Recursos/White Papers

Tecnologia

4 recursos que um bom sistema de monitoramento deve ter

Sistemas de controle são importantes demais e levam muito tempo para chegarem a ser parte do seu fluxo de trabalho para deixá-los ao acaso

Matt Prigge, InfoWorld/EUA

Publicada em 04 de março de 2018 às 11h57

De todas as medidas que devemos implementar em nossas infraestruturas para mantê-las em funcionamento, o sistema de monitoramento é uma das mais críticas e, no entanto, uma das mais negligenciadas. Construir um sistema de monitoramento contínuo para avisá-lo de uma indisponibilidade ou problema iminente, ajuda a escolher rapidamente a solução para um desastre em andamento, ou a solução para problemas de desempenho. No entanto, os calendários de implementação de aplicativos e atualizações de infraestrutura  muitas vezes acabam empurrando a implementação e a manutenção dos sistemas de monitoramento para segundo plano.

Não importa que tipo de sistema de monitoramento você opte por usar, muito raramente eles são turn-key, do tipo configurar e esquecer. A menos que você tenha um ambiente extremamente simples, o acompanhamento de todos os detalhes importantes e a eliminação de distrações desnecessárias e falsos positivos pode ser um processo muito demorado e contínuo.

É importante ser capaz de dimensionar suas opções desde o início e certificar-se de que o tempo que você investirá na ferramenta preferida será um tempo bem gasto. Baseado em minhas experiências de trabalho com uma variedade de pilhas de monitoramento, elaborei uma lista de quatro itens que todo pacote de monitoramento em um ambiente suficientemente complicado deve ser capaz de fazer, se corretamente configurado. Se você identificar a falta algum deles durante a implementação do sistema escolhido, não perca tempo. Arregace as mangas e corrija antes que seja tarde demais.

No. 1 : Vários colecionadores redundantes
A maioria dos sistemas de monitoramento utiliza um serviço de software para fazer o seu levantamento de dados e sondagem. Em alguns casos , este serviço de coleta de dados é realizado pelo mesmo sistema que permite a configuração da emissão de alertas. Outras vezes, o serviço de coleta é um pedaço de software, e você pode ter mais de um. Os sistemas em que você pode implantar mais de um coletor e orquestra-los são definitivamente preferíveis àqueles em que você não pode.

Há duas razões principais para isso. Uma delas é que você pode ser capaz de construir alguma redundância no caso de um coletor ser afetado por um desastre. Outra é que ter múltiplas visões do mesmo item pode ser muito útil. Redes maiores podem se beneficiar de ter coletores instalados em cada local para que um problema com toda a rede possa ser diferenciado de um problema em um único local.

No. 2 : Excelente capacidade gráfica
Qualquer sistema de monitoramento que se preze terá um excelente processamento gráfico. Isso não significa apenas linhas suaves e cores agradáveis. Se você já usou um sistema de monitoramento para solucionar um problema de desempenho , você vai saber que a possibilidade de dar zoom, alinhar e visualizar vários gráficos simultaneamente pode ser extremamente útil .

Imagine que você esteja tentando descobrir o que está retardando um aplicativo Web de múltiplas camadas. Ser capaz de empilhar um monte de gráficos aparentemente não relacionados ( latência de armazenamento , transferência de rede , transações de banco de dados por segundo , e assim por diante ) e prestar atenção na correlação entre eles pode ser tremendamente esclarecedor para determinar a causa da lentidão.

monitoramento

No. 3 : Fácil supressão de eventos
Uma das piores facetas de qualquer sistema de monitoramento é a emissão de falsos positivos causados ​​por problemas conhecidos ou esperados. Toda vez que o celular explode com 80 alertas semelhantes, você perde a sensibilidade sobre o que o sistema de monitoramento está querendo dizer - e o risco de perder uma advertência importante em meio a todo esse ruído é grande. É fundamental ter a capacidade de suprimir rapidamente eventos específicos que você sabe que não são importantes.

Também é importante ser capaz de suprimir os eventos a partir de uma determinada fonte, quando você sabe que a manutenção ou a atividade de atualização irá gerar erros. Estive em várias situações em que um processo de atualização conhecido causou ​​efeitos secundários inesperados em outros sistemas, mas esses efeitos não foram observados muito mais tarde, porque os sistemas de monitoramento foram ignorados. Ser capaz de criar paradas e janelas programadas dentro do sistema de monitoramento pode ajudar.

No. 4 : Facilidade de integração e extensão
Não importa o que o seu sistema de monitoramento faz ou deixa de fazer, a habilidade de estendê-lo ou integrá-lo com outros sistemas pode, eventualmente, significar a diferença entre a necessidade de substituí-lo e preservar todo o tempo que você investiu nele. Embora muitos sistemas de monitoramento sejam muito bons no que fazem, eles não podem ser bons em tudo. Às vezes, a única maneira de obter a informação que você precisa é programar uma solução ou usar uma ferramenta diferente. Nessas situações, a capacidade de estender ou integrar o pacote de monitoramento para trabalhar com outros softwares é fundamental.

No final do dia, a escolha de qual aplicativo de monitoramento deve ser usado vai depender do que você quer realizar. Alguns serão melhores no monitoramento de ambientes predominantemente Linux, em vez de ambientes Windows. Alguns são melhores em redes e infraestrutura de aplicações. No entanto, o que você escolher deve ser capaz de verificar os cinco itens que listei acima.



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui