Home > Tendências

A biometria dupla pode ser a resposta de autenticação que precisamos

Ela resolve um grande problema da autenticação biométrica e abre algumas possibilidades intrigantes

Evan Schuman, Computerworld/EUA

02/06/2017 às 15h26

CIObiometria6252.jpg
Foto:

Um problema importante da autenticação biométrica é que, quando elanão funciona, existem poucas boas opções para prosseguir com a autenticação. Quando o sistema diz que não é o seu globo ocular, não há nenhum retorno semelhante ao famoso  "Esqueceu sua senha?" É preciso recorrer a algum método de autenticação menos criterioso, como um PIN, limitando os recursos acessados.

Alguns fornecedores estão tentando lidar com isso usando um método simultâneo, multi-biométrico. "Simultâneo", é importante frisar, porque usar dois métodos consecutivamente levaria mais tempo, resultando na resistência dos usuários finais e em taxas de participação mais baixas.

Um dos fornecedores que vem fazendo sérios avanços na busca de formas interessantes de usar biometria dupla é a Sensory.

Primeiro, a empresa percebeu que sobrepor um fator biométrico em cima de outro simplesmente aumentaria a taxa de erro. Quando você usa dois métodos de autenticação e um problema com qualquer um leva a uma falha na autenticação, corre o risco de rejeita a autenticação de muitas pessoas.

E os dois métodos que usa - reconhecimento de voz e facial - podem falhar por vários motivos. A escolha inicial por esses dois fatores foi porque eles são altamente compatíveis para a autenticação simultânea. A natureza de uma varredura de retina, por exemplo, quase exclui fazer qualquer outra coisa ao mesmo tempo. 

voice

Isso faz com que as configurações de sensibilidade de Sensory sejam importantes. A empresa normalmente recomenda permitir a autenticação de qualquer um - o reconhecimento de voz e facial essencialmente atua como o backup do outro, então, se algum deles inabilitar o acesso, o outro ainda permiti-lo. Em teoria, então, o usuário não terá um problema a menos que seja barrado pelos dois mecanismos. Situação que embora não seja impossível, é altamente improvável. As probabilidades são a seu favor dos usuários.

Essas configurações indulgentes não agradarão a todos os clientes, é claro, mas o nível de sensibilidade pode ser ajustado. É possível até mesmo variar oa ajustes de uma função para outra. Um banco, por exemplo, poderia usar uma sensibilidade alta para autenticações para transferir dinheiro, e uma sensibilidade de nível médio para a consulta a saldos. Mais simplesmente, poderia estabelecer maior sensibilidade de autenticação para maiores quantidades reais envolvidos na transação.

Outro aspecto interessante é que esses níveis de sensibilidade mais altos podem ser usados ​​para frustrar tentativas de falsificação. O vídeo pode enganar o reconhecimento facial, e as gravações podem enganar o reconhecimento de voz. Ao usar uma abordagem bi-biométrica com configurações que exigem pelo menos reconhecimento de um nível baixo de voz e alto ou médio para a face, ou vice-versa, a falsificação é mais difícil.

biometriaface

De acordo com Gordon Haupt, diretor sênior de tecnologias de visão da Sensory, sua equipe está trabalhando para conectar os pontos entre os dois métodos. A ideia é que em vez  de reconhecimento de voz e reconhecimento facial operando como fluxos separados para a autenticação, ambos fariam parte um do outro. Por exemplo, o sistema julgaria se os lábios parecem estar dizendo as palavras que o microfone está ouvindo.

"Estamos olhando a forma como seus lábios se movem quando você diz a sua frase secreta", disse Haupt. 

Sim, a Sensory está tentando criar um sistema de autenticação biométrica que pode ler os lábios.

Isso certamente deve tornar a falsificação mais difícil. E Sensory permite o uso de passphrases que mudam de usuário para usuário e são decididas aleatoriamente por um algoritmo. Se é impossível para um ladrão conhecer a frase secreta de antemão, isso torna a falsificação exponencialmente mais difícil.

Pense no potencial de acesso ao caixa eletrônico. O software pode ser treinado para detectar o medo extremo (expresso pelo rosto ou pela voz) em alguém que não está sozinho. E isso poderia alertar a lei que alguém possivelmente está sendo feito para retirar dinheiro a ponto de armas.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail