Home > Tendências

5 tendências que moldarão o blockchain em 2020

Segundo estudo da IBM, blockchain ganhará novas vocações a medida que outras tecnologias adjacentes abrem a porta para novas capacidades

Da Redação

27/02/2020 às 12h00

Foto: Shutterstock

A tecnologia que sustenta as criptomoedas, o blockchain, ainda não atingiu todo o seu potencial nas companhias. Segundo relatório recente do Gartner, o blockchain para a maioria das indústrias, ainda transita entre as expectativas.

Entretanto, em 2019, a tecnologia ganhou maior interesse, a medida que foi expandida para incluir organizações que buscam agregar valor a ela. Para especialistas, foi um ano crucial. Mas o que podemos esperar para o blockchain em 2020?

Em seu "Estudo de Economia Blockchain de 2019", a IBM, por meio do IBM Institute of Business Value, apontou o que deve ser destaque para o blockchain neste ano. Para criar o relatório, o estudo entrevistou mais de 1.000 pessoas de negócios e tecnologia.

Surgirão modelos de governança pragmáticos

Com a maior adoção do blockchain se aproximando, a governança se tornará um fator chave. No entanto, a criação de um modelo de governança no qual todos os participantes concordem pode ser um desafio. De fato, foi visto que 41% das organizações acreditam que a falta de padrões uniformes de governança entre parceiros é o desafio mais importante para avançar sua prova do conceito (PoC) de Blockchain ou ecossistema mínimo viável (MVE).

CIO2503

E-book por:

Segundo o estudo da IBM, em 2020, começaremos a ver novos modelos de governança que permitem que grandes e variados consórcios tratem da tomada de decisões, permitam esquemas e até pagamentos com mais eficiência.

A interconectividade está um passo mais perto da realidade

"O sucesso do blockchain depende da colaboração de várias partes", destaca o estudo. Entretanto, a expansão da tecnologia dependerá da interconectividade, o que cobrará uma vocação das companhias para a nuvem híbrida e para o multi-cloud. "Com o potencial de dezenas, centenas ou até milhares de participantes em uma rede, não podemos esperar que cada parte de uma rede use o mesmo provedor ou incorpore um novo ambiente de computação para um único aplicativo", lembra a IBM.

O caráter multi-cloud e da nuvem híbrida permitirá a todos os atores da cadeia selecionar a plataforma blockchain sem depender da infraestrutura na qual seus dados estão hospedados. "O blockchain deve permitir a facilidade de utilização de tudo o que as empresas necessitam, em ambientes híbridos de nuvem, multi-cloud e locais; e, desta forma, fazer com que a tecnologia permita a transformação das empresas e indústrias", aconselha o relatório.

Outras tecnologias serão combinadas com blockchain para criar uma vantagem competitiva ainda maior

A medida que as soluções blockchain capturam milhões de pontos de dados e se espalha pelo mundo, elas abrem a porta para novas capacidades. Tecnologias adjacentes como internet das coisas (IoT), 5G, inteligência artificial (IA) e Edge Computing, para citar algumas, irão combinar-se com blockchain para gerar valor agregado para os participantes da rede. Por exemplo, espera-se que as soluções blockchain se combinem com Internet das Coisas e IA para se tornarem os principais aceleradores dos mercados habilitados para blockchain no futuro.

Desta forma, os dados mais confiáveis de blockchain irão informar melhor e fortalecer os algoritmos.

As ferramentas de validação começarão a combater fontes de dados fraudulentas

De acordo com o estudo, 88% das instituições acreditam que garantir padrões de comunicação de dados para as redes blockchain é um fator importante para que toda a indústria se junte a uma rede blockchain. Sendo assim, não há dúvida de que confiança e transparência são essenciais, mas em um mundo onde os dados são coletados e transferidos mais rápido do que nunca, entende-se que haverá inconsistências nesses dados, seja devido a erro humano, seja por causa de pessoas mal-intencionadas.

Com a necessidade de mais mecanismos de proteção de dados, este ano as soluções de blockchain usarão ferramentas de validação junto com os mecanismos de criptografia e IoT, que ligam os ativos digitais ao mundo físico injetando dados externos nas redes. Isto melhorará a confiança e eliminará a dependência da inserção manual de dados, que muitas vezes são propensas a erros e fraudes.

As moedas digitais regulamentadas continuarão a avançar

Tokens, moedas digitais e moedas digitais respaldadas pelo Banco Central têm sido um tema de crescente interesse para os mercados de capitais. Tokenizar ativos e títulos, convertendo-os em fichas digitais e depois negociar, trocar e resolver a custódia desses ativos digitais está transformando a eficiência, segurança e produtividade dos mercados de capitais. De fato, 58% das organizações pesquisadas concordam que podem obter novas fontes de receita ao tolkenizarem os ativos trocados em um mercado habilitado para blockchain.

Além disso, novas organizações e regulações foram implementados para facilitar a criação, gestão, comercialização e liquidação de tais fichas digitais e moedas.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail