Recursos/White Papers

Tecnologia

Sete verdades simples que você deve saber sobre a nuvem híbrida

Não se iluda. No momento em que você começar a pagar por um serviço de nuvem pública, não importa quão pequeno ou simples esse serviço possa ser, você estará em um modelo de nuvem híbrida

Da Redação, com COMPUTERWORLD/Singapura

Publicada em 28 de novembro de 2016 às 07h36

O manual de adoção da nuvem empresarial coloca a nuvem híbrida no topo da lista. Mas ela não é um produto de prateleira ou portfólio, que você possa encomendar. É composta por modelos, processos e múltiplos provedores.

No momento em que você começar a pagar por um serviço de nuvem pública, não importa quão pequeno ou simples esse serviço possa ser, você estará em um modelo de nuvem híbrida. Ignore as definições do manual: a "nuvem híbrida" significa simplesmente que você está fornecendo serviços de TI que usam mais de um modelo de hospedagem.

O que determina o sucesso do seu modelo de entrega são as regras e os processos que você implementa para adotar novos serviços de provedores de nuvem.

Aqui está o que você precisa saber sobre a nuvem híbrida.

1. Não importa o quão bem você gerencia seu próprio datacenter
Pouco importa o quanto você é bom ao gerenciar o seu próprio datacenter. Os fornecedores de nuvem pública serão sempre melhores nessa tarefa. Economias de escala mudam tudo. Modelos de custos, acesso a pessoal e a recursos hyperscale na AWS, Azure, e Google Cloud Platform. Além disso, a diferença entre o que você pode fazer e o que oferecem os fornecedores de nuvens públicas só aumentará ao longo do tempo.

Em outras palavras, esta não é uma competição que você possa ganhar. Mas imagine os benefícios para o seu negócio se você não tivesse que gerenciar infraestrutura em escala e pudesse se concentrar inteiramente em processos de negócios, dados e análise. Não, você provavelmente não vai aposentar seu datacenter em breve. Mas a nuvem híbrida fornece meios para descarregar o gerenciamento de infraestrutura como você achar melhor ao longo do tempo.

2. A nuvem híbrida significará múltiplos fornecedores
Se você olhar para o recente anúncio da parceria entre a VMware e a AWS, você até seria perdoado por pensar que nuvem híbrida está relacionada à como estender sua infraestrutura atual. A nuvem híbrida é muito mais do que uma abordagem de dois fornecedores para hospedagem de datacenter. Ter vários provedores tem menos a ver com todos os ovos em uma cesta e mais a ver com encontrar as soluções e os provedores certos para cargas de trabalho específicas.

3. Ciclos de vida de aplicativos impulsionam a adoção de nuvens híbridas
Você não pode se forçar a uma posição de nuvem híbrida. Tudo depende do ciclo de vida de seus aplicativos de negócios (novos e antigos). Se você estiver atualizando, substituindo ou re-implementando aplicativos ou serviços, é provável que você encontre uma solução de nuvem viável. É uma questão de tempo. Se você completou uma implantação/mudança de etapa há alguns anos, então é improvável que o movimento para a nuvem se justifique. Os custos ainda a serem amortizados o manterão ancorado em seu datacenter. Isso é especialmente relevante para soluções off-the-shelf. Os principais fornecedores estão começando a oferecer versões SaaS de CRM, ERP, RH, e assim por diante, mas é muito difícil levantar e mudar arquitetura e software mais antigos.

cloud1

4. Identidade é essencial na nuvem híbrida
Várias soluções são fornecidas no modelo de nuvem híbrida. Manter uma identidade singular em todos os sistemas deve ser a prioridade máxima. Se você quiser ter uma boa experiência de usuário e ser capaz de gerenciar o controle de acesso, você deve ter um único identificador. A capacidade de estender sua identidade corporativa em modelos de nuvem deve ser uma parte fundamental do processo de seleção do fornecedor.

5. A nuvem híbrida é sinônimo de transição
À medida que os ciclos de vida dos aplicativos avançam, os serviços de TI começam a precisar de revisão ou atualização. Ao mesmo tempo, mais de seus sistemas serão viáveis ​​na nuvem. A velocidade de inovação na nuvem pública acabará por reduzir lacunas de desempenho, função e segurança - por isso não é demasiado cedo para começar os seus planos de transição de sistemas e aplicações deixadas em datacenters tradicionais. Identifique os pontos de inflexão, quando fará sentido mover um modelo de nuvem, mesmo que você acredite que pareçam estar muito longe. Os sistemas empresariais são grandes e complexos, e geralmente suportam processos comerciais importantes. Ao longo do tempo, você verá vários provedores oferecendo versões totalmente baseadas em SaaS dos aplicativos que você está usando.

6. Os serviços gerenciados têm um papel importante a desempenhar
O modelo de Cloud Computing gerou um crescimento de ofertas de serviços gerenciados. Os integradores de soluções agora podem oferecer serviços hospedados e totalmente gerenciados sem a necessidade de um enorme gasto de capital. O movimento para um serviço gerenciado provavelmente resultará em um modelo de nuvem híbrido. Você estenderá suas redes, dados e identidade ao provedor de serviços gerenciado. Pode não corresponder à definição do manual, mas nessa hora estamos falando de uma nuvem híbrida.

7. Você viverá ao lado de muitas versões de si mesmo na nuvem
É muito provável que você se veja usando vários serviços e assinaturas nas mesmas plataformas de nuvem pública. Você pode ter um ambiente de corporativa que forneça serviços de DR e outra instância que seu provedor de serviços gerenciados use para fornecer ERP. Chegará a um ponto em que fará sentido para você ser mestre de seu próprio destino. Considere a consolidação dessas assinaturas para ter o seu destino sob controle.

 



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui