes dos 19 anos de idade. Ben Casnocha é uma dessas raridades.

Inspirado por um professor que o fez memorizar o anúncio da Apple – “Pense diferente” – Casnocha abriu a Comcate, que vende programas para ajudar governos locais a resolverem queixas de cidadãos. A idéia nasceu quando ele pensou sobre como a forma que os governos lidavam com os cidadãos era precária. Ele estava com 14 anos e a Comcate era a segunda empresa que ele fundava.

Com 17 anos de idade, ele era um dos 25 empreendedores com menos de 25 anos mais bem sucedidos, segundo a revista Business Week. Mesmo assim, ele arranjava tempo para ser capitão do time de basquete e editor do jornal do seu colégio, em São Francisco.

Quando terminou o colegial, Casnocha passou um ano viajando e escrevendo um livro sobre suas experiências: “Uma vida em start-ups: o que um CEO realmente jovem aprendeu em sua jornada pelo Vale do Silício”.

++++

No último outono, Casnocha se matriculou na faculdade Claremont, na Califórnia e é espantosamente humilde ao comentar seu sucesso: “Não acredito em projetos de longo prazo. A maioria das boas coisas que me aconteceram foram inesperadas. Acredito na sorte e no timing”.

O mais novo veterano da política: Stephen Yellin, 19 anos, blogger

Converse com Stephen Yellin sobre seu assunto predileto – política – e parecerá que você está conversando com um veterano de guerra. E ele é. Desde os 13 anos de idade escreve e comenta sobre política.

No respeitado blog liberal Daily Kos, Yellin aconselha candidatos sobre como se comunicar com a comunidade da internet. Quando tinha 15 anos ele era chamado de “o Trippi do futuro”, em referência a Joe Trippi, que conseguiu aumentar o capital dos democratas na época da campanha de Howard Dean. Mas Yellin se esquiva da comparação: “Espero um dia talvez ser comparável a Joe Trippi”.

Diferentemente da maioria dos blogeiros de política, Yellin não tem as mãos limpas. Atualmente ele participa do Comitê Democrático de Union County, em New Jersey, e já trabalhou em várias campanhas de senadores do estado.

Antes, ele queria ser político, mas perdeu a vontade quando descobriu como o sistema funciona. “Eles passam mais de oito horas por dia no telefone pedindo dinheiro. Você acaba falando com pessoas que não conhece e fazendo acordo com pessoas das quais não gosta”, ele diz.

O novo objetivo de Yellin é dar aulas de história para alunos do colegial. “A melhor defesa contra a tirania é ter uma sociedade fortemente democrática, onde pessoas são efetivamente responsáveis pelo seu país”, ele explica.

++++

A milionária do MySpace: Ashley Qualls, 17 anos, da Whateverlife.com

Eis um enigma: como transformar oito dólares em um milhão de dólares? Fácil, coloque esses oito dólares nas mãos de Ashley Qualls. Três anos atrás, Ashley pegou essa quantia emprestada da sua mãe e comprou o domínio Whateverlife.com e começou a postar sua experiência com o MySpace e downloads gratuitos.

Com muitos corações, laços e letras de músicas populares, o blog fazia enorme sucesso com a audiência feminina do MySpace. Atraindo dezenas de milhares de acessos diários de meninas de 14 a 17 anos de idade, o site tornou-se um ótimo local para anúncios. No ano passado, ele lucrou um milhão de dólares com publicidade e chegou a sete milhões de visitantes únicos por mês.

Mas segundo Qualls, isso não foi tão simples quanto parece. Com o lucro do site, ela comprou uma casa para sua mãe e, no porão da casa, organizou a sede da sua empresa. A demanda do trabalho a obrigou a parar de estudar. Ashley contratou sua mãe para ajudá-la a gerenciar o site, o que gerou muitas tensões familiares. Apesar de ser um empreendedora de sucesso, não podia assinar contratos por causa de sua idade. 

A idade, entretanto, não limitou suas ambições. O Whateverlife é hoje uma revista e uma loja online. “Mas eu fico triste ao me lembrar de que não me formarei junto com meus amigos”, ela lamenta.

O mestre do Quiz: Andrew Sutherland, 18 anos, criador do Quizlet
Tudo começou com um teste de francês. Andrew Sutherland, na época um estudante de 15 anos de idade em Albany, na Califórnia, tinha que memorizar 11 nomes de animais em francês. Para fazer isso, Sutherland desenvolveu um programa que depois se transformou no Quizlet, uma ferramenta baseada na web que qualquer um pode usar para decorar palavras.

O usuário digita a palavra que precisa decorar e as definições corretas para o termo e o Quizlet faz o resto: testa o usuário constantemente. Desde o lançamento oficial da ferramenta, em janeiro de 2007, mais de 130 mil pessoas usaram o programa para testar seus conhecimentos – com temas que variam de animais a astrologia. 

++++

Para cuidar da burocracia, Sutherland abriu uma empresa com seu pai. Mas os fãs do Quizlet terão que esperar para conferir o segundo produto da empresa. O primeiro demorou 450 dias até estar disponível no mercado. E Sutherland, que foi aceito recentemente no MIT, diz que ser um desenvolvedor de software nunca foi um dos seus objetivos. “Queria ser bombeiro, astronauta... Você sabe, todas aquelas coisas típicas”, ele disse.

O gênio inventor: Garret Yazzie, 16 anos

Garret Yazzie queria ser uma celebridade quando inventou um aquecedor para casas que usa um radiator Pontiac 1967 e latas de soda de alumínio 69. O menino de 13 anos estava apenas procurando uma forma de aquecer o trailer da sua família em uma reserva indiana em Navajo, no Arizona, onde não havia água corrente e nem energia elétrica.

A invenção despertou a atenção do país e ele conquistou o primeiro lugar na Feira de Ciência e Engenharia Americana e Indiana, além de ficar em 40º lugar no desafio do Discovery Channel, em Washington. A Universidade do Arizona criou uma matéria com o nome de Yazzie e, em abril do ano passado, o programa Extreme Makeover presenteou sua família com uma nova casa.

No ano seguinte, ele inventou uma roda de água usando uma bobina conectada a uma bicicleta andando a 10 quilômetros por hora e a um alternador. A bobina produzia energia suficiente para alimentar um refrigerador, por exemplo. Novamente, ele venceu a Feira de Ciência e Engenharia e foi semifinalista do concurso do Discovery.

Hoje ele estuda em Clarkston, em Michigan, e espera retornar ao Arizona e construir uma máquina que produza dispositivos geradores de energia alternativa.

O alquimista: Anshul Samar, 14 anos, criador do Elementeo
Como Sutherland, do Quizlet, Anshul Samar começou sua carreira de empreendedor quando procurava uma forma original de estudar – no seu caso, o assunto era química. Ele criou o Elementeo, um jogo de cartas baseado em elementos químicos, cujo objetivo é reduzir o número de elétrons do seu adversário.

++++

Anshul abriu sua empresa com os 500 dólares doados pela Associação de Talento da Califórnia e no final de um ano já havia lucrado um milhão de dólares. Como fundador e CEO da Alchemist Empire, ele gasta a maior parte do seu tempo “inventando, gerenciando, mantendo contato com designers e artistas, orientando pessoas, fazendo marketing, testes e muito brainstorm”. Atividades nada comuns para um garoto da oitava série.

 “Eu sempre morei perto do Vale do Silício e via essas pessoas criando seus próprios negócios, mostrando ao mundo seus produtos e se tornando empreendedores. Quando estava na quarta série sonhava em ser como eles. Agora finalmente eu realizei meu sonho”, diz Samar.

O Chairman: Sean Belnick, 20 anos, da BizChair.com
Com 20 anos de idade, Sean é o mais velho dos nossos empreendedores. Há seis anos, ele abriu uma empresa de decoração que teve receita bruta de 38 milhões de dólares em 2007.

Aos 14 anos, Sean Belnick já faturava mil dólares por mês vendendo cartas de Pokemon e outras coleções no eBay. Ele percebeu que essa estratégia poderia funcionar em qualquer lugar. E com um padrasto que fabricava móveis, esse mercado lhe surgiu como a melhor opção para investir. Gastou 600 dólares com hospedagem web e publicidade e lançou o BizChair.com. Hoje, seis anos depois, Balnick ocupa a segunda posição entre os mais interessantes empreendedores com menos de 30 anos, da revista Inc. Magazine. Entre seus clientes estão Microsoft, Google e o Pentágono. 

Ele está estudando administração na Universidade Emory, em Atlanta e, enquanto isso, seu padrasto gerencia a empresa. Mas quando se formar, ele pretende voltar a ser CEO.

O rei dos domínios: Matt Wegrzyn, 19 anos, do Bodis.com
Você tem que acordar muito cedo para acompanhar o Bodis.com, de Matt Wegrzyn. Na verdade, o melhor é não dormir. Segundo ele, seu dia começas às 10h e termina por volta das 5h. “Há muito o que fazer. Dormir é desnecessário”, ele diz.

++++

Bodis é um site que hospeda outros, ou seja, se você quer ser dono de um site mas não quer o trabalho de desenvolvê-lo, basta colocá-lo no Bodis.com. Ele irá publicar anúncios baseados em cliques em uma página relacionada a seu nome de domínio, e então dividirá a receita com você. Em 2007, o Bodis faturou um milhão de dólares.

Matt comprou seu primeiro domínio aos 17 anos por 120 dólares e o vendeu poucas semanas depois por 500 dólares. Rapidamente ele se tornou um famoso “domainer”, apesar de se considerar primeiro um desenvolvedor e depois um empreendedor.

“Na minha opinião, desenvolvedores têm mais vantagens”, diz Wegrzyn, que aos 15 anos programava usando a linguagem ColdFusion e é responsável por toda parte de programação do Bodis. “É simples abrir sua própria empresa, vender seu próprio software e desenvolver seu próprio código. E sempre existe um produto que ainda não existe”, ele argumenta.

O desbloqueador de iPhones: George Hotz, 18 anos
A maioria dos crackers ganham notoriedade com grandes ataques ou, na pior da hipóteses, quando são presos. Mas quando George Francis foi o primeiro a desbloquear o iPhone, da Apple, no ano passado, permitindo que o aparelho funcionasse com GSM, ele ganhou um carro de 50 mil dólares e mais três iPhones. O carro foi cortesia da Certicell, uma empresa que vende handsets usados. A Certicell também contratou o jovem de 17 anos.

Mas essa não foi a primeira peripécia de Hotz. Ele já havia ganhado 20 mil dólares em uma competição nacional de ciência patrocinada pela Intel. O nome do trabalho com o qual ele ganhou o prêmio era “Eu quero um holodeck” (simulador holográfico de realidade virtual).

Hoje, Hotz estuda biologia no Instituto de Tecnologia Rochester. Para se divertir, ele desbloqueou seu cartão de identificação na universidade, o que lhe garantiu acesso a qualquer local do campus.
++++

Recado para Steve Jobs: contrate logo esse adolescente, antes que ele o tire do mercado.

A gerenciadora de relacionamentos: Catherine Cook, 18 anos, do myYearbook.com
Imagine uma mistura de Facebook e MySpace. Assim é o myYearbook.com, criação de uma estudante do colegial em Nova Jersey. Nada mal.

Em 2005, Catherine Cook tinha 15 anos e achava o “Friendster chato, o MySpace terrível e o Classmates caro demais”. Na época, o MySpace aceitava apenas estudantes de faculdades. Por que não criar uma rede da qual ela e as amigas podiam realmente tirar algum proveito?

Ela então convidou seus irmãos – um de 16 anos e outro de 26, já um empreendedor bem sucedido – para serem sócios na myYearbook.com. Com mais de cinco milhões de membros, ela é a sétima maior rede social do mundo e cresce cerca de 400% todo ano, segundo a Hitwise.

 “Cresci vendo meu irmão mais velho fundar e gerenciar sua empresa e não queria ter um emprego comum, como meus pais. Queria algo mais divertido e criativo”, disse Cook.

Como os outros empreendedores entrevistados, Cook disse que a sua idade foi um fator benéfico ao seu negócio: “Quando você é mais novo, praticamente não existem riscos. Mesmo se você falhar, ainda lhe sobrará muito tempo e seus pais sempre estarão lá para lhe ajudar”.

Dan Tyran, editor da PC World, de São Francisco.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail