Recursos/White Papers

Opinião

É preciso desmitificar o Self-service BI

A ideia então é unir o melhor dos dois mundos: a expertise da TI no desenvolvimento e gerenciamento do BI e o entendimento do negócio por parte dos usuários para que tenham liberdade de escolha

Sávio Braga *

Publicada em 09 de janeiro de 2018 às 18h37

Há alguns anos, quando um colega da área de Tecnologia lia que o Business Intelligence era self-service, dava risada e dizia que isso era algo impossível. Passado o tempo, há ainda quem continue rindo e acredite que o Self-service BI é uma utopia.

O conceito de Business Intelligence, cunhado pelo Gartner nos anos 90, já trazia em sua essência o self-service. Não à toa, conforme o próprio Gartner assegura, este BI fracassou, uma vez que não cumpriu suas promessas.

Boa parte do ceticismo sobre o Self-service BI se dá pelo histórico do BI tradicional, que realmente não permite sua implementação, mas também por alguns mitos criados sobre o assunto e uma interpretação errada do conceito self-service.

A melhor forma de compreender este conceito e desmitificá-lo é utilizar uma analogia, tendo como elemento o já tão famoso e popular restaurante self-service. Isso mesmo. Vamos à analogia: no restaurante, os alimentos são previamente preparados e dispostos em uma ordem lógica. Em geral, há pequenas placas identificando cada prato, facilitando o entendimento do usuário _ ou freguês.

Perceba que há todo um trabalho prévio para organização do buffet. Este trabalho, feito pela cozinha e organização do restaurante, não é (e nem deve ser) delegado ao freguês.

Logo, quando falamos em Self-service BI, não afirmamos que o usuário precisa buscar as informações nas fontes de dados, consolidar fontes distintas, criar modelos que integre tais informações e até desenvolver seus painéis para, enfim, poder analisar. A ideia é que o usuário possa facilmente, de maneira clara e organizada, se servir de gráficos, dimensões e medidas, elaborar seus próprios painéis com liberdade e autonomia, em um ambiente seguro e com governança.

selfserviceBI

O trabalho da TI continua sendo imprescindível na construção do ambiente analítico e na condução da governança, principalmente em tempos de Big Data e Internet das Coisas.

Complementando a analogia, podemos afirmar que a extração, construção de modelos, criação dos metadados e organização das aplicações analíticas são de responsabilidade dos profissionais de TI, tanto quanto a elaboração e identificação dos pratos e a organização do buffet são deresponsabilidade dos chefs e da gerência do restaurante. No entanto, a criação ou alteração de painéis coletando dimensões e as medidas disponíveis podem ser de responsabilidade do usuário, quanto a elaboração do prato final é uma responsabilidade do freguês.

A ideia então é unir o melhor dos dois mundos: a expertise da TI no desenvolvimento e gerenciamento do BI (na analogia, o preparo dos alimentos e organização do buffet) e o entendimento do negócio por parte dos usuários para que tenham liberdade de escolha, (na analogia, a possibilidade de usar de forma livre pratos e temperos na quantidade desejada), potencializando análises, desafogando a TI e tendo sempre o objetivo maior de retornar valor às corporações de forma rápida e duradoura.

 

(*) Sávio Braga é gerente regional de contas Norte e Nordeste na Toccato



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui