Home > Tendências

Cloud pública representa maior fatia dos investimentos de TI em nuvem

Segundo dados da IDC, crescimento anual na modalidade foi de 50,2% em comparação com o ano anterior

Redação

04/04/2019 às 16h32

Foto: Shutterstock

A receita da venda de produtos de infraestrutura de TI (servidor, armazenamento corporativo e Ethernet) para ambientes de cloud, incluindo nuvem pública e privada, avançou 28% no quarto trimestre de 2018, somando US$ 16,8 bilhões, no comparativo anual. Os números fazem parte do relatório “Monitoramento Trimestral de Insfraestrutura de TI em Nuvem” da International Data Corporation (IDC), divulgado na última semana.

Segundo o relatório, os gastos com infraestrutura de TI pública e privada em 2018 totalizaram US$ 66,1 bilhões, cerca de 1,3% acima do previsto no terceiro trimestre do ano passado pela IDC. A consultoria também aumentou a previsão de investimentos para 2019, que devem ficar em US$ 70,1 bilhões – cerca de 4,5% acima da previsão do último trimestre –, crescimento de 6,0% ano a ano.

No comparativo trimestral, os gastos com infraestrutura de TI em nuvem pública recuaram 6,9% no quarto trimestre de 2018, em comparação ao trimestre anterior. Mesmo assim, esses investimentos dobraram nos últimos dois anos, chegando a US$ 11,9 bilhões no último trimestre, com crescimento de 33% ano a ano. Já os gastos com infraestrutura de nuvem privada subiram 19,6%, para US$ 5,75 bilhões.

Pela primeira vez, desde que a IDC passou a analisar as implantações em infraestrutura de TI nos dois ambientes, a nuvem pública representou a maior parte dos investimentos em infraestrutura de TI em nuvem, atingindo 69,6% em 2018, com uma taxa anual de crescimento de 50,2%. Por sua vez, os gastos com nuvem privada aumentaram 24,8% em relação a 2017.

Especificamente no último trimestre de 2018, a receita dos fornecedores de produtos de infraestrutura de TI em ambientes de nuvem sofreu queda e ficou abaixo da receitas obtida com ambientes tradicionais, respondendo por 48,3% do total das receitas de fornecedores de infraestrutura de TI em todo o mundo. Apesar da alta de 42,4% em relação ao mesmo período de 2017, esse valor é 50,9% inferior ao trimestre anterior. De modo geral, os gastos com infraestrutura de TI na nuvem em 2018 ficaram pouco abaixo de marca de 50%.

Já para 2019, a expectativa da IDC é de que os gastos em todos os três segmentos de tecnologia em ambientes de TI em nuvem tenham um crescimento o mais lento do que em anos anteriores, com switches Ethernet representando a maior taxa de crescimento (23,8%). Os gastos com plataformas de computação devem atingir US$ 35 bilhões, abaixo da previsão anterior.

A taxa de crescimento anual do segmento de infraestrutura de TI tradicional (excluindo nuvem) desacelerou do terceiro para o quarto trimestre de 2018 para menos de 1%. Apesar disso, o segmento avançou 11,1% no período. Considerando o ano de 2018, os gastos mundiais em infraestrutura de TI tradicional subiram 12,2%, como previsto pela IDC, já que o mercado iniciou um ciclo de atualização de tecnologia que será encerrado em 2019.

Até 2023, infraestrutura de TI tradicional deve responder por apenas 40,5% do total de gastos com infraestrutura de TI em todo o mundo (abaixo de 51,6% em 2018). Segundo a IDC, a redução da participação de mercado e o aumento da fatia abocanhada pelos ambientes de nuvem nos gastos gerais com infraestrutura de TI serão vivenciados em todas as regiões.

"O crescimento sem precedentes do mercado de sistemas de infraestrutura em 2018 foi compartilhado entre os segmentos de nuvem e não-nuvem", analisou Kuba Stolarski, diretor de pesquisa de Sistemas de Infraestrutura, Plataformas e Tecnologias da IDC.

O executivo observa que os participantes do mercado se preparam para uma comparação de crescimento muito difícil em 2019, composta por fortes ventos macroeconômicos cíclicos. Diante disso, a infraestrutura de TI na nuvem será o principal mecanismo de crescimento que suportará o desempenho geral do mercado até a próxima atualização cíclica.

“Com novas estruturas de nuvem pública on-premise entrando em cena, há uma possibilidade distinta de um aumento significativo nas implantações de nuvem privada nos próximos cinco anos”, concluiu Stolarski.

Todas as regiões aumentaram suas receitas de infraestrutura de TI na nuvem em dois dígitos no último trimestre de 2018. Nesse período, Canadá e China lideraram o crescimento em receita ano a ano, com 67,2% e 54,4%. No recorte regional, aparecem Europa Ocidental (39,7%), América Latina (37,9%), Japão (34,9%), Europa Central e Oriental e Oriente Médio e África (30,9% e 30,2%, respectivamente), Ásia / Pacífico (excluindo o Japão) (APeJ) (28,5%) e os Estados Unidos (15,5%).

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail