Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
5 falhas que podem ocorrer na sua migração para a nuvem
Home > Gestão

5 falhas que podem ocorrer na sua migração para a nuvem

Migrações para a nuvem devem beneficiar o aplicativo, a TI e os negócios. Veja como evitar as principais armadilhas

Andy Patrizio, Infoworld

22/11/2019 às 12h05

Foto: Shutterstock

Para a maioria das empresas, a migração para a nuvem não é mais uma questão de se, mas quando. Ao mover aplicativos para a nuvem, você pode melhorar a segurança, o acesso aos dados, a escalabilidade e a flexibilidade da TI, bem como reduzir custos. No entanto, esteja avisado: nem todas as implantações na nuvem ocorrem sem problemas. As migrações geralmente demoram mais que o esperado ou falham completamente, resultando em perda de tempo e despesas.

Não é incomum descobrir, depois de mover um aplicativo para a nuvem, que ele não funciona tão bem quanto no local. Dessa forma, o resultado pode ser apenas outra migração - de volta ao data center. Um estudo recente, patrocinado pelo provedor de segurança Fortinet e conduzido pelo especialista em cadeia de suprimentos IHS Markit, constatou que muitas empresas, 74% das pesquisadas, transferiram um aplicativo baseado em nuvem de volta ao local após não obter os benefícios previstos.

Esse não é um problema novo. Basta fazer uma pesquisa no Google sobre falhas de migração para a nuvem para conferir exemplos que remontam a vários anos. Estamos discutindo o problema há algum tempo, e ele não acontece por uma falha de tecnologia, mas por uma falha de liderança.

Confira as cinco principais causas de falhas na migração para a nuvem e o que você pode fazer para ter sucesso nessa jornada.

Falha na migração para a nuvem nº 1: falta de um bom parceiro

O primeiro passo é perceber que você não pode fazer isso sozinho, especialmente no começo. Você precisará de um parceiro, seja uma empresa global de serviços profissionais como a Accenture ou uma consultoria local. E essa é uma decisão que deve ser tomada com deliberação cuidadosa e algumas contribuições externas. Idealmente, você tem uma rede de colegas em seu setor que podem ajudá-lo a escolher o auxílio certo para o trabalho.

CIO2503

E-book por:

"Escolha seu parceiro com cuidado. Obtenha referências. Você precisa de um parceiro que possa orientá-lo no processo, que possua não apenas recursos técnicos, mas também recursos de gerenciamento de mudanças”, diz Joshua Greenbaum, presidente da Enterprise Application Consulting.

Um bom especialista em migração para a nuvem pode ajudar a identificar os melhores aplicativos a serem movidos, determinar como integrar sistemas e serviços herdados e planejar e executar a migração. Um bom parceiro também pode ajudá-lo a elaborar uma estratégia eficaz, seja híbrida ou multicloud.

Falha na migração para a nuvem nº 2: falha na adaptação à nuvem

Um dos erros mais comuns que as empresas cometem é permitir que seus aplicativos sejam executados na nuvem da mesma maneira que nas instalações locais. Segundo Tim Crawford, presidente da Avoa, esse é um erro enorme e comum. "Os aplicativos no local estão acostumados a consumir recursos no pico", explica Crawford.

“A nuvem foi projetada para usar recursos quando você precisar e devolvê-los quando não precisar. Mas o aplicativo tradicional não é construído com o nível de autonomia e orquestração para tirar proveito da nuvem.” Muitos clientes esquecem que cada bit executado em uma nuvem pública é medido - e terão que pagar por isso. Eles permitem que aplicativos não modificados sejam executados a todo vapor, consumindo ciclos de computação, e a conta chega um mês depois.

Simplesmente levantar e mudar um aplicativo para a nuvem é uma receita para a falha, no mínimo. Na pior das hipóteses, você fará o caminho inverso e voltará a operar no local.

Falha na migração para nuvem nº 3: não ter as habilidades certas

Se você acha que pode gerenciar sua nuvem pública ou mesmo nuvem híbrida com as antigas habilidades e abordagens - estrutura ITIL, processos em cascata, aplicativos monolíticos, silos operacionais, etc. -, você terá uma surpresa desagradável. Você precisa de habilidades para gerenciar infraestrutura dinâmica, contêineres, automação, microsserviços e assim por diante. As novas tecnologias ajudarão, mas atrair, treinar e reter talentos qualificados ainda é fundamental.

“Um modelo operacional em nuvem afasta a TI do gerenciamento de software tradicional, estático e monolítico, usando ferramentas herdadas locais, para um ambiente de serviços altamente distribuídos, dinâmicos, atomizados e abstratos, gerenciados com várias soluções pontuais frequentemente baseadas em nuvem”, observa Andi Mann, principal advogado de tecnologia da empresa de análise Splunk.

"A TI precisa de novas habilidades para gerenciar as próprias plataformas em nuvem e também os contêineres, microsserviços, APIs, sistemas SaaS e assim por diante."

Falha na migração para a nuvem nº 4: não trazer as partes interessadas

Os projetos precisam de uma governança muito boa, e isso significa envolver todos os interessados na transformação para a nuvem. Muitas vezes, os projetos são conduzidos pelo departamento de TI, que apenas informam os impactados depois da conclusão do projeto. "Isso é muito mais comum do que alguém admitiria", declara Greenbaum.

“Muito disso é o gerenciamento básico de projetos, verificando se as pessoas certas estão no comitê de direção e obtendo as informações certas. Muitas vezes, eles não são convidados até que seja tarde demais." Um exemplo que Greenbaum encontrou recentemente foi uma empresa que fez uma mudança significativa na experiência do cliente no processo de mudança para a nuvem. Infelizmente, eles não levaram em conta o impacto na cadeia de suprimentos. Como resultado, a equipe da cadeia de suprimentos não fez parte da revisão de vendas. Somente após a migração, os membros do grupo da cadeia de suprimentos perceberam o que havia acontecido e descobriram que não podiam atender à nova demanda gerada pela mudança.

Falha na migração para a nuvem nº 5: expectativas irrealistas

Uma mudança para a nuvem pode oferecer grandes benefícios - velocidade, agilidade, redução de custos, foco estratégico, escalabilidade, alcance e muito mais - mas também pode introduzir riscos legítimos. Obter o máximo proveito de uma implantação na nuvem começa com evitar a atração do ciclo de hype e ter expectativas realistas sobre o que você pode alcançar e sobre novos riscos em potencial.

A liderança espera especialmente economizar dinheiro com a nuvem, mas esse nem sempre é o caso, principalmente se você cometer a falha nº 2 desta lista e não reprojetar o seu aplicativo. Os adotantes da nuvem geralmente também esperam poder fazer muito menos trabalho em áreas adjacentes, mas a infraestrutura da nuvem substitui apenas os servidores, e não o pessoal de TI.

Não pense que você pode mudar para a nuvem e se livrar de todos os seus DBAs, operações de segurança, engenheiros de service desk e outros especialistas em software. E se você estiver executando uma nuvem híbrida como a grande maioria das empresas, ainda precisará de suporte de hardware.

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15