Recursos/White Papers

Tecnologia

Adicionar interfaces de voz como a Alexa aos aplicativos é o novo normal

Interfaces de conversação estão no topo da lista de tendências tecnológicas que as empresas querem incorporar a seus software, segundo estudo da ThoughtWorks

Da Redação, com IDG News Service

Publicada em 03 de abril de 2017 às 09h37

As interfaces conversacionais como a Alexa, da Amazon, a Siri, da Apple e a Cortana, da Microsoft chamaram a atenção dos desenvolvedores, e de empresas que agora procuram incorporar a tecnologia em aplicativos voltados para o cliente, afirmou a consultora ThoughtWorks ao avaliar as recentes tendências tecnológicas para 2017.

O relatório ThoughtWorks Technology Radar, recentemente divulgado, observou que a adoção das interfaces de conversação que utilizam a voz e o processamento de linguagem natural é uma tendência emergente chave. As chamadas Conversational UIs estão presentes em projetos como chatbots inteligentes, que podem aprender e melhorar ao longo do tempo, e reconhecimento de voz, que teve a taxa de erro dramaticamente reduzida recentemente.

"A explosão de interesse no mercado e nos principais meios de comunicação leva a um aumento correspondente no interesse dos desenvolvedores", afirma a ThoughtWorks. A indústria atingiu um ponto de inflexão, com reconhecimento de fala tão preciso quanto a fala humana, disse Mike Mason, chefe de tecnologia da ThoughtWorks.

A interação multimodal, entretanto, é "o futuro da Conversational UI", afirma Bharani Subramaniam, diretor de tecnologia de mercado da ThoughtWorks. "Os técnicos estão tentando empurrar os limites além da voz e compreender a intenção com movimentos da mão, gestos, e expressões faciais."

Significa que a tendência conversacional não é limitada apenas à voz. Com aplicativos de mensagem crescendo e dominando tanto smartphones quanto o espaço de trabalho, vemos conversas com outros humanos sendo complementadas por chatbots inteligentes. Na medida em que essas plataformas melhoram, eles vão entender o contexto e intenção das conversas, tornando as interações mais reais e portanto mais atraentes.

UIvoice

Lançado duas vezes por ano, o relatório da Thoughtworks analisa a estratégia de negócios e as tendências de desenvolvimento de software, É baseado em uma avaliação feita pelo conselho consultivo da empresa e fatores no que a empresa vê em sites de clientes.

A ThoughtWorks também citou o que chama de "inteligência como um serviço", englobando capacidades como processamento de voz, compreensão de linguagem natural, reconhecimento de imagem e Deep Learning, como outra tendência emergente. "Capacidades que consumiam recursos onerosos há alguns anos agora são oferecidos como open source ou plataformas SaaS", diz o relatório.

A experiência do desenvolvedor é "o novo diferencial", de acordo com a ThoughtWorks. O design da experiência do usuário tem sido um diferencial chave para empresas de produtos de tecnologia por muitos anos. Agora, a rápida ascensão de ferramentas e produtos voltados para quem desenvolve, combinada com a escassez de talentos em engenharia de software, está direcionando um foco semelhante na experiência do desenvolvedor. 

O relatório mencionou Python como uma tendência também. "Sua facilidade de uso como uma linguagem de programação geral, combinada com sua sólida base na computação matemática e científica, tem historicamente levado à sua adoção crescente pelas comunidades acadêmicas e de pesquisa", disse ThoughtWorks. "Mais recentemente, as tendências da indústria em torno da comoditização e aplicações da AI, combinadas com a maturidade do Python 3 , ajudaram a trazer novas comunidades para o mundo Python".

Segundo a ThoughtWorks, abordagens arquitetônicas como microsserviços e contêineres facilitaram a execução de Python em ambientes de produção. Engenheiros podem agora implantar e integrar códigos especializados em Python criados por cientistas através de APIs agnósticas de linguagem e tecnologia. Esta fluidez é um grande passo em direção a um ecossistema consistente entre pesquisadores e engenheiros, em contraste com a existência de fato de traduzir linguagens especializadas para os ambientes de produção, como R.

Plataformas
A ThoughtWorks registrou ainda um aumento significativo no uso de plataformas que podem fornecer auto-provisionamento e auto-configuração através de APIs, permitindo que os desenvolvedores obtenham mais rapidamente os recursos para sua produção. O termo "plataformas" está geralmente relacionado aos serviços de nuvem pública ou privada, mas também pode significar uma plataforma de negócios onde os recursos empresariais são expostos como serviços.

"Uma definição que gostamos é que as plataformas devem expor uma API de autoatendimento e ser fáceis de configurar e provisionar no ambiente utilizado pelo time — o que faz uma boa interseção com outro tema emergente, a experiência de desenvolvimento como o novo diferencial. Esperamos ver mais refinamento na definição e nas capacidades das plataformas no futuro próximo", diz o relatório.



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui