Home > Gestão

6 soft skills que a TI precisa para ter sucesso na Era Digital

As principais habilidades para a Transformação Digital são um conjunto incomum, muito diferente daquele ao qual estávamos acostumados no passado

Mary K. Pratt, CIO/EUA

13/11/2018 às 9h38

softskills_270552521.jpg
Foto:

Os CIOs têm um problema em relação à sua força de trabalho.

À medida que suas empresas aproveitam a automação, a Inteligência Artificial e outras tecnologias de ponta para se reconstruírem em organizações digitais, eles estão descobrindo que não têm as habilidades necessárias em suas equipes para dar conta da mudança.

Considere alguns números divulgados pelo Gartner neste outono:  70% dos funcionários não dominam as habilidades necessárias para seus trabalhos existentes, enquanto 80% não têm as habilidades necessárias agora e para o futuro sucesso profissional.

Além disso, apenas 44% dos mais de 2.500 CIOs entrevistados para um relatório recente da Robert Half Technology consideram ter a funcionários adequados às novas funções. E 77% acreditam que encontrar pessoas com habilidades digitais atualizadas é desafiador. Pior ainda, 38% das empresas que responderam a um relatório recente da Nintex indicaram que as iniciativas de transformação não atenderam às expectativas devido à falta de talentos.

Os principais executivos devem agir na identificação de habilidades que suas equipes de tecnologia precisam para ter sucesso nos esforços de transformação digital hoje e nos próximos anos. A PwC, por exemplo, tem um programa de "aprimoramento digital" para ensinar aos seus mais de 50 mil funcionários o que eles precisam saber para que a empresa seja bem-sucedida no futuro.

“Nós tivemos que capacitar as pessoas em toda a empresa de forma diferente, incluindo nossa equipe de TI, para sobreviver e prosperar. Tivemos que trazer todos, incluindo nossa equipe de TI, para um nível compartilhado de perspicácia digital e conscientização digital ”, afirma o Diretor Digital da PwC, Joe Atkinson.

A PwC está aprimorando a fluência digital de seus funcionários para o trabalho com dados, incluindo domínio de storytelling, Inteligência Artificial e robótica - como muitas outras organizações. Atkinson diz que são apenas algumas das habilidades críticas necessárias para seguir em frente. Os funcionários também precisam identificar e definir problemas, serem ágeis e terem uma mentalidade focada na experiência dos usuários, diz ele.

As principais habilidades para a Transformação Digital são um conjunto incomum, muito diferente daquele do passado, com a expertise em tecnologia compartilhando características profissionais não tradicionalmente exigidas dos tecnólogos. Criatividade, flexibilidade cognitiva e inteligência emocional já estão em forte demanda e espera-se que sejam ainda mais desejáveis ​​em três anos, segundo estudo recente da Deloitte.

Aqui estão as principais habilidades sociais consideradas críticas para a transformação digital, agora e nos próximos anos.

1 - Considerar a perspectiva geral
À medida que mais departamentos de TI adotam metodologias ágeis  e gestão de produtos, os CIOs começam a precisar de mais funcionários que entendam como suas contribuições se encaixam na empresa como um todo, afirma David Collins, vice-presidente sênior de TI do Addison Group.

"Eles querem alguém capaz de ver o quadro geral, em vez daquele profissional capaz de focar apenas naquilo que está fazendo", diz ele.

O tecnólogo deve pensar no negócio como um todo, em como sua contribuição pode afetar um projeto ou um fluxo de trabalho e em como seu trabalho se integrará bem com outros sistemas - tudo isso ajuda a garantir um funcionamento mais suave, mais rápido e empreendimentos de TI mais bem-sucedidos, explica Collins.

Collins entrevistou recentemente um candidato que discutiu como ele ajudou a identificar as necessidades de negócios e criou aplicativos que atendiam a essas necessidades, juntamente com o impacto que cada aplicativo exercia sobre os negócios e a tecnologia usada em cada aplicativo. É esse tipo de talento que as empresas precisam, acrescenta o executivo.

2 - Ter empatia pelo cliente
A mudança para gerenciamento de produto versus o tradicional gerenciamento de projeto aumentou tanto a prevalência quanto a importância da posição de gerente de produto. Os líderes de TI dizem que os tecnólogos que se saem melhor nessa função são aqueles que simpatizam com os usuários. Sentir empatia por seus clientes.

"Estamos afalando aqui de entender o que o cliente precisa e como atender a essas necessidades", diz Dean Pipes, arquiteto-chefe de inovação da TetraVX. 

Os consultores de gerenciamento dizem que os departamentos de TI precisam de funcionários que não estejam apenas focados em responder aos clientes, mas que possam ser verdadeiramente centrados no cliente, e entendam o que os clientes sentem sobre a tecnologia que usam.

“Eles precisam pensar na experiência do cliente. Você pode ser o melhor desenvolvedor que já existiu, mas se não puder interagir e entender os clientes, não será tão valioso para a organização ”, diz Ryan Sutton, presidente do distrito nordeste da Robert Half Technology.

3 - Poder atuar como um consultor
Donagh Herlihy, vice-presidente executivo e CTO da Bloomin Brands, empresa proprietária de várias redes de restaurantes informais, diz que a TI precisa estar na vanguarda e ajudar as organizações a desenvolver seus roteiros estratégicos e influenciar a tomada de decisões investimentos digitais.

No entanto, Herlihy descobriu que mesmo dentro de sua própria organização os tecnólogos não contribuíam muito durante as reuniões multifuncionais.

"Havia uma lacuna em termos de sua capacidade de influenciar, comunicar e auxiliar seu pares de outras áreas e membros da diretoria", diz Herlihy.

Ele especula que tal comportamento é remanescente dos dias em que a TI se contentava apenas em satisfazer as necessidades das áreas de negócio. No entanto, hoje em dia, a TI precisa ajudar a definir a direção e o modo de pensar. "Precisamos de habilidades de consultoria", acrescenta ele.

Herlihy trabalhou com a Ouellette & Associates Consulting para desenvolver habilidades de consultoria entre membros da sua equipe de tecnologia, ajudando-os a construir confiança e expressar melhor suas opiniões para influenciar os resultados.

“Estamos dando a eles as habilidades de que precisam para trabalhar nesse mundo de equipes multifuncionais nas quais não estão recebendo requisitos, mas [em vez disso] trabalhando mais diretamente com os líderes de negócios, para que tenham confiança para expressar suas opiniões de modo a influenciar todos nós”, diz Herlihy.

softskills

4 - Ser bom de marketing e promover a área
Quando a Deloitte perguntou aos CIOs sobre qual era a percepção da área de TI nas suas empresas, apenas 14% disseram que seus colegas de negócio veem a tecnologia como líder de mercado, enquanto 87% disseram que a empresa os vê como seguidores rápidos, atrasados ​​ou inadimplentes.

Essas percepções podem ser precisas em muitos casos, mas Dan Roberts, CEO da Ouellette & Associates, diz que os líderes de negócios muitas vezes não dão crédito suficiente para suas equipes de TI porque as equipes de TI não são excelentes em divulgar seu próprio valor.

A TI precisa melhorar o seu próprio marketing, diz Roberts. A equipe de TI - do CIO para baixo - precisa se tornar uma embaixadora do departamento de tecnologia, criando consciência do seu valor para o negócio.

“Toda a noção de ter um conjunto de habilidades de marketing é crítica hoje em dia. Mas é dominando técnicas de marketing que podemos comunicar uma nova visão e mudar a narrativa, desenhando a imagem do que é possível”, diz Roberts.

Herlihy concorda, dizendo que é algo que ele pretende incutir em seus próprios funcionários.

“As pessoas de TI tendem a ter uma mentalidade avessa à buscar atenção. Acreditamos que se fizermos um bom trabalho, o trabalho falará por si. É um dos poucos lugares nos negócios em que essa é a mentalidade padrão ”, diz ele. “Mas promover o valor da TI não é ruim. Ajuda a ter certeza de que, à medida que entrarmos em discussões difíceis sobre alocações de recursos, a TI será uma área apreciada. Isso é importante porque, em um mundo onde a TI está impulsionando a transformação, estar sob alocação não coloca a TI, nem o negócio, em risco”.

5 - Saber fazer apresentações
Com a equipe de TI dirigindo a Transformação Digital em muitas organizações, os CIOs esperam que os membros da equipe liderem colegas de trabalho durante os processos de mudança. Como parte disso, os funcionários de TI não estão apenas nas reuniões - eles estão frequentemente conduzindo-as.

Há muitos aspectos positivos nesse cenário, diz Sutton, com um dos benefícios mais importantes sendo que a TI ouve diretamente dos usuários sobre o que eles precisam. Há menos exigências de retorno e mais comunicação direta e interação que levam a melhores informações sobre as necessidades de negócios e os requisitos dos usuários.

No entanto, os tecnólogos encarregados de conduzir reuniões devem levar suas habilidades de comunicação a um nível totalmente novo para obter sucesso e colher esses benefícios.

“Os executivos estão se afastando dizendo: 'Este é o seu projeto; você o apresenta. Então eles precisam saber como conduzir uma reunião, seja virtual ou pessoalmente. Eles precisam de habilidades de apresentação para que possam realizar um webinar ou uma teleconferência. Essa é uma habilidade completamente diferente do que você esperava que os tecnólogos tivessem anos atrás ”, diz Sutton.

6 - Ter uma mente curiosa e vontade de aprender o novo
A Transformação Digital levou à criação de novas funções dentro da empresa.

A Robert Half Technology, em seu relatório Staffing Digital Projects, aponta os evangelistas, o Scrum master, o especialista em soluções de software, o diretor de desenvolvimento e o estrategista de UX como posições novas que as empresas devem considerar ter.

Os CIOs, analistas do setor e consultores de gerenciamento também citam a necessidade contínua de mais especialistas em cibersegurança e especialistas em dados, bem como um crescente interesse nas habilidades necessárias para alavancar tecnologias emergentes como IA e automação. E observam que os departamentos de TI precisarão de mais tecnólogos que possam trabalhar com sucesso em equipes de produtos e em ambientes ágeis, se quiserem ter sucesso na Era Digital.

Mais importante, no entanto, é ter funcionários que tenham interesse e capacidade de aprender constantemente para que, tanto  eles, quanto o departamento de TI e toda a organização estejam melhor preparados para acompanhar o ritmo das mudanças tecnológicas.

A habilidade tecnológica média hoje dura 18 meses, o que significa que uma tecnologia e as habilidades necessárias para usá-la podem ficar obsoletas em meros anos. Os departamentos de tecnologia não podem ter tecnólogos que aprendam apenas uma habilidade e passem anos utilizando-a; eles precisam de trabalhadores que possam aprender rápido e se adaptar rapidamente.

Atkinson diz que a PwC fala sobre isso como “aprendizado infinito". “Essa é a maior habilidade para nós”, ele diz, “o desejo de aprender sempre. Isso é muito mais importante hoje.”

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail