Home > Gestão

Cloud e software corporativo impulsionam o aumento global de gastos com TI

Os gastos com software devem crescer rapidamente este ano. Mais do que com qualquer outra categoria, afirma o Gartner

Marc Ferranti *

28/01/2019 às 18h28

Foto: Shutterstock

Se você tem alguma dúvida de que a Transformação Digital é a principal preocupação dos executivos de TI, basta dar uma olhada no que eles estão comprando. Os gastos com software corporativo, especialmente serviços e aplicativos em nuvem, devem crescer mais rapidamente do que qualquer outra categoria de TI este ano, alimentando um aumento geral nos gastos globais em tecnologia, segundo relatório do Gartner divulgado nesta segunda-feira, que prevê um aumento de 3,2% para US $ 3,77 trilhões em gastos mundiais em TI.

Os gastos com software corporativo devem saltar 8,5% este ano, em comparção com 2018, atingindo US $ 431 bilhões. Incluídos na categoria de software corporativo estão o ERP, o SCM, o CRM e software open source, on premise e na nuvem.

Dentro da categoria geral de software corporativo, a infraestrutura e os aplicativos de computação em nuvem absorverão a maior parte dos gastos, totalizando US $ 214 bilhões este ano, um aumento de 17,5% em relação a 2018, disse o Gartner.

"A coisa mais importante que estamos vendo é a mudança do negócio de tijolo e argamassa para o digital", disse John Lovelock, analista do Gartner. "É o principal impulsionador do aumento nos gastos".

Embora a otimização de custos seja importante, essa não é a principal razão para migrar para serviços e aplicativos em nuvem, disse Lovelock. "A adoção da nuvem está relacionada ao ganho de agilidade, obtendo a funcionalidade que você precisa na velocidade que você precisa. Os negócios digitais são executados a uma velocidade muito maior que os negócios tradicionais; os centros de dados hiperescala são as únicas coisas que pode suportar a velocidade dos negócios digitais, a cooperação necessária nos negócios digitais - é muito difícil fazer isso no local. "

O aumento nos gastos com nuvem, no entanto, não é globalmente uniforme. "É preciso dizer que, em uma base global, a nuvem é realmente uma infecção iniciada nos Estados Unidos e está se espalhando; os EUA representam quase 60% dos gastos atuais com nuvem em todo o mundo", disse Lovelock. Entre outras coisas, a falta de datacenters hyperscale nos mercados em desenvolvimento contribui para a latência de aplicativos que retarda o crescimento da nuvem nessas áreas, disse ele.

Os gastos com serviços de TI e  com datacenters também contribuirão significativamente para o crescimento geral. Os gastos com datacenters, incluindo servidores, armazenamento e tecnologia de rede, aumentarão 4,2%, para US $ 210 bilhões, enquanto os gastos com serviços de TI aumentarão 4,7%, para US $ 1,03 trilhão, segundo o Gartner.

Embora os gastos com dispositivos e serviços de comunicação também aumentem, eles estão ficando para trás, diz o Gartner. Os gastos com comunicações, incluindo serviços de telecomunicações fixos e móveis, bem como tecnologia de comunicações unificadas, crescerão 1,3 por cento, para 1,4 trilhão de dólares este ano.

Enquanto isso, os gastos com aparelhos como PC, tablets, telefones celulares e impressoras devem aumentar 1,6 por cento, para US $ 679 bilhões.

Os novos recursos oferecidos nos telefones lançados no mercado não parecem estar impressionando o suficiente para justificar a atualização por parte dos usuários, especialmente em um momento de incerteza econômica, disse Lovelock.

"Estamos procurando os sinais de deslocamento econômico agora", disse Lovelock. As nuvens no horizonte econômico incluem a saída iminente do Reino Unido da UE, as tensões comerciais entre os EUA e a China e a possibilidade de aumento das tarifas em todo o mundo, que injetam incerteza nos planos de negócios. "É difícil para um banco de Londres fazer planos para gastar muito em tecnologia quando não sabe qual será o modelo de negócios pós-Brexit", disse Lovelock.

As questões macroeconômicas são uma grande preocupação para os executivos de negócios. Lovelock observou que a pesquisa mais recente realizada pela Duke University mostra que 46% dos entrevistados acreditam que uma recessão ocorrerá em 2019.

No entanto, a previsão de 3,2% de crescimento de gastos de TI do Gartner para 2019, embora seja um pouco menor do que o crescimento de 3,9% registrado em 2018, permanece bastante forte.

"Há coisas acontecendo no nível fundamental sobre por que as pessoas estão comprando a TI e o que planejam fazer com ela que mudou drasticamente - a maneira como ganhamos dinheiro está mudando", disse Lovelock.

Em outras palavras, apesar das questões geopolíticas que pesam nas mentes dos líderes empresariais, o driver básico para os gastos com tecnologia - a Transformação Digital - está aqui para permanecer como uma força motriz para a TI.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail