Home > Carreira

5 passos separam o líder bonzinho de um bom líder

Algumas preocupações e mudanças simples em seu dia a dia podem fazer toda a diferença

Da Redação, com Daniel Harkavy (CIO/EUA)

30/01/2019 às 19h15

Foto: Shutterstock

A diferença entre um líder bonzinho e um bom líder é enorme, mas a linha que separa o profissional dos dois extremos é bastante tênue. Assumir uma liderança é, muitas vezes, assustador. O líder se sente obrigado a controlar sua equipe e, ao mesmo tempo, se tornar próximo dela, construindo uma relação confortável e de confiança.

Para comandar equipes com sucesso, gerentes e executivos precisam administrar a produtividade, contratar e manter talentos. Mas, apesar de todos estarem cientes disto, são poucos os que têm um planejamento a respeito ou mesmo alguma ideia de como fazê-lo.

Os problemas começam quando os limites vão ficando de lado e, para agradar, o líder perde o respeito da equipe. Janaina Manfredini, coach na Effecta Coaching, lista as diferenças entre um líder bonzinho e um líder bom.

1. O bonzinho mantém a imagem de amigo, enquanto o bom mostra quem é o líder
Os dois podem manter uma boa relação com os funcionários e fazer do ambiente de trabalho um lugar confortável para todos. A diferença é que o líder bonzinho, sem saber como cobrar da equipe e querendo manter a amizade, acaba até pegando as tarefas dos outros para si com medo de gerar um mal-estar. O líder bom conquista respeito e cobra resultados. Com respeito, deixa claro que ali é local de trabalho, onde tem combinados que precisam ser seguidos.

2. O bonzinho faz vista grossa, enquanto o bom cobra resultado
O líder bonzinho não briga, não reclama e faz vista grossa. Tem medo de dizer não aos funcionários e evita chamar atenção mesmo quando as demandas não estão sendo cumpridas. Um líder bom senta com os funcionários e discute o que deve manter e o que não está legal, sempre com educação, mas sem deixar se abater. Sabe dizer não, incentiva e é justo, chama atenção quando precisa, e também comemora as vitórias.

3. O bonzinho tem funcionários acomodados, enquanto o bom tem funcionários motivados
Muitos funcionários gostam desse líder bonzinho, mas ele não é o modelo ideal para o desenvolvimento de um time, e nem para o crescimento de uma empresa. Sem a postura de liderança, a equipe ouve meias verdades, fica acomodada, desmotivada e, com isso, não evolui. O líder bom consegue manter uma equipe com vontade de crescer e apresentar resultados, garantindo o compromisso sincero em relação a objetivos e metas individuais, grupais e sentimento de realização.

Como se diferenciar
Se você quiser diferenciar-se verdadeiramente, precisa avaliar suas próprias habilidades. Um líder de sucesso tem sua equipe sob controle não por meio de cobranças, monitoramento ou ameaças. Mas, sim, graças a um bom preparo para o cargo.

A principal lição é ouvir. A equipe não pode ser procurada para dar ideias e falar o que pensa apenas diante das crises. Ouvir é um exercício constante de um bom líder.

Também, como mentores, os líderes devem transmitir suas experiências de forma que elas sejam aprendizados para todos. Claro que liderança pede características pessoais que nem todos que têm. Mas, com um bom treinamento, os resultados podem ficar cada vez melhores.

Um integrante da equipe que sabe que o seu superior direto se interessa realmente por ele, por temas de dentro e fora do trabalho, tem mais boa vontade, está preparado a ajudar, a dar o seu melhor. Para você, as vantagens também são evidentes.

Um líder que ajuda e estimula a equipe é sempre bem-visto na companhia, simplesmente porque isto aumenta a produtividade. E mesmo se você fizer sua equipe produzir o mesmo, mas com menos esforço, também estará no lucro, já que garantirá a satisfação do empregado. Isso sem contar a recompensa pessoal de saber que você está fazendo a diferença na vida das pessoas.

Confira 5 passos que o ajudarão a ser um bom líder.

1 – Treine a habilidade de escutar. Faça um planejamento para os próximos meses e defina objetivos a alcançar.

2 – Crie seu modelo de treinamento. Como você poderá despender tempo com cada um dos seus funcionários? Quanto tempo cada sessão poderá durar? Sugiro começar com uma sessão de 60 minutos ao mês. Muitos líderes têm preferido falar com todos os funcionários num mesmo dia ou em dois, no máximo.

Rodrigo Rodrigues

3 – Faça o convite pessoalmente para conquistar os funcionários. Compartilhe suas expectativas e seu desejo de que alcancem níveis superiores na empresa. Deixe claro que, durante as conversas, eles serão o assunto.

4 – Não fale apenas uma vez com cada um. Dê um feedback, com suas impressões, suas conclusões.

5 – Faça relatórios sobre as conversas, com os temas discutidos e possíveis acordos – você se comprometeu a entregar algo ou estipulou datas para algumas definições? Antes de cada nova sessão de conversa, leia o que escreveu, para não deixar erros e promessas vazias.

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail