Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Como requalificar a TI para avançar a jornada rumo à nuvem
Home > Gestão

Como requalificar a TI para avançar a jornada rumo à nuvem

Para ter sucesso na transição para a nuvem, CIOs reinventam suas equipes de TI para serem ágeis e multifuncionais, equipadas com novas habilidades

Mary K. Pratt, CIO (EUA)

11/06/2020 às 8h00

Foto: Shutterstock

Paul Ryan entrou no posto de CTO do OpenX em 2017 e encontrou um departamento de TI precisando de uma revisão. A OpenX, uma empresa de tecnologia que cria uma plataforma de publicidade programática, ainda estava 100% om-prem. Ele tinha cinco data centers com 45.000 servidores e uma equipe de TI organizada com base nas habilidades legadas necessárias para manter essa pilha de tecnologia convencional.

"Havia uma grande quantidade de recursos para manter essa infraestrutura física atualizada, mas nesta era digital não é uma atividade de valor agregado; não há valor em manter servidores físicos no local”, diz Ryan.

Ryan montou um plano agressivo para migrar para a nuvem em 2019, optando por soluções de software como serviço em alguns casos e o Google Cloud Platform pelo restante. Ryan e sua equipe levaram apenas sete meses para migrar totalmente para a nuvem, fechar os data centers e vender os servidores antigos.

Isso, porém, foi apenas parte da transformação, diz Ryan. Mover-se para a nuvem também significou reequipar seu departamento de TI - uma tarefa igualmente significativa que exigiu reciclagem, reorganização, reatribuição e até corte de sua equipe para que eles fossem otimizados para o novo ambiente. "Cloud tornou-se parte do título de todos", acrescenta Ryan.

CIO2503

E-book por:

Mudando para a nuvem

A computação em nuvem fez parte da agenda de TI na última década, com quase todos os CIOs tendo algumas cargas de trabalho na nuvem. O Relatório de Adoção na Nuvem de 2019 da Bitglass, fornecedor do CASB (broker de segurança de acesso à nuvem), constatou a adoção da nuvem em 86% - acima dos 24% registrados apenas seis anos antes.

Durante esses anos de migração, os CIOs mais bem-sucedidos ajustaram seus departamentos para apoiar o novo paradigma. Eles adicionaram novas habilidades ao repertório de sua equipe de TI e enfatizaram outras habilidades à medida que os requisitos de trabalho local diminuíam; eles ajustaram alguns processos de trabalho e mudaram completamente outros.

No entanto, como a mudança para a própria nuvem, revisar a equipe de TI é um processo contínuo, e executivos de TI e consultores de gerenciamento dizem que os CIOs ainda têm mais trabalho a fazer para preparar seus departamentos para trabalhar de maneira eficaz e eficiente na nuvem.

“Trata-se de mais do que apenas obter certificações em nuvem para trabalhadores. É sobre CIOs tentando entender como eles vão funcionar de maneira diferente ”, diz Adam Pollak, Diretor Consultivo e Líder do Centro de Excelência em Estratégia Estratégica da KPMG, explicando que os departamentos de TI precisam desenvolver as habilidades necessárias para entender como a nuvem muda os custos, a segurança, desempenho, integração com outros sistemas, políticas de governança e acesso de usuários - e depois organize os trabalhadores para que eles possam gerenciar melhor essas peças.

"Estamos no meio dessa grande mudança de paradigma e há muitos que ainda não pensaram nisso", acrescenta Pollak. "Mas agora eles estão percebendo o que significa o impacto e quais são as novas habilidades necessárias, bem como a aparência de um modelo operacional. É preciso planejar para fazê-lo da maneira certa e com custo reduzido”.

Reimaginando a TI

No OpenX, Ryan iniciou sua ambiciosa iniciativa de nuvem trabalhando com o Google para desenvolver um programa obrigatório de treinamento de quatro semanas para sua equipe. Ele também pagou pelas certificações relacionadas aos funcionários que desejavam essa educação extra.

Simultaneamente, ele pressionou os trabalhadores a abraçar a nuvem. Quando qualquer equipe questionava se permanecer nas instalações poderia ser uma opção, ele informou que os servidores antigos estavam sendo vendidos. "Eu queria fazer com que isso fosse inevitável, então tive que reunir pessoas", acrescenta.

Ele também conduziu uma cultura de colaboração estreita, fazendo a ponte entre as equipes de desenvolvimento e operações, para que juntos pudessem tirar proveito da entrega contínua de recursos de aplicativos que a computação em nuvem permite.

"Eu falei mais como: 'Isso é o que está acontecendo no mundo em termos de tecnologia e é uma oportunidade de crescimento na carreira'", diz Ryan, acrescentando que, embora tenha enfrentado resistência de alguns membros seniores da equipe, a maioria de seu time estava animada pelas mudanças.

Outros compartilham a abordagem de Ryan. Eles enfatizam que as equipes de TI exigem novas habilidades técnicas para adotar totalmente a nuvem e todos os benefícios que ela oferece, mas observam que as equipes de TI também precisam trabalhar de maneira diferente, com novos processos e uma nova cultura centrada na nuvem. Por exemplo, a TI deve mudar de um departamento qualificado e estruturado em torno de aplicação de patches em agendas definidas, para um capaz de atualizações contínuas.

"São habilidades, organização, é sobre como a TI funciona", diz Richard Stiennon, Analista-chefe de Pesquisa da IT-Harvest e autor de Secure Cloud Transformation: The CIO's Journey. "A estrutura do departamento precisa mudar para acomodar a nova arquitetura".

Stiennon vê a necessidade de repensar a TI de cima para baixo: CIOs trabalhando com outros executivos para articular uma agenda digital baseada em nuvem; arquitetos e engenheiros em nuvem trabalhando para implementar as tecnologias que impulsionarão essa estratégia; uma equipe de segurança que utiliza o gerenciamento de identidades, novas tecnologias e princípios de confiança zero para controlar o acesso aos recursos da nuvem; e desenvolvedores, operações, segurança e negócios, todos trabalhando juntos de maneira ágil para transformar continuamente o funcionamento da organização.

Essa é uma grande mudança cultural - que exige que a TI se desvie de sua visão histórica de que um ambiente de estado estacionário reduz o risco para um que considera permanecer estático como arriscado, diz Ron Hayman, Diretor de Nuvem e COO da Avant Communications.

“Você precisa mudar e inovar, caso contrário, coloca sua empresa em risco”, diz Hayman, observando que as organizações que estavam melhor posicionadas para responder à pandemia foram as que adotaram esse ethos. E isso, diz ele, requer um CIO capaz de formar uma equipe confiante em sua capacidade de trabalhar em uma cultura tão dinâmica.

"Os CIOs precisam se concentrar na vantagem competitiva e em fornecer à organização mais opções e mais flexibilidade para operar em condições que mudam", diz ele.

Retomando a equipe

Não é surpresa que esse paradigma de nuvem em expansão exija novas habilidades técnicas.

O leque de habilidades e experiências necessárias é amplo - e impossível de encontrar em um único indivíduo. Os CIOs precisam de pessoas com experiência na migração de dados para a nuvem e na implementação de segurança na nuvem, bem como aquelas versadas em plataformas em nuvem específicas, como AWS e Azure.

Para preencher os mais novos cargos de TI, como arquiteto e engenheiro de nuvem, os CIOs precisam de profissionais de TI com uma combinação de experiência convencional, como habilidades de programação e nova perspicácia, incluindo a capacidade de trabalhar com plataformas sem servidor, contêineres e sistemas de orquestração de contêineres.

Os departamentos de TI também precisam de pessoas que possam gerenciar esse novo paradigma da perspectiva dos negócios. Isso requer pessoas que possam prever com precisão os custos à medida que o trabalho avança para a nuvem, comparar ofertas de contratos de fornecedores de nuvem concorrentes e saber ler as faturas dos fornecedores de nuvem, além de quem pode monitorar a utilização e garantir que o departamento tenha a infraestrutura e capacidade de que precisa sem gastar muito.

"Há algumas coisas reais que precisam ser resolvidas e com as quais você não precisava se preocupar antes, quando eram seus próprios servidores. É sobre como gerenciar uma infraestrutura de nuvem no nível da administração”, acrescenta Hayman.

Além disso, os departamentos de TI precisam de funcionários capazes de fazer todo esse trabalho em equipes colaborativas que trabalhem nos novos modelos Agile, Scrum e DevSecOps. "Você precisa ter pessoas que entendam esse mundo para entregar mais rapidamente", diz Hayman.

De fato, os departamentos de TI estão descobrindo, à medida que avançam na adoção da nuvem e passam para as metodologias ágeis de desenvolvimento, que o delineamento claro das responsabilidades que tradicionalmente existiam entre os cargos que gerenciam data centers e operações locais fica cada vez mais embaçado.

Esse desfoque exige que cada trabalhador tenha um conjunto de habilidades mais amplo do que no passado, incluindo a capacidade de entender e até executar elementos que antes eram realizados por seus colegas de trabalho.

"Há mais desfoque de linhas, do topo da pilha para o fundo", diz Scott Likens, que lidera a prática de novos serviços e tecnologia emergente da empresa de consultoria PwC. Os CIOs que tiram o máximo proveito da computação em nuvem são aqueles que entendem essa dinâmica e desenvolvem trabalhadores de TI com fortes habilidades de colaboração, enquanto os treinam em outras habilidades e eliminam os silos que historicamente existem entre as funções da TI, diz ele.

"A mentalidade costumava ser: você é um especialista em infraestrutura ou esse tipo de especialista. Agora, todos na organização precisam ter um nível de competência em nuvem e habilidades em linguagens na nuvem, e o CIO deve capacitar todos os membros da equipe”, diz Likens.

Projetando uma mentalidade de nuvem

No entanto, continua sendo um desafio encontrar habilidades em nuvem no mercado. O Guia de Salário de Tecnologia 2020 da empresa de recrutamento Robert Half Technology descobriu que 67% dos gerentes de TI desejam expandir suas equipes em áreas como computação e segurança em nuvem, com 89% indicando que têm dificuldade em recrutar essas habilidades.

A pesquisa descobriu ainda que os gerentes de TI estão particularmente interessados em contratar especialistas em nuvem (arquitetos, engenheiros e engenheiros de sistemas), bem como especialistas em segurança em nuvem. Além disso, o relatório identificou a computação em nuvem como uma das áreas mais demandadas para o desenvolvimento profissional.

Esse último ponto é importante, dizem os consultores de gerenciamento, reforçando a necessidade dos CIOs tornarem o aprendizado contínuo um elemento básico de um departamento de TI focado na nuvem.

"Encontrar as habilidades necessárias em nuvem é um problema e é um mercado competitivo e difícil para essas habilidades", diz Likens. “Mas o ritmo da mudança nessas habilidades também é um desafio; todos os dias há algo novo".

Isso pode explicar por que aqueles que mudaram com sucesso para a nuvem dizem que uma das maiores mudanças no departamento de TI deve ser sua mentalidade. Os CIOs devem criar - e formar equipes para - um departamento que possa evoluir de forma contínua e tão rápida quanto as tecnologias em nuvem.

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15