Home > Gestão

CIO por um dia: estudante de TI conhece rotina de Lilian Hoffmann, da BP

CIO Magazine Brasil levou Gabriel Santos da Rocha, do curso de Sistemas de Informação, da Impacta, para acompanhar o dia a dia da líder de tecnologia

Déborah Oliveira

01/04/2019 às 9h55

Foto: Divulgação

De um lado Gabriel Santos da Rocha, 20 anos, bolsista do Instituto IT Mídia, estudante do primeiro ano do curso de Sistemas de Informação, na Impacta, em São Paulo. Do outro, Lilian Hoffmann, CIO da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, com mais de 30 anos de carreira em TI no setor de saúde. A CIO Magazine Brasil reuniu os dois para o projeto “CIO por um dia”, criado com o intuito de promover uma troca genuína de conhecimento entre líderes e futuros líderes e o resultado foi de muito aprendizado, como destacam eles.

Rocha chegou logo cedo à BP e se encontrou com Lilian para sua primeira reunião do dia. Na pauta, uma discussão técnica sobre a aquisição de novos servidores. Lilian validava a proposta com seu gerente de infraestrutura, sob o olhar atento do estudante. Enquanto isso, a CIO fazia ligações para legitimar alguns aspectos de projetos com as áreas e, então, solicitar requisitos para serem discutidos com o fornecedor.

“Rocha contou que achava aquelas tarefas burocráticas e me questionou se eu não sentia falta de escrever códigos. Nesse momento, pude perceber que os jovens são motivados pela inovação e criatividade”, conta Lilian, acrescentando que por vezes o trabalho do CIO é mais burocrático, mas essa é etapa essencial para preparar as bases para a inovação. “Brinquei com ele que em algum momento ele terá de optar por partir para uma área de gestão ou técnica.”

O estudante contou que ficou impressionado com a reponsabilidade da CIO de lidar com processos tão críticos. “Lidar com grandes quantias em contratos é delicado. Se ela fosse leiga no assunto, certamente sairia perdendo na negociação”, avaliou.

Para ele, o extrato que teve do dia em que ficou com Lilian, que é adepta do estilo de gestão colaborativo, foi a prova de que o dia a dia de um CIO pode ser bastante estressante, mas muito gratificante. São muitas decisões, muitas reuniões e conversas com pares e ainda com o time para tomar as melhores decisões. “Uma palavra que define Lilian é determinação. Ela se formou em uma área que não tinha nada a ver com TI e com determinação enxergou a oportunidade, cresceu na área e se especializou. Esse foi meu maior aprendizado”, revelou.

De enfermeira a CIO

Lilian cursou Enfermagem Obstétrica na Universidade de São Paulo (USP) não porque queria, mas o destino a levou para esse caminho. No ano em que ia prestar vestibular, sua casa foi alvo de um assalto e seus pais estavam em um momento de reestruturação financeira. Assim, ela colocou como meta passar em uma universidade pública. “A nota de corte em enfermagem não era tão alta e encontrei uma oportunidade”, lembrou ela.

Durante o curso, Lilian se apaixonou pela profissão, mas o gosto por exatas, alimentado na infância, nunca desapareceu. “Pensava em fazer engenharia”, comentou.

No quinto ano, começou a trabalhar como estagiária no Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo. Era o início da fase do centro de processamento de dados (CPD) e ela foi convidada pela referência de enfermagem Lore Cecilia Marx para conduzir um processo de inserção de dados do paciente no sistema de faturamento do hospital.

“A Lore tinha a crença de que o melhor dado era aquele que ia para o sistema a partir da digitação de quem produzia. Ela era contra a enfermeira anotar e a informação ser incluída no sistema pelo time do CPD”, lembrou.
Lilian, então, aprendeu a usar a tecnologia e treinou as enfermeiras para imputar dados no sistema de cobrança. Formou-se pouco tempo depois e foi convidada a trabalhar na área de TI do hospital. “Cheguei a fazer 20 partos antes de direcionar minha carreira para TI”, revelou.

Aprendeu a programar, fez MBA em tecnologia e foi convidada para assumir toda a TI do hospital. Depois de 22 anos no Oswaldo Cruz migrou para a TI da Rede D'or São Luiz, onde permaneceu por cinco anos, até assumir a área de Tecnologia da Informação da BP, há cinco anos. Ao olhar para trás, Lilian comenta que a vida foi generosa com ela. “Migrei para a TI e meu filho acabou, por vontade própria, cursando engenharia”, comemorou.

Do Direito para Sistemas de Informação

Rocha ingressou em um curso de capacitação em TI na área de desenvolvimento Web no Instituto de Oportunidade Social (IOS), mantido pela Totvs, e elegeu a área de Sistemas de Informação por incentivo de familiares e colegas. “Queria ser advogado, mas todo mundo me aconselhava a cursas tecnologia. Eles diziam que é uma área em expansão, com muitas oportunidades de trabalho e pouca mão de obra qualificada. Acho que essa é a combinação perfeita”, comentou.

O interesse pelo tema, no entanto, sempre esteve presente, lembrou ele. Como típico integrante da geração Millennial, Rocha revela que não sabe como é o mundo sem tecnologia. “Desde pequeno cresci com tecnologia e gostava de entender esse universo desmontando brinquedos.” Atualmente no primeiro semestre do curso de Sistemas de Informação, Rocha adora programação e quer seguir carreira na área.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail