Recursos/White Papers

Tecnologia

Consumidores podem economizar até US$ 16 bilhões em taxas com Blockchain

No entanto, há uma série de desafios para que isto aconteça, envolvendo questões como privacidade, segurança e regulamentação

Da Redação

Publicada em 07 de fevereiro de 2017 às 18h06

A maior parte dos consumidores poderia economizar mais de 500 dólares em taxas bancárias e de seguros, graças ao surgimento de um novo tipo de contrato inteligente baseado em Blockchain. A conclusão é do estudo “Smart Contracts in Financial Services: Getting from Hype to Reality”, da Capgemini, fundamentado por debates realizadas com profissionais da indústria, startups e acadêmicos do setor de serviços financeiros, que preveem a plena adoção da tecnologia até 2020.

Segundo a empresa, contratos baseados em tecnologia Blockchain podem impor ações (como pagamentos) automaticamente, tão logo tenham sido cumpridas as condições acordadas, sem a necessidade de verificação independente ou processamento manual.

O relatório detalha três grandes áreas nas quais estão previstas a inclusão de contratos inteligentes, como forma de trazer um impacto significativo para consumidores e empresas: 

1) Bancos de varejo: empréstimos pessoais e hipotecas serão beneficiados com a adoção do Blockchain, que ajuda a eliminar etapas do processos de avaliação e documentação em papel, reduzindo o tempo gasto na interação com diferentes agências para verificar candidatos e detalhar os bens, assim como em processos relacionados à transferência de propriedade. Isto poderia se traduzir em uma economia média entre 480 e 960 dólares, ou de 11% a 22% sobre os trâmites de hipoteca e taxas de conta para os clientes. Enquanto isso, é estimado que, só nos Estados Unidos e na União Europeia, os bancos seriam capazes de cortar entre 3 bilhões e 11 bilhões de dólares por ano ao reduzir custos de processamento.

2) Seguradoras: os contratos inteligentes acelerarão as solicitações de todas as áreas, como seguro saúde, automotivo, residencial e seguro-viagem, demandando menos formulários para serem preenchidos e reduzindo interações entre os requerentes e as seguradoras. Um sistema inteligente traria todas as partes para a cadeia de valor do seguro – consumidores, seguradoras, agentes de sinistros e corretores – em uma única plataforma. Isso resultaria num processamento de solicitações muito mais rápido e sem interrupções devido à documentação reduzida, menor dependência de verificações manuais e processamento mais rápido dos pagamentos aos corretores. Somente na indústria de seguro automotivo, estima-se que os contratos inteligentes tenham potencial para proporcionar às seguradoras redução de custos anuais de aproximadamente 21 bilhões e dólares em todo o mundo. Se as instituições repassassem metade dessas economias, os consumidores teriam uma economia média anual de 45 dólares sobre os prêmios.

Bancos de investimentos: na negociação de empréstimos sindicais, a liquidação normalmente leva 20 dias ou mais. Contratos inteligentes podem reduzir o atraso em processos, como documentação,  confirmação de comprador/ vendedor, contratos de cessão e checagens, que são atualmente desempenhadas por equipes de backoffice. Dessa forma, é possível reduzir o ciclo de liquidação para clientes corporativos, partindo dos atuais 20 dias para um prazo de 6 a 10 dias. Assim, chegaria a um crescimento adicional de 5% na demanda futura ou de 2 bilhões a 7 bilhões de dólares, gerando maior renda, além de reduzir os custos operacionais para os bancos de investimento nos EUA e na Europa. Além disso, seriam minimizados os requisitos de capital regulatório e os riscos associados à compensação de pagamentos em atraso durante a liquidação do empréstimo.

"Chegamos a um ponto onde a tecnologia pode - e vai – levar a uma revolução nos contratos, o que beneficiará extremamente a indústria na redução de riscos, no corte de custos e na melhoria da eficiência operacional. Os clientes serão beneficiados não só financeiramente, mas também com processos mais simples e livres de muitas dificuldades que enfrentam hoje", explica Amol Khadikar, líder de pesquisas de Blockchain da Capgemini.

blockchainCPGMN



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui