Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
CIO vs. CTO: como promover uma melhor colaboração para avançar a tecnologia
Home > Carreira

CIO vs. CTO: como promover uma melhor colaboração para avançar a tecnologia

Linha entre as funções de CIO e CTO está cada vez mais indefinida. Veja como essas funções se diferenciam e como estão se convergindo

Bob Violino, CIO (EUA)

23/09/2021 às 9h22

Foto: Shutterstock

A maioria das funções e responsabilidades dos executivos são bastante distintas e bem definidas: os CFOs são responsáveis por todas as operações financeiras; COOs supervisionam as operações diárias; e os CEOs gerenciam toda a empresa, por exemplo.

Com CIOs e CTOs, no entanto, as funções e responsabilidades às vezes podem ficar confusas. O fato de que a tecnologia e como as organizações a usam muda tão rapidamente não ajuda em nada. No entanto, muitas empresas têm um CIO e um CTO, e é importante que os dois trabalhem em harmonia para maximizar os benefícios da tecnologia.

CIO vs. CTO: definindo funções de chefe de tecnologia

As responsabilidades diárias do CIO e do CTO podem se sobrepor, dependendo da organização e de como ela está estruturada. Mas, na maioria dos casos, é o CIO que supervisiona a TI interna e seu valor estratégico para os negócios, enquanto o CTO fica por dentro das tecnologias emergentes e cria políticas e procedimentos que alavancam a tecnologia para melhorar os produtos e serviços entregues aos clientes.

“Eu vejo o papel do CIO como o papel mais amplo, em particular com o alinhamento de TI e estratégias de negócios”, disse James Rinaldi, Consultor-Chefe de TI do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA. “O CIO tem responsabilidade geral pela automação, modernização de processos e arquitetura de dados. A função do CTO é mais eficaz na avaliação de tecnologias emergentes e sua adoção na empresa. O CTO também avalia as tendências e compara com o que os outros estão fazendo”.

Um CTO normalmente se concentra na "criação de grandes experiências e ofertas para os clientes e parceiros de uma organização", diz Vishal Gupta, que atua como CTO e CIO - bem como Vice-Presidente Sênior de Tecnologia Conectada - na fabricante de produtos de impressão e imagem Lexmark.

“Para fazer isso, eles precisam formar uma parceria eficaz com as equipes de vendas para dar-lhes acesso a clientes e parceiros estratégicos e, em seguida, trabalhar em colaboração com esses clientes e parceiros para criar inovações para o amanhã”, diz Gupta. “Um dia típico [para o CTO] concentra-se na colaboração com quatro partes interessadas principais: marketing e vendas, clientes e parceiros, equipes de tecnologia e o ecossistema externo”.

Além dessas partes interessadas, os CTOs precisam ajudar suas organizações a construir um "roteiro de inovação para transformar sua organização, então eles também precisarão fazer parceria com executivos em várias linhas de negócios, bem como seu conselho e formar parcerias estratégicas com outros CTOs da indústria e de fornecedores-chave”, diz Gupta.

Os CIOs, por outro lado, “estão focados no que está acontecendo hoje e permitem experiência e automação para seus funcionários”, diz Gupta. “Ambas as funções exigem um conhecimento profundo da tecnologia e de como ela pode ser usada para criar resultados desejáveis para suas organizações, e ambas são responsáveis pela experiência de seus stakeholders. Eles também podem se sobrepor, pois ambos precisarão de talento em tecnologia e ambos precisarão de recursos como design thinking para criar ótimas experiências”.

“O CIO geralmente é mais voltado para dentro quando se trata de negócios, enquanto um CTO é mais voltado para tecnologia, arquitetura, engenharia e produto”, diz Ash Athawale, Diretor Gerente Sênior do Grupo de Prática de Busca de Executivos da Robert Half. “O CIO definirá a visão e fará parceria com o CTO para concretizar essa visão. A sobreposição está na estratégia e no panorama do produto, bem como nas entregas do cliente”.

Em muitas organizações, quando os CIOs sentem a necessidade de ter um tecnólogo na equipe, é quando eles procuram um CTO, diz Athawale.

Em organizações que têm um CIO e um CTO, o CTO normalmente tem mais conhecimento técnico e especialização, de acordo com o Bureau of Labor Statistics (BLS) dos EUA. Quando uma empresa não tem um CIO, é o CTO que determina a estratégia geral de tecnologia, diz o BLS.

“Em certo sentido, um CIO tem muito a ver com liderança operacional”, diz Ozgur Aksakal, Presidente do Global CTO Forum, uma organização global independente para profissionais de tecnologia. “A pessoa mais próxima do CIO em uma organização seria o COO. Seu objetivo é operar a empresa de forma eficiente”.

Por outro lado, “uma função de CTO é muito mais sobre a criação de receita para a organização”, diz Aksakal. “O que você espera de um CTO é que ele desenvolva vantagens competitivas que o diferenciem no mercado. Você não vê o CTO como um centro de custo. É um centro de lucro. O CTO trabalha com desenvolvimento de produtos, marketing, engenharia e vendas para expandir a empresa”.

Os CTOs podem prosperar em segmentos de mercado como tecnologia financeira (FinTech), tecnologia de seguros (InsurTech), tecnologia jurídica (LegalTech) e outros, onde o foco está principalmente no desenvolvimento de ferramentas para aprimorar as operações nesses setores.

“Todos esses campos, como o FinTech, tratam da criação de inovação e produtos por meio da tecnologia de escalonamento”, diz Aksakal. “Veja as empresas mais inovadoras de qualquer setor. Todas elas são movidos pela tecnologia. E quando você pensa na pessoa responsável por essa tecnologia, você pensa no CTO”.

Maior sinergia entre as funções de CIO e CTO

Os títulos de CIO e CTO estão se tornando mais intercambiáveis ​​do que nunca, diz Craig Stephenson, Diretor Administrativo da North America Technology Officers Practice da empresa de consultoria organizacional Korn Ferry.

“Vemos cenários em que as empresas transmitem uma mudança transformacional por meio de uma mudança de título”, diz Stephenson. “Em alguns casos, [o] CTO pode permanecer focado em infraestrutura, em outros também podemos ver o CTO como o líder mais estratégico da função de tecnologia. Para aumentar a complexidade e confusão, agora estamos vendo o título de Diretor de Informações Digitais ou Diretor de Tecnologia Digital”.

O relacionamento CIO-CTO se tornou muito mais sinérgico nos últimos anos, diz Gupta. “Como resultado, como minha função atual na Lexmark, é mais comum ver CITOs - pessoas que ocupam as duas funções”, diz ele. Ao buscar criar um novo nível de transparência de informações em toda a empresa, a Lexmark descobriu que era útil mesclar seus grupos de pesquisa e desenvolvimento de TI e software sob um único líder, e é por isso que combinou as funções, diz ele.

“Queríamos criar um conjunto de recursos compartilhados, como design thinking e data science e plataformas em nuvem, que pudessem ser aproveitados por ambas as funções para acelerar os resultados”, diz Gupta.

A transformação digital também está ajudando a convergir essas funções, diz Gupta, porque as empresas muitas vezes não conseguem lançar novas soluções usando tecnologia como a internet das coisas (IoT), nuvem e inteligência artificial (IA) sem aproveitá-las internamente para entender como funcionam e os benefícios e desafios que elas trazem.

“Assim como os CTOs, os CIOs devem agora olhar continuamente para o que vem por aí para manter suas organizações resilientes e preparadas para o futuro contra quaisquer desafios que o amanhã possa trazer”, diz Gupta.

Colaboração CIO-CTO

Os especialistas concordam que faz sentido que os CIOs e CTOs trabalhem juntos sempre que possível para maximizar os benefícios da tecnologia para a organização.

Esses executivos “podem trabalhar melhor juntos entendendo suas diferenças e equilibrando seus pontos fortes”, diz Wendy Pfeiffer, CIO da empresa de software Nutanix.

CTOs são engenheiros técnicos - eles usam tecnologia para criar produtos e recursos, diz Pfeiffer. “Eles são construtores e suas equipes funcionam melhor quando os membros da equipe são produtivos e sem restrições. Os CIOs são engenheiros operacionais - eles usam tecnologia para fornecer serviços de negócios e permitir a produtividade dos funcionários. Eles são operadores e suas equipes funcionam melhor quando os membros da equipe são eficientes e eficazes. CIOs e CTOs podem se conectar e colaborar em torno de seu objetivo comum de produtividade dos funcionários, enquanto cada um traz forças exclusivas para suportar uma missão corporativa compartilhada de capacitação de negócios por meio de excelentes produtos e sistemas”.

As organizações podem tomar várias medidas para promover um relacionamento forte entre seus CIOs e CTOs. Uma é manter as linhas de comunicação abertas. “Para ter sucesso, os CIOs, CTOs e suas equipes devem se reunir regularmente para construir confiança e uma compreensão mais profunda do que o outro lado está procurando alcançar”, diz Gupta. “Ter uma comunicação aberta e transparente… ajudará ambas as organizações a desenvolver mais empatia e colaboração entre si”.

Rinaldi, que diz que a relação entre as duas funções evoluiu para uma relação de confiança mútua, onde o CIO pode contar com o CTO para alinhar as oportunidades de tecnologia aos planos do CIO, acha que esses executivos devem frequentemente comparar benchmarks e visualizar tendências para ver o que é mais eficaz para a empresa.

“Os esforços de inovação em TI são fortalecidos se o CTO tiver grandes habilidades de comunicação”, diz Rinaldi. “Frequentemente, o CTO pode fazer protótipos e trabalhar com unidades de negócios para descobrir novas abordagens para os negócios. Isso ajuda a organização de TI em geral a se manter relevante”.

Outra boa prática é compartilhar conhecimento sempre que possível. “Se sua organização está enfrentando um desafio específico, como dimensionar um projeto específico, é provável que seus clientes [internos] também estejam”, diz Gupta. “Ao combinar seu conhecimento e trabalhar juntos para resolver problemas é mais provável que ambas as equipes se beneficiem. Na Lexmark, reunimos nossos caminhos de aprendizagem de tecnologia para esses dois grupos em áreas como nuvem e IA”.

Para evitar disputas territoriais, as equipes de TI e CTO devem buscar um terreno comum.

“É natural que cada parte da organização tenha uma maneira diferente de enfrentar os desafios, de acordo com suas respectivas funções”, diz Gupta. “Mas existem maneiras de ajudar os dois lados a chegarem a um acordo”.

Por exemplo, a Lexmark trabalhou para quebrar os silos de dados e tornar os dados acessíveis a todos na organização, criando um data lake comum. “Como resultado, vamos permitir que os dados informem nossas decisões, o que ajudou a minimizar conflitos e construir confiança mútua na abordagem”, diz Gupta. “Outra área de terreno comum poderia ser o recrutamento e o desenvolvimento de talentos em tecnologia. Recentemente, alavancamos em nosso grupo de TI os relacionamentos de recrutamento da faculdade que foram construídos pela equipe de tecnologia”.

Ambos os executivos devem ter como objetivo remover os pontos de atrito, tendo uma boa governança sobre as decisões de TI e investimentos em tecnologia, diz Rinaldi. “O CIO e o CTO não devem ter uma relação competitiva e podem se beneficiar mutuamente como uma parceria”, diz ele.

Snippets HTML5 default Intervenções CW
Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15