Home > Notícias

Alibaba reivindica novo recorde em compreensão de linguagem natural

Durante provas, sistema de IA da gigante chinesa teria superado as pontuações humanas ao responder questões reais de usuários

Da Redação

11/07/2019 às 17h56

Foto: Shutterstock

A gigante chinesa Alibaba afirmou nesta semana que um de seus programas de Inteligência Artificial (IA) obteve pontuação recorde em um teste de compreensão de leitura. O resultado mostra como as máquinas estão melhorando suas capacidades no processamento de linguagem natural.

O algoritmo foi criado por cientistas da Academia DAMO, divisão de pesquisa da Alibaba e testado pelo Microsoft Machine Reading Comprehension (MS Marco). Durante as provas, o sistema de IA foi capaz de superar as pontuações humanas ao responder questões reais que usuários do Bing fizeram no passado.

Para melhorar a capacidade da máquina, a Alibaba desenvolveu uma técnica que remove textos irrelevantes antes de tentar responder a uma pergunta. Além disso, o sistema leu milhares de conteúdos para aprender a passar informações mais corretas.

Com essa otimização, a expectativa é de que a companhia consiga aperfeiçoar chatbots e tornar as pesquisas na web mais natural. Para Lou Si, vice-presidente da DAMO e principal responsável pela pesquisa, o sistema será, também, parte fundamental das ofertas de nuvem da Alibaba, podendo até auxiliar a acabar com as barreiras linguísticas entre os diferentes negócios.

Apesar das habilidades da IA da Alibaba mostrar que a tecnologia pode alcançar capacidades humanas, Li afirma que o programa não pode ser considerado melhor na compreensão de leitura. Na verdade, a máquina é capaz de responder a perguntas sobre determinados assuntos de forma melhor do que as pessoas, em média. Por outro lado, o sistema apenas faz reconhecimentos de padrões estatísticos, ou seja, não compreende o significado das palavras.

“Ainda há uma longa jornada à nossa frente para que as máquinas usem a linguagem tão livremente quanto os humanos”, diz Li. “Na maioria das vezes, as máquinas respondem a perguntas baseadas em fatos recuperados dos documentos, mas não possuem habilidades de raciocínio... Isso é diferente de como os seres humanos usam a linguagem.”

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail