Recursos/White Papers

Tecnologia

Por que a Microsoft quer ajudar os desenvolvedores a criar bots

As conversas são multiplataforma e móveis, mesmo que o Windows 10 Mobile não chegue a ser um vencedor

Blair Hanley Frank, IDG News Service

Publicada em 18 de abril de 2016 às 08h15

O CEO da Microsoft, Satya Nadella está empurrando os desenvolvedores para criar assistentes virtuais e chatbots inteligentes para ajudar os usuários a fazer tudo, desde gerenciamento de seus calendários de reserva reservas de hotel.

Para isso, a Microsoft publicou um novo Bot Framework, que torna mais fácil construir chatbots usando C # ou Node.js. Trabalhando com as ferramentas não é tão fácil que qualquer pessoa possa fazê-lo, mas elas podem ajudar a reduzir algumas das dificuldades de conversar com um computador.

Foi um dos principais anúncios de Nadella na conferência para desenvolvedores da Microsoft. Também durante a conferência, o Engenheiro de Desenvolvimento de Pesquisa Microsoft sênior Dan Driscoll revelou um ponto interessante a favor da criação bots inteligentes como uma interface para serviços: os bots permitem que os desenvolvedores atendam os usuários onde eles estão sem ter que se preocupar com a plataforma que essas pessoas estejam usando.

Isso é particularmente notável para a Microsoft porque ela não yem properado no mercado de telefonia móvel. À medida que mais computação se move em direção às plataformas iOS e Android, a empresa precisa de uma forma para permanecer relevante na vida dos usuários.

Se a Microsoft pode ser uma das empresas poderosa na geração de robôs inteligentes, pode ter mais desenvolvedores usando seus serviços de nuvem, e se manter relevante com o que poderia ser o futuro da computação.

Derrick Connell, vice-presidente corporativo do Bing, prevê um futuro com toneladas de bots para diferentes aplicações. Na sua opinião, as empresas vão querer bots para ampliar o acesso dos clientes aos seus produtos e serviços. Afinal, não há melhor momento para anunciar reservas de hotel do que quando as pessoas estão pensando em reservar um quarto.

Olhando para o futuro, os usuários de computador podem enfrentar um dilema interessante, onde haverá muitos bots para lidar com a mesma consulta. Afinal, se alguém está discutindo uma viagem a San Francisco, poderia haver bots de dúzias de hotéis, bots  de empresas aéreas, e bots de restaurantes, todos competindo pela atenção daquela pessoa.

Por isso, na visão da Microsoft, os usuários terão que contar com sistemas inteligentes capazes de moderar estes bots e filtrar aqueles que realmente satisfaçam as suas preferências. Se a Microsoft pode estar na vanguarda deste cenário com a Cortana, pode estar em uma posição valiosa.

O contra-exemplo para um assistente inteligente intermediar a transação dos bots é o estado atual da publicidade online. Teoricamente, os anúncios devem ser relevantes para os usuários enquanto navegam na Web, mas isso raramente é o que acontece.

Neste momento, ainda estamos no início do que poderia ser uma revolução dos bots. O que continua a ser discutido é se eles vão realmente pegar.



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui