Home > Tendências

Como recapacitar a TI para o sucesso digital

CIOs estão treinando os funcionários de diversas maneiras para aprimorar as habilidades das suas equipes para o sucesso digital

Clint Boulton, CIO (EUA)

18/02/2020 às 8h00

Foto: Shutterstock

A escassez de talentos em tecnologia faz com que os CIOs se esforcem para garantir que os funcionários aprendam as mais recentes habilidades e tecnologias que facilitam a agilidade dos negócios. Entre os domínios de maior demanda: computação em nuvem, aprendizado de máquina, ciência de dados, engenharia de software e segurança cibernética.

A falta de habilidades e recursos tem sido um dos principais obstáculos para alcançar os objetivos organizacionais, de acordo com as quatro últimas pesquisas anuais de CIOs do Gartner.

"O gerenciamento estratégico da força de trabalho mudou drasticamente nos últimos 10 anos, e a complexidade está aumentando à medida que o mercado de trabalho se restringe", diz o analista do Gartner, Alex Johnston. "As organizações estão competindo por conjuntos de habilidades que antes eram desconhecidas, mas que agora têm uma demanda extremamente alta."

Com os negócios digitais avançando rapidamente, os CIOs precisam fazer algo diferente para obter novos resultados. Confira como os líderes de TI estão abordando esse problema para criar equipes mais produtivas e ágeis.

CIO2503

E-book por:

Capacitando-se em nuvem

Quando Ravi Naik ingressou na Seagate como CIO em 2017, ele decidiu reduzir ineficiências nos sistemas de tecnologia da empresa. A solução dele? Mudando para uma arquitetura nativa de nuvem, com a Amazon Web Services (AWS) e Microsoft Azure, reduzindo assim a pegada de computação da Seagate de quatro data centers para um. Naik estava convencido de que essa medida ajudaria a alinhar os gastos com TI à receita e a melhorar o serviço e o suporte aos negócios.

Um problema: a organização estava acostumada a executar sistemas no local, então ele decidiu treinar a equipe no gerenciamento de sistemas em nuvem. Os funcionários participam de treinamentos online de fontes como a Udemy e visitaram o AWS Lofts para obter respostas para perguntas técnicas.

Uma área propícia à reciclagem é a segurança na nuvem, segundo Naik, devido à complexidade de gerenciar portas e provisionar quem pode acessar os dados. "Muitas organizações pensam que segurança é dor de cabeça de outra pessoa quando elas se mudam para a nuvem, mas esse não é o caso", observa Naik. Seu departamento também precisou aprender a refatorar aplicativos existentes usando as ferramentas da AWS.

Três funcionários de Naik lideram uma unidade de treinamento e comunicação de TI, focada em impulsionar o gerenciamento de alterações para esses esforços, incluindo uma migração de 25 mil funcionários do Gmail para o Microsoft Office 365. Para ajudar nessa mudança, a unidade de comunicação conduz tutoriais com os funcionários sobre como organizar as caixas de entrada.

Lição aprendida. A criação dessa equipe de comunicação foi um “fator de mudança significativo” para as práticas de gerenciamento de transformação da organização. "O gerenciamento de mudanças é fundamental para qualquer função de TI, porque é a única função em qualquer empresa que afeta todos os funcionários diariamente."

Nunca é tarde para aprender

O novo treinamento é a principal prioridade da ManTech, de US$ 2 bilhões, onde o CIO Mike Uster está tentando garantir que os funcionários prestem serviços de TI a mais de 80 agências federais diferentes.

"Há muita conversa sobre transformação digital e o processo é evolutivo e está se movendo rapidamente", explica Mike Uster, CIO da ManTech. "Amarrado a isso está o desafio da mudança de cultura que precisa acontecer dentro da organização, porque se avançarmos mais rapidamente a um preço competitivo, ganharemos."

Uster procurou a Skillsoft para cursos, vídeos, livros, audiolivros, preparação para testes e laboratórios. O conteúdo de e-learning abrange desde o uso de software de colaboração, como o Slack, até certificações avançadas para sistemas de nuvem, segurança cibernética e aprendizado de máquina, além das melhores práticas de gerenciamento de programas. Os funcionários consomem o conteúdo através de seus computadores e smartphones.

A empresa, que integrou o software ao sistema de gerenciamento de aprendizado da Workday, estabeleceu uma estratégia de comunicação regular sobre os recursos de aprendizado da Skillsoft aos seus 9 mil funcionários para cultivar talentos a longo prazo. Por meio desse programa, a equipe compete para obter o maior número possível de certificações em períodos de 30 dias, de acordo com Uster.

Lição aprendida. Uster acredita que o novo treinamento está ajudando os gerentes de programas da ManTech a se tornarem os futuros gerentes. Isso deve ajudar a equipe a moldar a sua carreira nos próximos 15 a 20 anos.

Treinamentos cruzados para preencher lacunas

Os funcionários de TI da HMHost International passam da construção e execução de sistemas ERP para a manutenção de aplicativos e vice-versa. Às vezes, mesmo parte da equipe de infraestrutura passa para o departamento de aplicativos - ou vice-versa. Em resumo, qualquer oportunidade de treinamento cruzado é bem-vinda.

Mas raramente é fácil vender, diz Sarah Naqvi, CIO da operadora de restaurantes. "Eles entram chutando e gritando e ficam muito desconfortáveis", revela. No entanto, eles aprendem rapidamente que esse treinamento cruzado pode ajudá-los na sua carreira. Naqvi tenta mudar sua equipe modesta de 92 pessoas a cada 15 a 18 meses, o que ela considera os ajudar a gerar novas ideias. "Gostaria de ter tido essa chance antes de me tornar CIO", acrescenta.

Mais recentemente, em resposta ao aumento das tecnologias digitais que funcionários e clientes consomem, Naqvi convidou um desenvolvedor de negócios / especialista em operações da HMHost para se juntar à sua equipe e entender as oportunidades de aplicação de tecnologias digitais nos negócios da empresa. "Ter um parceiro de negócios conosco ajuda a preencher essa lacuna", afirma Navqi. "Isso mudou completamente a cultura de TI."

Além das rotações de estações, Navqi patrocina programas de mentoria e mentoria reversa, onde os funcionários seniores colocam os juniores sob seus cuidados e vice-versa. Navqi também aumentou a sua equipe com especialistas da Avenade e Accenture para facilitar a transformação digital.

Lição aprendida: o treinamento cruzado só funciona quando os funcionários de "nível 2" são fortes, diz Navqi. "Você não pode fazer isso se tiver um departamento fraco."

Um playground 'ágil' para treinamento cruzado

Os novos treinamentos acontecem organicamente em torno do desenvolvimento ágil de software na John Hancock, segundo Derek Plunkett, que executa o desenvolvimento de aplicativos para os serviços de plano de aposentadoria da empresa de serviços financeiros. Lá, desenvolvedores de aplicativos, engenheiros, analistas de garantia de qualidade, talentos em segurança cibernética e outros funcionários de TI trabalham com uma variedade de colaboradores de negócios em equipes pequenas e ágeis para criar divesos produtos e serviços digitais, incluindo os sites da empresa e calculadoras de aposentadoria.

A chave para esse esforço é garantir que a cultura de TI esteja alinhada em torno da construção dos melhores resultados de negócios para os participantes do plano da empresa. "Queremos ser parceiros estratégicos e, para fazer isso, precisamos entender os objetivos dos negócios", explica Plunkett.

A TI de John Hancock está se movendo em direção a uma cultura de inicialização mais focada em engenharia, que inclui programação em pares, onde dois desenvolvedores codificam a partir de um teclado e computador. Um modelo tão fluido ajuda Plunkett a atrair talentos. Isso é crucial no momento em que 65% dos quase 4 mil CIOs pesquisados ​​pela KPMG / Harvey Nash afirmam que a falta de talento impede o trabalho.

Lição aprendida: A chave é fazer com que equipes trabalhem juntas e compartilhem conhecimento, ideias e práticas recomendadas sobre como criar produtos digitais específicos.

Dicas

O Gartner publicou as seguintes propostas para reciclagem de funcionários em dezembro de 2018.

Priorizar o desenvolvimento interno por conta da escassez de talentos.

Curvar-se ao aprendizado misto. Desenvolva uma abordagem de aprendizado que funcione para todos os funcionários, independentemente da idade, experiência e estilo. Isso inclui cursos colaborativos oferecidos fora da empresa.

Adotar uma estratégia de crescimento próprio. Institua programas de orientação que oferecem acompanhamento e feedback. Essa prática aumentará a adesão da organização e dos funcionários.

Independentemente da abordagem, os CIOs não podem perder tempo, como observa o Gartner. "Os negócios digitais estão se movendo tão rápido que os CIOs estão ficando sem tempo para preencher as lacunas de habilidades e competências para atender aos requisitos necessários."

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail