Home > Gestão

AWS, Azure ou Google Cloud? 10 razões para ajudar em sua escolha

Para escolher a nuvem que atenda a sua transformação é preciso, antes de tudo, ser exigente

Peter Wayner, Infoworld (EUA)

02/12/2019 às 10h00

Foto: Shutterstock

A nuvem começou como um negócio de commodities. Ah, claro, havia pequenas diferenças como o tamanho da RAM ou a maneira como as CPUs virtuais eram medidas, mas a nuvem oferecia um suprimento aparentemente interminável de máquinas aparentemente idênticas. Elas executavam as mesmas distribuições e respondiam da mesma maneira na linha de comando. E se você estalasse os dedos, os provedores de serviços em nuvem dariam raiz a outro.

Manter tudo igual era a maneira mais fácil de atrair os desenvolvedores. Máquinas de commodities significam que não há surpresas ou falhas. Todas as nuvens ofereciam os sistemas operacionais mais populares, onde todos os bits eram organizados exatamente da mesma maneira. O grande problema para os gerentes é a escolha.

Se o Ubuntu 18.04 é o mesmo em todos os lugares, que diferença faz se você seleciona o hardware do Google, Microsoft ou Amazon? Se as principais distribuições são suportadas em todos os lugares, como você decide? Para tornar a escolha mais difícil - mas consumir mais fácil - o espaço é muito competitivo.

Os desenvolvedores das empresas de nuvem têm ideias inteligentes, mas que são rapidamente copiadas. O genial se torna mediano muito rapidamente. Como escolher? Você não pode simplesmente jogar uma moeda. Isso não é nada científico - mesmo que você use óculos e jaleco.

Se perceberem que você está jogando uma moeda para tomar a decisão, saberão que não será necessário esperar que a inteligência artificial seja boa o suficiente para substituir o gerente de compra. A empresa pode substituí-lo agora mesmo por um macaco e uma moeda. A solução é ficar mais exigente.

Leia mais na IT Trends

Sim, você provavelmente poderia se contentar com qualquer um dos produtos básicos de qualquer uma das nuvens principais - ou muitas das nuvens não tão importantes também - mas quem quer passar a vida apenas sobrevivendo?

Ser exigente parece mesquinho, mas é realmente o começo da inovação, a ponta da lança que inicia uma mudança real. É realmente ser sensível às diferenças importantes e levá-las em consideração. Para ajudar nesse processo, seguem 10 razões diferentes para escolher uma das principais nuvens. As razões não são inequívocas, porque geralmente é possível realizar a mesma coisa usando um dos concorrentes. Mas apenas porque é possível, não significa que você deva fazê-lo.

APIs

Todas as nuvens oferecem várias APIs inteligentes e sofisticadas, como o Cloud Vision do Google, o serviço de Machine Learning do Azure ou o GameOn da Amazon. Existem centenas, e elas facilitam muito a criação do seu próprio código. Não há razão para que você não possa invocar essas APIs a partir de qualquer nuvem, ou realmente de qualquer computador na Internet. Mas às vezes você precisará do desempenho resultante da execução na mesma rede e até no mesmo data center. Se alguma nuvem oferece o que você precisa, pode ser um pouco mais rápido executar grande parte das suas operações também.

Localização

Todas as nuvens têm data centers espalhados pelo mundo. A Microsoft Azure, por exemplo, está presente em 54 regiões e observa cuidadosamente onde quando os dados estão "em repouso" e qual governo tem soberania. Talvez você tenha uma grande coleção de clientes em um país. Talvez o departamento jurídico tenha identificado uma “característica” especial e particularmente lucrativa da lei tributária de outro.

Existem dezenas de razões estranhas e muitas vezes peculiares pelas quais você pode querer que seu o código seja executado em um país ou em outro. A maioria desses centros de dados são clones uns dos outros, e faz sentido manter a mesma pilha em todo o mundo. Apenas torna as coisas mais simples. A única ressalva é que nem todos os data centers são clones perfeitos e nem todos os produtos estão disponíveis em todos os locais.

Molho especial

Embora os recursos de computação e armazenamento sejam basicamente mercadorias, cada uma das nuvens oferece alguns produtos que se destacam. O Firebase do Google, por exemplo, é um banco de dados que migra automaticamente as informações corretas para o cliente. O Glaciar S3 da Amazon armazenará dados a longo prazo a um preço muito baixo. A Microsoft possui o Azure Cosmos DB, um banco de dados que oferece suporte a vários modelos de dados. Não há motivo para você não poder reunir serviços de nuvens diferentes, mas geralmente é um pouco mais simples e rápido comprar as suas mercadorias na mesma nuvem.

Integrações de desktop

As nuvens estão todos os cantos das grandes empresas e, muitas vezes, existem sinergias entre as diferentes divisões. Se o seu escritório usa o Google G Suite, todos se sentirão um pouco mais à vontade trabalhando com alguns dos serviços do Google Cloud Platform. O Excel da Microsoft é uma das maneiras padrão pelas quais muitas organizações trabalham com dados e pode importar dados do Azure ou trabalhar com o Azure Analysis Services. Os velhos hábitos são difíceis de perder, e as interfaces da área de trabalho são alguns dos hábitos mais antigos das empresas.

Instâncias spot

Se você é um verdadeiro crente nos mercados livres ou apenas gosta da emoção de “ganhar” um leilão, a Amazon oferece um mercado de poder computacional que permite que o preço se ajuste à oferta e à demanda. Esse é um ótimo recurso para o trabalho que não precisa ser realizado em nenhum momento específico. Trabalhos em lotes e relatórios mensais podem esperar até que o preço esteja baixo o suficiente. Lembre-se de que a demanda pode aumentar em momentos inesperados. Alguns dos serviços de streaming, por exemplo, usam a nuvem para lidar com a demanda extra nas noites de sexta e sábado.

Descontos automáticos

O Google oferece um mecanismo de preços que não exige nenhuma reflexão da sua parte. Quando a sua instância é executada por mais de 25% do mês, você começa a obter desconto por volume. Sem negociações. Sem novos contratos. Não é possível mudar para um plano diferente. O preço simplesmente cai. Eles os chamam de "descontos de uso sustentado".

Pilha da Microsoft

É difícil negar o domínio que a Microsoft teve sobre muitas equipes de desenvolvimento corporativo ao longo dos anos. Se a sua pilha nasceu durante a era .NET e continua a usar muitas partes da Microsoft, há uma boa chance de você achar mais fácil escolher o Azure. Não é estritamente necessário, porque os outros provedores de nuvem rodam em máquinas Microsoft. Além disso, existem bons contêineres cheios de código da Microsoft que serão executados em qualquer lugar. Mas às vezes não há nada como a nossa casa.

Versões do SO

As diferentes versões dos sistemas operacionais, na maioria das vezes, são exatamente iguais. O Ubuntu 18.04 provavelmente se comportará exatamente da mesma maneira em qualquer uma das nuvens. Pelo menos pode parecer assim. Mas, às vezes, há pequenas diferenças nos kernels - e às vezes essas mudanças aparecem no desempenho durante o benchmarking. As nuvens oferecem as suas próprias versões dos sistemas operacionais e, geralmente, faz sentido usá-las, se possível.

Benchmarks

As instâncias soam como mercadorias, mas existem diferenças sutis entre arquiteturas e a velocidade dos vários componentes. A comparação do seu código em diferentes plataformas e tipos de máquinas faz muito sentido e pode revelar que algumas nuvens oferecem uma melhor relação custo / benefício. Muitas das máquinas dentro das nuvens se parecem com versões diferentes, e a única diferença real é o número de núcleos da CPU ou a quantidade de RAM. Apesar disso, às vezes existem diferenças arquiteturais que podem afetar o desempenho do seu código.

Logo

Pode soar algo banal, mas você verá o logo da nuvem escolhida todo dia quando você checar suas instâncias. É bom que você goste dele.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail