Home > Gestão

Como incentivar o pensamento estratégico nas equipes de TI

Segundo o Gartner, há quatro abordagens capazes de ajudar as equipes a desenvolver a capacidade de pensar estrategicamente

Da Redação

26/09/2019 às 19h37

Foto: Shutterstock

De acordo com o Gartner, em 1950, 30% da população mundial vivia nas cidades. Hoje, o número é de 55%, e deve aumentar para 68% até 2050.

Com o crescimento das grandes metrópoles, há efeitos de grande impacto em todos os aspectos dos negócios, exigindo que as equipes de infraestrutura e de TI adotem abordagens mais rápidas para lidar com as demandas futuras.

“Ao tomar decisões relacionadas à infraestrutura, os líderes atuais de I&O (infraestrutura e operações) estão começando a colocar uma ênfase maior na miríade de forças externas que impactam os negócios ao lado da própria tecnologia”, diz Jonathan Forest, analista diretor sênior do Gartner. "Aproveitar o pensamento estratégico ao tomar decisões de TI nem sempre foi o caso."

Em pesquisa realizada pelo Gartner, constatou-se que os líderes de I&O entendem três fatores como ameaças: gerenciamento de desafios tecnológicos, habilidades/recursos insuficientes e capacidade insuficiente para absorver mais mudanças. Para sobreviver às demandas que as crescentes infraestruturas exercem sobre as suas equipes, as lideranças devem melhorar as competências de pensamento estratégico dos colaboradores.

Atualmente, os líderes de I&O estão investindo na conscientização da necessidade do trabalho conjunto entre diferentes equipes, buscando eliminar o pensamento em silos. Essa prática otimiza a tomada de decisões, melhorando as operações de TI e, consequentemente, os resultados organizacionais.

Segundo o Gartner, há quatro abordagens capazes de ajudar as equipes a desenvolver a capacidade de pensar estrategicamente:

1. Adoção estratégica da ambiguidade e incerteza

Embora as equipes de I&O se destaquem pela abordagem de problemas táticos estruturados, a sugestão é treinar os times para reconhecer e aplicar técnicas não estruturadas de solução de problemas. Isso ajudará na geração de resultados positivos quando não houver problemas claramente definidos ou soluções facilmente identificadas.

2. Criação de um plano de I&O alinhado aos negócios

Geralmente os projetos de I&O são difíceis de implementar porque as metas de negócios não são claras. Criando planos alinhados aos objetivos organizacionais, as equipes conseguem ser orientadas para determinar se as mudanças incrementais ou transformacionais são corretas para os resultados corporativos.

3. Aprimoramento de decisões de investimento

A comunicação do valor por trás dos investimentos em tecnologia é essencial. Apesar de ser uma prática desafiadora para as equipes de I&O, que geralmente se concentram na TI, e não nas questões financeiras, é importante ter o hábito de questionar a equipe sobre alinhamento, riscos, tempo de execução do projeto e probabilidade de sucesso antes de que o investimento seja considerado.

4. Envolvimento das partes interessadas

Grande parte da estratégia de I&O é orientada por práticas comuns da indústria ou pelo desejo de incorporar novas tecnologias. De fato, essas abordagens são compreensíveis, mas podem acabar levando a objetivos desalinhados dos negócios. Para que isso seja evitado, o Gartner sugere que as lideranças se concentrem em resultados e metas conjuntas com as partes interessadas.

 

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail