Recursos/White Papers

Tecnologia

Integração de dados faz a cadeia de suprimentos funcionar com eficiência

Stephan Romeder *

Publicada em 15 de março de 2017 às 07h36

As empresas investem muito tempo, esforço e dinheiro no desenvolvimento de sistemas para impulsionar a cadeia de suprimentos (Supply Chain), envolvendo aplicações de gerenciamento de armazéns (WMS), gerenciamento de transportes (TMS), de gestão de negócios (ERP) e uma variedade de outras soluções.

A quantidade de dados em função disso pode ser avassaladora. No entanto, ao conectar e integrar as informações a partir uma plataforma capacitada na orquestração de processos de negócios e sistemas, os dados podem ser o diferencial que permite às empresas aumentar a eficiência e proporcionar uma experiência superior ao cliente.

Para manter a cadeia de suprimentos funcionando com eficiência máxima, as empresas não precisam apenas de uma cultura flexível e adaptável, mas também de uma infraestrutura de TI com a mesma capacidade.

Podemos citar 7 exemplos de como os dados integrados podem introduzir novas eficiências na cadeia de suprimentos:

1. Melhor Previsão de Demanda – Uma melhor coordenação entre ERP e sistemas de vendas pode resultar em previsões mais precisas, proporcionando vendas com margens mais eficientes. A logística baseada na demanda e baseada em dados precisos reduz os custos de transporte e também o estoque, ao mesmo tempo em que melhora a vantagem competitiva ao permitir que as empresas ofereçam um melhor atendimento ao cliente.

2. Planejamento mais Abrangente – Dados Integrados permitem que o Gerente de Supply Chain possa tomar decisões com base em uma visão abrangente e precisa das atividades relacionadas em toda a organização: Vendas, Marketing, Gerenciamento de Produtos, Manufatura, Armazenagem, Compras, Finanças e Transporte). Por exemplo, um centro de distribuição (CD) pode ter como objetivo uma alta taxa de preenchimento, mas se o custo para atender pedidos é muito alto, isso irá sabotar as metas de margens de lucro de vendas. O gerente da cadeia de suprimentos precisa de uma visão abrangente de todas as atividades relacionadas à logística para garantir que pedidos sejam feitos e atendidos da maneira mais econômica e eficiente possível.

3. Segmentação de Cadeias de Suprimentos – A integração de dados entre os sistemas CRM e ERP pode permitir segmentar facilmente a carteira de clientes de e produtos, desenvolvendo cadeias de suprimentos personalizadas para proporcionar o máximo valor ao menor custo possível para cada grupo de clientes. Assim, garante-se que os clientes superem suas expectativas e permite que a segmentação seja uma estratégia eficaz para que a empresa possa aumentar seus resultados.

4. Decidir entre Entregas Rápidas ou Entregas sem Falhas – Todos os custos da cadeia de fornecimento precisam ser analisados para obter uma visão ampla e unificada, de modo que os objetivos operacionais possam atender aos objetivos empresariais e à imagem da marca. Por exemplo, dependendo de como os dados gerenciados e localizados, a empresa pode optar por movimentar o estoque onde possui menor custo, pode movimentar os ativos da maneira mais rápida possível, ou ter a maior qualidade possível de atendimento sem erros. Ter dados de custos e variáveis juntos em um sistema permite uma análise mais fácil de trade-off.

integracaodedados

5. Ser o Transportador Preferencial – Uma empresa que integra o ERP com o WMS para otimizar os processos de logística e permitir o menor tempo de permanência e prazos de entrega mais eficazes, será considerado um transportador preferencial e terá mais facilidade de obter melhor desempenho porque os operadores de logística gostam de trabalhar com empresas que aumentam sua eficiência operacional.

6. Gerenciar a Última Milha da logística – O ponto alto da entrega reflete a competência de toda a organização. Se uma empresa está constantemente atrasando as entregas, o cliente terá uma visão muito negativa desta companhia e provavelmente não usará seus serviços novamente. A última milha da logística, o último trecho antes do destino final, é o mais complicado e caro, e pode, muitas vezes, provocar interrupções e atrasos. A integração adequada entre o transporte e sistemas ERP garante que as encomendas cheguem ao destino correto e pode fornecer notificações automáticas de prazos de entrega, garantindo um desempenho superior no processo e maior satisfação do cliente.

7. Expedição de vendas online – Carrinhos de compras que podem se conectar com os sistemas de fornecedores de frete permitem aos compradores obter uma cotação exata de preço para o transporte e prazos de entrega confiáveis. Ao integrar o ERP e sistemas de transportes de terceiros com sites de comércio eletrônico pode-se melhorar o atendimento ao cliente, acelerar o faturamento e reduzir as demandas das equipes de suporte.

Assim, a integração de dados entre sistemas pode ajudar a otimizar a cadeia de suprimentos e permitir o melhor serviço ao cliente. Uma plataforma de integração que permite às empresas conectar dados e processos em todos os sistemas oferece às organizações a infraestrutura de TI adaptável necessária para garantir o supply chain disruptivo.


 

(*) Stephan Romeder é Managing Director da Magic Software Europe


Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui