Recursos/White Papers

Tecnologia

Slack aprimora recursos de segurança e compliance

Plataforma de colaboração anunciou novidades para o serviço Enterprise Grid, que oferece suporte para até 500 mil usuários

Da Redação, com Computerworld/EUA

Publicada em 12 de abril de 2018 às 08h07

O Slack revelou essas semana um conjunto de recursos de segurança e compliance para impulsionar o seu produto Enterprise Grid entre administradores e gerentes de TI.

Diferente da versão tradicional do serviço, que costuma ser adotado por equipes, o Enterprise Grid oferece gerenciamento centralizado do aplicativo de chat por toda a companhia e suporta até 500 mil usuários.

Um ano após o seu lançamento, o Enterprise Grid já foi implementado por 150 empresas pelo mundo. A maior implementação foi feita pela IBM, que possui mais de 110 mil usuários diários ativos. Além disso, existem diversos outros clientes da plataforma que possuem entre 50 mil e 100 usuários diários.

A lista dos maiores clientes do Slack inclui agora nomes como Capital One, Target e Conde Nasté.

Novidades
Entre os novos recursos está a adição de uma página de Apps no painel Admin Dashboard. A funcionalidade melhora a visão geral de como os apps são usados e gerenciados em todos os ambientes da organização, fornecendo insights sobre quem instalou o app, por exemplo, ou em quais canais eles são usados.

“Assim você pode fazer uma auditoria dos seus apps por toda a organização”, destaca o diretor de produtos corporativos do Slack, Ilan Frank. 

Também será possível implementar ou restringir um app em toda a companhia. Uma empresa pode, por exemplo, decidir instalar um bot auxiliar desenvolvimento internamente em todos os ambientes de trabalho, aponta Frank, em vez de deixar o controle desse processo para um administrador do espaço de trabalho. 

O Slack também se mexeu para ajudar as grandes organizações que querem adicionar novos usuários à plataforma. Um novo serviço de descoberta do ajuda esses usuários a encontrarem espaços de trabalho relevantes ao digitarem os nomes de colegas com quem trabalham, oferecendo assim mais autonomia.

Frank diz que essa funcionalidade veio em resposta aos clientes corporativos que queriam maneiras para simplificar o processo de trazer os funcionários ao software de colaboração. 

As mudanças mais recentes deixam claro como o Slack está tendo de adaptar o seu produto – inicialmente voltado para equipes ou grupos menores de funcionários – para empresas maiores.  

“Isso não é como uma empresa de 500 pessoas em que você pode enviar as 10 pessoas que começam todo mês para uma aula on-boarding do Slack”, destaca Frank. “Você está falando de uma companhia com 50 mil ou 100 mil pessoas; isso é muito mais complicado.”

O analista sênior da 451 Research, Raul Castañon-Martinez, aponta que os novos recursos devem ajudar a refinar a simpatia com o Slack nas empresas à medida que as implementações da ferramenta cresçam em escala.

“O sucesso do Slack está muito ligado à adoção orgânica, de baixo para cima; isso significa que os funcionários veem valor nele”, diz Castañon-Martinez. “Os novos recursos mostram que o Slack também está acompanhando de perto a outra parte da equação: as exigências das companhias para gerenciamento e segurança. O novo produto mostra o comprometimento do Slack em continuar construindo uma plataforma de grau empresarial.”

Adições de segurança e compliance
O Slack também fez mudanças em seus recursos e processos de compliance. Agora é possível criar um Termo de Serviço customizado que todos os funcionários precisam assinar antes de acessarem o Slack, por exemplo. Esse termo customizado também pode ser aplicado nas contas de convidados - esse modelo, aliás, pode ser diferente do documento fornecido para a equipe e exigir um NDA (acordo de não divulgação de informações).

Além disso, se os termos de serviços forem alterados no futuro, os usuários precisarão assiná-lo mais uma vez para poder continuar acessando o aplicativo.

“Para os nossos grandes clientes corporativos, isso era algo chave para usar um sistema baseado na nuvem”, explica Frank.

O Slack também adicionou melhorias para a segurança e proteção de dados. Uma API Audit Log permite que os administradores monitorem e analisem mais do que eventos críticos nos aplicativos. Isso inclui downloads de arquivos, atividades de login e mudanças de permissão no ambiente de trabalho. A API pode ser integrada em ferramentas de monitoramento como Splunk e Sumo Logic para ficar de olho em atividades incomuns e receber alertas. 

E o Slack melhorou seu suporte de gestão de mobilidade corporativa (da sigla EMM, em inglês). Integrações com mais de uma dezena de fornecedores de EMM foram reveladas no ano passado, incluindo VMware Airwatch, MobileIron e Blackberry Good. Agora, o Slack permitirá que os administradores bloqueiem funções de “copiar e colar” em aparelhos móveis, para evitar o vazamento de arquivos e dados em texto – um recurso que foi solicitado em especial por clientes do setor financeiro, de acordo com Frank.

Slack

A plataforma também trabalha em controles de segurança no próprio aparelho, incluindo códigos específicos para o app e uma função que force o logout.

“Encontrei muitos diretores de segurança da informação (CISOs) e eles dizem ‘Isso é ótimo, nós adoramos o Slack, nossos funcionários adoram o Slack, mas preciso deste recurso, coisas como bloquear o copiar e colar, antes de poder adotar a plataforma na empresa toda’”, revelou Frank. 

Castañon-Martinez afirma que essas melhorias nas funcionalidades de compliance e gerenciamento ajudarão o Slack a ter mais apelo junto aos tomadores de decisão em TI, além de poder “contra-atacar a posição da Microsoft”, uma vez que a empresa de Redmond impulsiona a sua própria ferramenta para chat em grupo, o Microsoft Teams.

Mesmo assim, como uma empresa relativamente nova, o Slack ainda tem mais a fazer para convencer as grandes empresas a investirem em implementações amplas do seu produto, destaca o analista. “O maior desafio para o Slack é mudar a conversa, que por muitos anos foi dominada pelos encarregados habituais do mercado."



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui