Home > Gestão

CIO da Eurofarma aposta em gestão colaborativa para engajar time

Daniel Ferreira uniu-se ao time em projeto pioneiro de SAP 4/Hana e levou para casa o prêmio Executivo de TI do Ano em Indústria Farmacêutica

Déborah Oliveira

20/03/2019 às 21h51

Foto: Divulgação

Foi por influência do irmão que Daniel Ferreira ingressou no mercado de Tecnologia da Informação (TI). Onze anos mais velho do que ele, o irmão já atuava na área no mercado financeiro e seguir seus passos foi natural, uma verdadeira inspiração. Entre as áreas de desenvolvimento, suporte e microinformática, Ferreira optou pela primeira e logo iniciou a programar. “Dizem que uma vez programador, sempre programador”, brinca o executivo.

No início da sua carreira, Ferreira trabalhou em uma software house. Ficou lá por três anos até partir para a Eurofarma, uma das maiores indústrias farmacêuticas, 100% nacional e presente em 20 países. Ingressou como programador há 19 anos e há poucos dias foi promovido a diretor de TI.

Em quase duas décadas na TI da empresa, Ferreira destaca uma série de projetos de sucesso realizados por ele e seu time, como a implementação do ERP nos anos 2000, ainda como analista, a internalização dos negócios apoiado em TI e a adoção de processos e tecnologia para governança e segurança da informação.

“O desenho da TI atual é bimodal, com um centro de serviços compartilhado e uma TI corporativa. Somos uma área mais leve e menor, preparando a empresa para o futuro e para uma nova fase da transformação digital”, contou o vencedor do prêmio Executivo de TI do Ano 2019, promovido pela IT Mídia, na categoria Indústria Farmacêutica.

O dinamismo da empresa desafia Ferreira e seu time a fazer mais e melhor todos os dias. Foi com essa premissa em mente, que a TI ganhou o status de pioneira na América Sul ao realizar a primeira conversão do SAP ECC 6.0 para o S/4 Hana, atualizando todos os dados, programas e configurações das 28 empresas em 13 países que utilizam o SAP. No paralelo, houve a implementação de um Centro de Serviços Compartilhados (CSC), englobando os processos das áreas de RH, Compras, Fiscal e TI de todas as unidades e subsidiárias do Grupo Eurofarma.

A modernização foi motivada por uma atualização tecnológica da própria SAP, que até 2025 deixará de prestar suporte a versões anteriores de seu ERP. Mas nem por isso, contudo, o processo foi menos desafiador. “A decisão ficou entre mudar agora ou depois, em razão do pioneirismo do projeto. Sabíamos o preço de sermos os primeiros e entendíamos que trilhar esse caminho era mais difícil”, conta ele.

Nadando contra a maré do mercado, a TI optou, então, por atualizar seu principal sistema, em que mais de 80% dos processos de toda a Eurofarma passam por ele. “Atualizamos a base tecnológica e estamos preparados para conectar no sistema novas tecnologias, desde indústria 4,0, internet das coisas (IoT) e sensores, com mobilidade. Todos os investimentos em novas funcionalidades estão no S/4 Hana”, revela.

Ferreira indica que apesar de o projeto ter registrado sucesso absoluto, com faturamento desde o primeiro dia, alguns entraves surgiram no meio do caminho. Segundo ele, o sistema anterior somava 15 anos de dados, com mais de 70 mil tabelas, que foram reduzidas para 2 mil. Esse quadro gerou um esforço gigantesco do time.

“Mudou a estrutura de dados do sistema. Era como tentar encaixar um círculo no quadrado menor. De um projeto, surgiram outros sete”, contou ele, destacando o trabalho de apoio tanto da fabricante alemã de software, quanto do parceiro Infosys como vitais para o projeto. Com tudo resolvido, a ordem do dia é trabalhar em melhorias contínuas em um projeto que tem começo, mas não tem fim.

Melhorias

O novo sistema entrou no ar em janeiro de 2019 e alguns benefícios já puderam ser apurados. Ferreira destaca o ganho de produtividade. Antes, um fechamento que rodava em 12h consome agora menos de 2h. Além disso, a mobilidade da plataforma revela indicadores em tempo real, favorecendo as tomadas de decisão de forma mais rápida e assertiva.

A implementação no paralelo do CSC também gerou sinergia dos processos entre as subsidiárias da Eurofarma. Aqui, o destaque ficou por conta da participação ativa do time na reorganização da área.

Lançando mão da metodologia Design Thinking, o time pôde contribuir com ideias sobre a melhor formação organizacional para atingir os objetivos de negócios da empresa. “O resultado foi excelente. As pessoas se sentiram confiantes para expor suas ideias e por meio delas conseguimos reorganizar a área e criar o departamento de Governança & Segurança da Informação com as mesmas pessoas que já atuavam no time. O aprendizado que ficou foi sobre a importância de colocar as pessoas no centro, ouvi-las de forma aberta e assim criar um ambiente de confiança para atingir resultados”, assinala.

Papel do líder

À frente de um time de 40 pessoas globalmente, Ferreira define seu estilo de gestão como altamente colaborativo e participativo. A confiança é sua bandeira, indica. “Sempre tive em mente que quando fosse gestor, poderia adotar meu estilo, que é focado nas pessoas. Assim, sempre trabalhei para estabelecer um ambiente de confiança para que o time se desenvolva.”

Esse modelo, indica, gera ótimos resultados. “Tenho muito orgulho de dizer que minha área realiza muitas entregas”, diz. Somente em 2018, contabiliza, foram 80 projetos de TI. Atualmente, são 111 trabalhos em cima da mesa para execução.

Consumir mais tempo no planejamento é mais seguro e adequado. Este é umdos maiores aprendizados adquiridos por Ferreira ao longo do projeto de migração do SAP. “Em geral, a pressão e os prazos sempre acabam encurtando essa fase, mas a conta chega depois. Aqui foi diferente. Apostamos pesado no planejamento. Adiamos duas vezes o go live porque ele nos permitiu atestar que não era um bom momento”, ensina ele.

Para ele, outro fator de sucesso para qualquer líder é a comunicação aberta e transparente entre todos os níveis organizacionais, elemento-chave para alcançar grandes objetivos, além de dar abertura para escutar e ser flexível quando necessário.

Finalistas do prêmio Executivo de TI do Ano 2019 – Indústria Farmacêutica

1º Daniel Ferreira, diretor de TI da Eurofarma

2º Rodrigo Aguiar, diretor de TI da Merck

3º Gildasio Rocha, diretor de TI da Biolab Sanus Farmacêutica

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail