Recursos/White Papers

Tecnologia

Seria mas fácil se o CFO fosse um tecnólogo

Analytics e Big Data estão transformando os cargos nas empresas, incluindo o de diretor financeiro, que cada vez mais precisa entender como a tecnologia pode ajudá-lo a fazer o seu trabalho

Da Redação, com IDG News Service

Publicada em 23 de maio de 2014 às 13h47

A tecnologia atual, particularmente Big Data e Analytics, está modificando os papéis executivos em empresas de todos os segmentos. O CIO precisa encontrar novas maneiras de ser um parceiro estratégico para o negócio. O CMO é constantemente confrontado com decisões sobre tecnologia capazes de tornar o marketing mais baseada em dados e, por isso, mais eficiente. Mesmo o CFO não está imune.

“O CFO não tem que ser um tecnólogo, mas tem que entender como o poder da tecnologia pode ajudá-lo a fazer o seu trabalho”, disse Nicole Anasenes, CFO da especialista em soluções de software empresarial Infor, durante o Bloomberg CFO Summit. 

“As pressões sobre o CFO não mudaram muito. O que mudou é que, agora, eles precisam reagir com maior velocidade e flexibilidade”.

No mundo empresarial, diz Anasenes, o CFO está focado na redução de custos e no “time to value”  – tudo feito de uma forma segura. A tecnologia, particularmente a computação em nuvem e o Analytics, é a chave para melhorar nessas áreas.

Mike Olson, diretor de operações da Cloudera, especialista em Hadoop, concorda com Anasenes. Na opinião dele, para manter a eficácia no mundo de hoje o CFO deve procurar fortalecer as relações em toda a empresa. “O CIO é um aliado-chave na reflexão sobre esses novos recursos”, diz.

Olson prevê que os dados se tornarão um ativo no balanço, desafiando os CFOs.

“Os dados vão conduzir a novos negócios. Como valorizá-los com precisão? Não acho que saibamos a resposta para essa pergunta, ainda. Mas acredito que temos alguns exemplos dessa valorização. Os dados sobre os clientes criam oportunidades para o negócio.  O que sabemos sobre os nossos clientes? Como podemos expandir as nossas informações sobre os nossos clientes? Como podemos rentabilizar os dados? Essa monetização equivale realmente a uma valorização dos dados”.

Anasenes diz não estar pronta para adicionar os dados como um item no balanço. Mas concorda que as empresas estão se diferenciando cada vez mais com base na importância dada à análise de seus dados. As organizações mais capazes de coletar e analisar informação extraída de dados, em tempo real, terão uma vantagem competitiva sobre as suas rivais.



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui