Recursos/White Papers

Opinião

Blockchain: nova fronteira tecnológica que viagens terão que atravessar

Tecnologia proporcionará novas experiências nos momentos da reserva, embarque, check-in etc

Paulo Rezende *

Publicada em 10 de março de 2018 às 08h03

Poucos setores da economia mundial trabalham com tantas informações pessoais quanto o das viagens. Fornecedores de toda a indústria gerenciam bilhões de dados de passageiros, o que é um risco e uma oportunidade ao mesmo tempo. E uma nova tecnologia está chegando para dirimir os riscos e aumentar o potencial de lucro no setor: o Blockchain.

Os cientistas de dados sabem que a qualidade e a segurança das informações são temas sensíveis e que podem levar à ruína ou ao lucro de uma empresa. O Blockchain ataca justamente as fraudes. Essa nova tecnologia pressupõe que uma informação adicionada a um banco de dados só possa entrar se for chancelada por todos os players envolvidos. Ou seja: exige-se consenso e, uma vez inserida na base de dados, a informação não pode jamais ser retirada. O registro, “purificado” pela chancela de 100% dos avalistas, ficará ali para sempre.

E qual é a mudança que isso pode causar na indústria? A informação de um passageiro é única. Se ela estiver validada em uma base de dados confiável e centralizada, pode abreviar ou até mesmo retirar a necessidade de tantas identificações durante uma viagem. Será uma nova experiência nos momentos da reserva, embarque, check-in etc. Para as agências, um dos principais pilares de modificação que o Blockchain trará será nos pagamentos de viagens, principalmente as internacionais.

viagem

Em um setor tão sensível a fraudes e com grande complexidade para o estabelecimento do fluxo de recursos — especialmente quando há vários países envolvidos —, a agilidade e a transparência das formas de pagamento serão importantes facilitadores que ajudarão a reduzir custos e aumentar as vendas.

Para a nossa indústria, o desafio dessas novas tecnologias é amplificá-las para que elas estejam disponíveis para a maior quantidade de profissionais, não ficando restritas apenas àquelas empresas com forte poderio econômico. É fundamental que as companhias trabalhem em conjunto para que o Blockchain seja uma tecnologia democratizada, utilizável por agências pequenas a grandes OTAs.

A Amadeus desenvolveu um estudo muito interessante sobre o impacto positivo que o Blockchain pode ter na indústria, e também produziu um vídeo para explicar melhor o que essa tecnologia pode significar em facilidade e transparência. 

 

 

(*) Paulo Rezende é country manager Brazil da Amadeus



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui