Recursos/White Papers

Tecnologia

IoT revoluciona a análise de dados em tempo real no varejo físico

O grande desafio do varejista é reconhecer os clientes que não compram. E a IoT pode ajudar

Walter Sabini Junior *

Publicada em 08 de fevereiro de 2018 às 07h47

Há anos o varejo virtual é capaz de analisar e entender o perfil de seus consumidores. Com base nas informações colhidas enquanto o usuário navega pelo site, os e-commerces conseguem se aprofundar e elaborar diferentes estratégias de negócio para aumentar a conversão. Esse método vem funcionando bem e, apenas em 2017, o setor espera faturar R$ 59,9 bilhões segundo estimativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

O uso da tecnologia tem aproximado o mundo real e virtual, fazendo com que o varejo físico já possua ferramentas capazes de mensurar o fluxo de pessoas presentes no ambiente. O grande desafio do varejista, no entanto, é reconhecer os clientes que não compram. As lojas virtuais contam com múltiplas soluções de remarketing baseadas em Big Data, que reconhecem usuários que não estão logados na loja ou sequer são cadastrados, oferecendo alternativas para que o gestor possa alcançá-los com abordagens personalizadas. No estabelecimento físico essa possibilidade ainda não existe, mas equipamentos com Internet das Coisas (IoT) já possibilitam competir de maneira mais justa.

Por meio da tecnologia de mensuração de fluxo de visitantes com soluções de inteligência, comparável as de Web Analytics, para analisar a performance de seu negócio com base no consumidor, os estabelecimentos físicos já conseguem verificar informações relevantes para a elaboração de um planejamento estratégico mais assertivo.

varejoIoTIA

Dentre elas, vale destacar o fluxo de vitrine e sua atratividade, que tem como função chamar o maior número de pessoas para o interior da loja; a permanência de clientes dentro dela; permitindo a verificação de dados, como áreas mais vistas e os setores menos frequentados, fluxo de visitação – média de visitas de determinado consumidor ao estabelecimento –, sendo um fator essencial para mensurar a sua fidelidade e os visitantes únicos.

Com base nessas informações, o gestor consegue estabelecer as melhores práticas e as estratégias para aumentar o número de conversões do estabelecimento, seja através de uma vitrine mais atrativa ou da oferta de uma melhor experiência no ambiente ao otimizar os departamentos. 

Sobre a conversão, esse é um dos índices de maior importância, tanto para o mercado on-line quanto para o físico. Essa informação mensura, dentre todos os visitantes, quantos realmente efetuaram compras. Por enquanto esse tipo de tecnologia ainda não está disponível, mas isso é só questão de tempo, em um futuro bastante próximo já conseguiremos saber.

 

(*) Walter Sabini Junior é sócio-fundador da FX Retail Analytics



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui