Recursos/White Papers

Tecnologia

Allo, o mensageiro inteligente do Google, já está disponível no Brasil

Concorrente do WhatsApp, o app faz parte de uma nova onda de tecnologias, produtos inteligentes e serviços com Inteligência Artificial que o Google espera que ajude a continuar à frente dos seus concorrentes

PC World / EUA

Publicada em 24 de setembro de 2016 às 09h09

Há quatro meses, os executivos do Google afirmaram que a empresa tinha um novo foco em inteligência artificial. Nesta terça-feira, 20/09, a companhia lançou o Allo, um aplicativo inteligente de mensagens para iOS e Android. O software usa IA para ajudar os usuários a se expressarem, fazerem mais coisas e encontrarem informações dentro das suas conversas. Pois na sexta-feira, no fim do dia, a instalação do app foi liberada na Google Play e na App Store brasileiras, junto com o Duo, o novo app do Google para videochamadas entre duas pessoas.

Para quem não lembra, o Allo foi revelado originalmente durante a conferência para desenvolvedores Google I/O, em maio. O app faz parte de uma nova onda de tecnologias, produtos inteligentes e serviços com IA que o Google espera que ajude a continuar à frente dos seus concorrentes.

“Seja para planejar uma saída à noite ou apenas para colocar a conversa em dia, todos usamos serviços de mensagens para manter contato com amigos e familiares”, afirma o gerente de produtos do Google, Amit Fulay. “Mas muitas vezes precisamos apertar o pause nas nossas conversas – seja para verificar o status de um voo ou procurar por um novo restaurante. Por isso, criamos um app de mensagens que te ajuda a manter a conversa, ao fornecer assistência quando você precisa.”

E como ultimamente, o Google tem focado em machine learning, o Allo também não escapa de suas pretensões. O app recorre a ‘chatbots’ para entregar uma experiência mais personalizada aos usuários. Com ele, é possível fazer pesquisas na internet e até executar tarefas no smartphone sem abandonar a janela do app.

O recurso Smart Reply aprende como você responde mensagens e permite que você envie textos ou emojis que você usa com maior frequência de forma automática. Assim, quanto mais você usar o Allo, mais sugestões inteligentes ele dará para suas conversas. 

Significa que o Google Allo é o primeiro aplicativo de mensagens da gigante que usa IA para aprender como os usuários gostam de se comunicar e experessar. Por exemplo, com um app inteligente de mensagens, se um amigo envia uma foto de um carro novo, o Allo te oferece diversas respostas possíveis, como “Lindo carro!” ou “Vamos dar uma volta”.

Allopcworld

Assistant é o ponto alto
O Allo também inclui o Assistant, e pode oferecer sugestões como emojis para você enviar juntamente com respostas em uma conversa. Vai falar com os amigos sobre o grande jogo da semana? O Assistant pode buscar por números das equipes, pelas datas das próximas partidas, fotos dos jogadores e outras informações. O recurso será determinante para tornar o Allo um sucesso ou um fracasso.

O Assistant é uma espécie de ajudante pessoal para suas conversas. Digite apenas @google (mesmo que no meio de uma conversa) para ver o Google Search buscar aquela foto de um gato que você tirou na semana passada ou a última pontuação do seu time favorito ou mesmo informações de um voo e a resposta para uma questão matemática,  além de procurar pela melhor rota para chegar a um determinado endereço ou mostrar restaurantes de um bairro.

Em resumo, qualquer coisa que você perguntaria ao Google Now, provavelmente você poderá recorrer ao mesmo pelo Google Assistant e mais.

“Esse é um momento crítico em que estamos com a companhia. Apenas não é o bastante dar links para as pessoas. Precisamos ajudá-las a fazer as coisas no mundo real. Estivemos estabelecendo a base para isso por muitos e muitos anos”, explicou o CEO do Google, Sundar Pichai, durante o Google I/O, em maio.

Então o lançamento do Allo significa que o Google está a caminho do sucesso com o seu road map de IA?

“É muito importante para o Google, uma vez que a empresa apostou todo o seu futuro em IA”, aponta o analista da Moor Inshights, Patrick Moorhead. “O CEO Sundar Pichai afirmou durante o I/O que a companhia não é mais uma empresa mobile, mas uma empresa de IA. O Allo precisa se sair realmente bem. Eles estão no palco aqui.”

O analista do The Enderle Group, Rod Enderle, afirma que o Allo poderia ser um avanço para os serviços de mensagens, assim como para o Google. Mas que também traz alguns riscos.

“A vantagem competitiva (do app) é a engine de IA, mas a IA é jovem e, por enquanto, mal treinada, como um bebê em um avião. No geral, mais irritante do que benéfico no momento. Você precisa começar em algum lugar”, diz.

Para o analista independente, Jeff Kagan, a combinação do Allo de app de mensagens com IA é promissora. 

“O app cria um novo playground fértil cheio de potencial de crescimento. Com isso dito, parece muito intrusivo. Para os usuários aproveitarem a IA, eles precisam dar ao Google permissão para explorar seus aparelhos e desvendar todo contato, mensagem e informação pessoal das suas vidas.”

Com as vantagens de uma tecnologia inteligente e as desvantagens do que alguns estão chamando de tecnologia intrusiva, o app não é um vencedor certeiro.

“Isso é tanto uma mistura de coisas super legais quanto de tecnologia que invade a privacidade”, afirma Kagan, notando que mesmo assim pode vir a ser um aplicativo popular. “Os usuários de meia-idade lembram da privacidade e sentem falta dela. Mas os mais jovens nasceram neste mundo sem privacidade. Por isso, não se importam tanto.”

Outros recursos
O Allo ainda não criptografa mensagens de ponta a ponta por padrão, assim como o assistente do Google não consegue usar todas as coisas de aprendizado de máquina baseados na rede para ajudá-lo se você não souber o que você está falando. 

Outro recurso interessante permite que mensagens se "auto-apagam" quando programadas. Por exemplo, se você quiser manter uma conversa privada, você poderá acionar o Modo Anônimo para habilitar a criptografia de ponta a ponta e controlar o quanto mensagens devem ser mantidas salvas antes de elas expirarem, de cinco segundos a uma semana.  

O último app de bate-papo do Google também é exclusivo para mobile. Não há nenhuma previsão de que ele será disponibilizado para PC, Mac ou web. Algo que, de certa forma, é incomum para o Google. Até mesmo o WhatsApp tem sua versão para Windows, Mac e navegador.

E o Duo?
Durante o Google I/O, a empresa de Mountain View também revelou o app de videochamadas Duo, para coversas entre duas pessoas.

a ferramenta funciona como uma espécie de FaceTime, aplicativo de videochamadas da Apple, porém funciona tanto no sistema operacional da concorrente quanto, claro, no Android. 

O app é baseado no número de telefone do usuário, o que exclui a necessidade de criar uma nova conta ou ter uma conta Google para realizar chamadas. 

Segundo o Google, a ferramenta foi otimizada para que as conexões sejam mais rápidas quando comparadas com outros aplicativos, para manter áudio e vídeo em sincronia, mesmo em redes mais lentas, incluindo a 2G. 

Da mesma forma que outros aplicativos de troca de mensagens, como WhatsApp e Telegram, todas chamadas são criptografadas de ponto a ponto, informou a companhia. 

Como funciona

Para realizar e receber chamadas, é preciso baixar o aplicativo na Google Store ou App Store.  O lançamento está disponível para usuários do mundo todo e é compatível com smartphones Android Jelly Bean e superiores, e iPhones com iOS 9, e superiores.

O Duo não permite videochamadas em grupos, apenas entre duas pessoas, uma limitação que segundo o Google visa melhorar a qualidade das ligações.

Por ser multiplataforma, dois usuários que tenham aparelhos de diferentes sistemas operacionais ainda conseguirão ligar um para o outro. 

O app apresenta outro recurso interessante, inicialmente disponível apenas para aparelhos Android. Batizado de “Knock Knock”, com ele é possível ver um vídeo ao vivo da pessoa que está ligando, além da razão da chamada, antes de atender. O Knock Knock só funciona com pessoas da sua lista de contatos e também pode ser desativado.   



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui