Home > Gestão

CEOs que gostam de mudanças

Entretanto, existe um gap significativo entre a expectativa em relação às mudanças e a capacidade de gerenciá-las

07/05/2008 às 12h39

board_int.jpg
Foto:

Um estudo realizado pela IBM junto a 1,1 mil CEOs de 40 países mostra que os líderes corporativos vêem positivamente as possíveis mudanças futuras. Segundo a pesquisa, 83% dos CEOs entrevistados esperam mudanças substanciais no futuro – 68% dos executivos brasileiros compartilham essa expectativa –, e vêem a situação como aumento de oportunidades.

Entretanto, a capacidade das empresas de gerenciar essas mudanças, na visão dos próprios CEOs, não deve ser suficiente. Globalmente, os números mostram que há um gap de 22% entre a expectativa e a capacidade das companhias. A América Latina surpreende nesse quesito e apresenta gap de apenas 5%.

Entre as principais fontes das mudanças futuras, os CEOs apontam a atual base de clientes – e planejam investimentos substanciais para atender às necessidades dos mesmos. Os consumidores classificados como “famintos por informação” são a principal preocupação dos líderes.

Segundo o estudo, esse grupo de clientes está trocando o papel passivo por um envolvimento mais intenso, tanto com as empresas quanto com os demais clientes. São os chamados “consumidores 2.0”. Surpreendentemente, os CEOs não vêem esse tipo de cliente com uma ameaça e, somente no Brasil, a intenção dos executivos é de aumentar em 23% os investimentos para atender aos consumidores “famintos por informação”.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail