Recursos/White Papers

Tecnologia

Para AWS, a Inteligência Artificial deve ser o novo campo de batalha na nuvem

Depois de IBM, Microsoft e Google, a Amzon também faz suas ofertas nesse campo

Da Redação, com COMPUTERWORLD/EUA

Publicada em 05 de dezembro de 2016 às 07h54

A inteligência artificial pode ser o novo campo de batalha na nuvem. Durante a conferência re:Invent, da Amazon Web Services, o CEO  da companhia Andy Jassy anunciou três serviços de Inteligência Artificial que estarão disponíveis para usuários corporativos este ano,  e no início de 2017. São eles o Amazon Rekognition, para reconhecimento de imagem, o Amazon Polly, para serviços text-to-speech,  e o Amazon Lex, a tecnologia de reconhecimento de voz usada pelo dispositivo inteligente Alexa.

Eles permitem que qualquer desenvolvedor crie apps que entendam linguagens naturais, transformam textos escritos em fala realista, conversam usando voz ou texto, analisam imagens e reconhecem rostos, objetos e cenas.

Agora, os clientes da empresa AWS podem usar a Inteligência Artificial para, por exemplo, pesquisar imagens de uma montanha ao lado de um lago, ou de uma cidade com arquitetura específica.

Assim como Microsoft, Google e IBM, a AWS sabe que com o crescente interesse e a maior aceitação da Inteligência Artificial, mais empresas estarão olhando para usar a tecnologia para competir melhor. Os serviços Rekognition e Polly já estão disponíveis hoje, enquanto o Lex ainda está em fase de teste.

A AWS é líder no fornecimento de serviços de nuvem hoje, de acordo com o Gartner.  No entanto, para manter essa posição de liderança, a AWS precisa de inteligência, esses anúncios são os primeiros nesse campo. 

"Em toda a Amazon, milhares de especialistas em aprendizagem automática e profunda vêm há anos desenvolvendo tecnologias de IA a fim de prever o que os clientes gostariam de ler, acrescentar eficiências aos nossos centros de satisfação com o uso de tecnologias robóticas e de visão computadorizada, bem como apresentar aos nossos clientes o Alexa, nosso assistente virtual movido a IA. Agora, estamos disponibilizando a tecnologia por trás dessas inovações para todos os desenvolvedores na forma de três serviços completamente gerenciados que são fáceis de usar, avançados e econômicos", diz Raju Gulabani, vice-presidente de banco de dados e IA da AWS.

AWSCEOAndyJassy

Fala inteligente 
O Amazon Polly possibilita a adição de recursos de fala realista a aplicativos já existentes, como leitores de notícias e plataformas de e-learning e a criação de categorias totalmente novas de produtos que tenham recursos de voz, de aplicativos móveis a eletrônicos e aparelhos domésticos. Os desenvolvedores enviam textos ao Amazon Polly usando SDK ou a partir do AWS Management Console, e o Polly responde imediatamente com um streaming de áudio que pode ser reproduzido diretamente ou armazenado em um formato de áudio padrão. 

Análise de imagem 
O Amazon Rekogntion permite a criação rápida e fácil de aplicativos de análise de imagens e de reconhecimento de rostos, objetos e cenas. Ele utiliza tecnologias de aprendizagem profunda para identificar automaticamente objetos e cenas, tais como veículos, animais de estimação ou móveis, e oferece uma pontuação de confiança que permite aos desenvolvedores inserir imagens que podem ser utilizadas na pesquisa de imagens específicas com palavras-chave. 

Segundo a Amazon, o  Rekogntion consegue localizar rostos dentro de imagens e detectar atributos, tais como o clima e se a pessoa está sorrindo ou está de olhos abertos. Ele também tem suporte para funcionalidades avançadas de análise facial, tais como pesquisa e comparação de rostos. 

Utilizando o Rekognition, os desenvolvedores podem criar um aplicativo que analisa a probabilidade de correspondência entre os rostos de duas imagens diferentes a fim de verificar um usuário mediante uma foto de referência quase que instantaneamente. De forma semelhante, os usuários podem criar coleções de milhões de rostos (detectados em imagens) e podem pesquisar correspondências para sua imagem de referência na coleção. 

No momento, o Amazon Polly e o Amazon Rekognition estão disponíveis nas regiões leste (Ohio e norte de Virginia) e oeste (Oregon) dos EUA e na Europa (Dublin) e chegarão a outras regiões nos próximos meses. Os clientes podem se inscrever para a versão de pré-lançamento do Amazon Lex.

Além desses serviços, a AWS anunciou recentemente que está investindo substancialmente, com a contribuição de códigos e melhorias na experiência dos desenvolvedores, no MXNet, um framework de aprendizagem profunda distribuído em código aberto, desenvolvido incialmente pela Canergie Mellon University e outras grandes universidades. 

O MXNet permitirá que especialistas em aprendizagem automática criem modelos escaláveis de aprendizagem profunda que podem reduzir significativamente o tempo necessário parar treinar seus aplicativos. Para mais informações sobre o suporte da AWS ao MXNet, acesse: http://www.allthingsdistributed.com/2016/11/mxnet-default-framework-deep-learning-aws.html.

"Jeff Bezos está convencido sobre o poder da Imteligência Artificial para ajudar a Amazon.com e a AWS crescer", disse Jeff Kagan, analista independente da indústria. "Penso que nós podemos esperar por mais anúncios deste tipo no futuro próximo. Estes são os primeiros passos muito importantes para AWS e para clientes corporativos. "

Mas Judith Hurwitz, analista da Hurwitz & Associates, não está convencida da importância dos serviços de Inteligência Artificial na nuvem neste momento.

"Não tenho certeza de que essas empresas [da nuvem] estejam fazendo algo verdadeiramente significativo com IA", disse ela. "Há ferramentas incrementais a serem adicionadas ao Google, por exemplo, mas isso não é transformação ainda.

A própria equipe do Google reconhece isso. Semana passada, em um evento sobre Machine Learning realizado em Belo Horizonte, as tecnologias disponíveis hoje ainda estão “na adolescência”. "Os problemas que estamos resolvendo ainda são elementares", afirma Bruno Possas, Engenheiro de Software do Google.

 "A Microsoft ainda está muito incipiante em sua capacidade de usar a aprendizagem de máquina e Inteligência Artificial em suas soluções", afirma Judith Hurwitz. 

No entanto, para Patrick Moorhead,  analista da Moor Insights & Strategy, estes são importantes primeiros passos no mundo da Inteligência Artificial na nuvem. "Com as cargas de trabalho das empresas melhorias muito importantes virão. As companhias de seguros poderão categorizar fotos de acidentes. As cadeias de pizza permitirão que você encomende a pizza através do seu mensageiro favorito, em linguagem natural, e daí por diante".

Eventualmente, muitas grandes empresas vão querer construir seus próprios serviços de AI, disse Moorhead, mas para começar, eles seriam sábios usar as soluções disponibilizadas por AWS, IBM, Google e Microsoft.

Para a AWS, a questão é estratégica. "A Amazon sabe que não está à frente de seus concorrentes em nuvem nesta área", disse Moorhead. "Estão atrás. O Microsoft Azure tem muitos mais serviços disponíveis, já faz algum tempo", diz ele. E o Google também vem demonstrando fôlego e competência.

Para saber mais sobre o Amazon Lex, Amazon Polly e Amazon Rekognition, acesse https://aws.amazon.com/amazon-ai.



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui