Home > Willian Ferreira

7 dicas para separar gastos pessoais dos da empresa

Empreendedores e funcionários de empresas podem adotar hábitos simples. Confira

admin

18/04/2019 às 18h30

Foto:

Muitos empreendedores têm problemas com o começo dos seus negócios. E isso pode não ter nada a ver com a produtividade e a eficiência da empresa, mas, sim, por conta da dificuldade em manter a companhia operando fora do vermelho. É claro que o início de uma nova marca traz compromissos financeiros, mas a tendência é que tudo se estabilize. E caso este equilíbrio demore para acontecer, é importante que o empreendedor possa repensar algumas ações.

Atitudes simples podem ajudá-lo na importante tarefa de separar o fluxo financeiro pessoal do empresarial. Tais ações fazem com que, pelo hábito, o dono da empresa se acostume a não fazer a compra do mês de sua casa com o cartão de crédito corporativo, por exemplo.

Para ajudar os empreendedores neste aspecto, separamos as principais dicas para que podem ajudá-lo a evitar problemas e dores de cabeça no futuro:

1. Organização

Mais do que uma dica para o profissional, é uma dica para a vida. Apenas empresários organizados conseguem lidar com a correria cotidiana de quem monta e gere uma PME. Como muitos imprevistos podem ocorrer, é necessário que a organização seja uma aliada para evitar problemas com algo novo e inesperado. Ao se organizar melhor, naturalmente as surpresas negativas se tornam mais raras.

2. Pagamento

Deve se tornar cláusula pétrea para o empreendedor: jamais se deve pagar uma conta pessoal com o dinheiro da empresa. O grande desafio é não criar o hábito. Ou seja: não pagar absolutamente nada com o fluxo de caixa da companhia. O fluxo de caixa do negócio é do negócio.

3. Pró-labore

Os empresários contam com uma remuneração fixa, chamada de pró-labore. Entre outras coisas, ele contribui para que o lucro vá direto para a conta pessoal do empresário, mantendo os fluxos de caixa separados. Dentro de um planejamento, também é importante definir se haverá ou não PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e, se sim, qual a porcentagem.

4. Contabilidade

Não tenha receio de contratar ou fazer algum tipo de parceria com um profissional da área de contabilidade. Além de garantir os compromissos fiscais sem erros, também faz com que mais tempo disponível para o trabalho apareça. Outra opção é utilizar aplicativos de contabilidade, que possuem design interativo e facilitam a vida do empreendedor.

5. Antecipações

A tecnologia, cada vez mais, facilita a vida do empreendedor. Muitas novas alternativas surgem para ajudá-lo. Ferramentas como a Adianta, por exemplo, oferecem antecipação de recebíveis para pequenas e médias empresas e agilidade na concessão de crédito e taxas de juros e tarifas mais competitivas para seu público. Pode ser uma alternativa para acelerar os seus negócios ou resolver alguma questão de fluxo de caixa.

6. Contas

É imprescindível que a conta pessoal do empreendedor e a da empresa sejam diferentes. Além de definir um pró-labore, vale considerar ter as contas PJ e PF em bancos separados. O mesmo vale para os cartões de crédito e talões de cheque. Assim, é mais fácil controlar melhor os recebimentos e o fluxo de caixa, evitando que o pessoal se misture com o profissional.

7. Reservas

Momentos de prosperidade devem ser curtidos com moderação. É a hora, também, de criar um fundo de reserva, que deve, também, receber investimentos constantemente. É interessante reservar um valor fixo ou percentual mensal. Isso vale tanto para o empreendedor quanto para a empresa.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail