Home > Gestão

Arquiteto de aplicações, por que ter um?

Demanda por aplicações Web 2.0 faz aumentar procura por este profissional

CIO (EUA)

19/03/2008 às 12h18

Arquiteto de sistemas_int.jpg
Foto:

Descrição do cargo: Nos últimos cinco anos, o título de arquiteto de aplicações tem sido utilizado exageradamente nos círculos de TI, sem consenso quanto à sua definição. “É um título que soa bem e todo mundo quer ter, a ponto de se tornar desvalorizado, como o dólar americano”, compara   Dave Van De Voort, diretor da Mercer Human Resource Consulting. Cargos de engenheiro de software, programador e desenvolvedor, entre outros, forem rebatizados como arquiteto de aplicações, ainda que as tarefas desempenhadas em cada sejam bastante diferentes.

Um autêntico arquiteto de aplicações tem uma visão e um entendimento abrangentes do cenário de software da organização, assegurando que projetos individuais sigam a metodologia e os parâmetros de desenvolvimento. “Ele atua como um consultor para desenvolvedores e como um guarda da arquitetura”, define Van De Voort.

Por que é um emprego quente? Novos projetos de desenvolvimento de aplicações surgiram na esteira de novas tecnologias de software e muitas empresas estão implementando aplicações Web 2.0 como blogs e wikis, fazendo integração de software e habilitando aplicações existentes para web, segundo John Estes, vice-presidente da Robert Half Technology. "Nos últimos dois ou três anos, este cargo ganhou muito peso por causa de uma verdadeira avalanche de fatores", justifica Estes. Os arquitetos de aplicações também são profissionais de TI seniores que fazem um trabalho muito especializado. A demanda é grande porque não existem muitos profissionais deste tipo qualificados, explica Van De Voort.

Ao longo de sua carreira, Gabe Cortina, diretor de aplicações da divisão de diabetes da Medtronics, contratou vários arquitetos de aplicações e confirma que não é fácil encontrar pessoal bom. "Muitas pessoas se dizem arquitetas, mas, na verdade, não são", afirma Cortina, membro da Society for Information Management.

Por que você precisa de um: O arquiteto de aplicações “pilota” um projeto do começo ao fim e garante que ele se encaixa na infra-estrutura de tecnologia e na estratégia de negócio da organização. Normalmente, os arquitos de aplicações são necessários em grandes organizações que têm não apenas um conjunto de aplicações amplo e diversificado que precisa ser integrado, mas também uma série de novos projetos de desenvolvimento de aplicações, dizem os especialistas.

Habilidades desejadas: No mínimo cinco anos de experiência prática em desenvolvimento de aplicações, com vasto conhecimento de plataformas, linguagens e tecnologias de desenvolvimento. Habilidades excepcionais de planejamento e projeto são fundamentais. Os arquitetos de aplicações também têm que ser excelentes desenvolvedores de software. Esta habilidade é importante porque o arquiteto ganha o respeito e a confiança da equipe de desenvolvedores e, tendo conhecimento de codificação, não vai “super arquitetar” o sistema, observa Cortina.

Não existe certificação para arquiteto de aplicações: os candidatos adquiriram ou não a experiência e o conhecimento necessários. "Case a experiência deles com a plataforma na qual vão trabalhar na sua empresa", ensina Jim Lanzalotto, vice-presidente de estratégia e marketing da Yoh.

Como encontrá-los: Bons lugares para recrutar candidatos são as divisões de consultoria dos fornecedores de serviços de TI, como IBM Global Services, e dos fornecedores de aplicações, como Oracle e SAP, e também entre os arquitetos de aplicações experientes nas organizações de TI.

O que procurar: Os candidatos devem ser solucionadores de problemas e ter habilidades pessoais para liderar grupos de desenvolvedores talentosos e, muitas vezes, dogmáticos, de acordo com Estes. "Programação é uma arte e as pessoas têm idéias diferentes sobre como projetar, implementar e testar código, portanto você precisa ser um bom juiz." Habilidades de gestão de projeto também são fundamentais. E é obrigatório um entendimento profundo das metas de negócio da organização. "O arquiteto de aplicações tem que entender o problema de negócio, ante de tudo, e ser capaz de examinar um vasto leque de soluções de tecnologia, sendo muito importante que ele não tenha preconceitos em relação a tecnologias", complementa Cortina.

Faixa salarial: US$80 mil a US$120 mil anuais

Rodada eliminatória: Um bom candidato deve ser capaz de explicar detalhadamente um projeto de desenvolvimento de aplicação específico que ele chefiou do início ao fim, com detalhes concretos sobre todo o ciclo de vida do projeto, incluindo design, análise, teste e implementação, diz Estes. "Se ele não conseguir fazer você entender tudo, talvez seja um programador, mas não um verdadeiro arquiteto.”

Evoluindo por conta própria: Os candidatos internos familiarizados com o software da organização contam com um argumento convincente. Os desenvolvedores de aplicações seniores devem ter a necessária experiência para evoluir para o cargo de arquiteto de aplicações, apontam os especialistas.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail