Recursos/White Papers

Opinião

A cultura das empresas e os software com propósito

Softwares customizados, que possibilitam a inserção da cultura organizacional ajudam a reforçar esse processo de identificação com os colaboradores

Samir Iásbeck *

Publicada em 07 de janeiro de 2018 às 21h15

Domingo a noite. Aquela famosa música do Fantástico e já bate uma tristeza: encarar mais uma longa semana de trabalho.

Isso acontece com maioria das pessoas e revela muito sobre como elas têm encarado as empresas onde trabalham.

O propósito de uma instituição vai muito além do produto ou serviço que é oferecido. Está na alma da organização. É o motivo pelo qual a empresa existe, como ela contribui para o mundo. Além disso, o propósito demonstra muito sobre como a instituição se importa com seus colaboradores e os motiva.

Apesar de toda filosofia que este conceito carrega em si, é extremamente prático exercitar o propósito organizacional. Lembra da "síndrome do Fantástico"? Uma empresa com propósito não pode deixar que isso aconteça.

Uma boa forma de alinhar o propósito da organização com os de cada membro da equipe é conhecê-los, saber como eles veem a empresa e como acham que contribuem para ela. Desta forma, é como se a instituição "falasse" com seu colaborador: "Você é peça importante na condução do meu propósito."

Além disso, é fundamental perceber os hábitos de cada um. Os Millennials, por exemplo, são multitarefas e super ligados nas novas tecnologias. E aí está uma excelente oportunidade de alinhar os recursos da empresa com o que o colaborador mais gosta e usa.

Quem se liga no propósito? 
Pode parecer estranho, mas atualmente, alguns profissionais, principalmente os pertencentes da Geração Millennial, escolhem as empresas que irão trabalhar (e não são escolhidos, como era antigamente). Muitos desses jovens levam em consideração, principalmente, o propósito e a cultura organizacional da empresa.

Esses profissionais, nascidos a partir da década de 1980, romperam com alguns valores defendidos até então. Eles buscam empresas que possuem seus objetivos baseados na inovação, na flexibilidade interna e na valorização dos seus colaboradores. Além disso, suas peculiaridades são notáveis: são multitarefas, criativos, inovadores, acreditam no próprio potencial e têm sede de conhecimento.

softwarecultura

Uma ideia disruptiva
Software customizados, que possibilitam a inserção da cultura organizacional ajudam a reforçar esse processo de identificação com os colaboradores.

Já imaginou usar esses métodos na área de treinamento, por exemplo? Nada daquelas aulas expositivas intermináveis, ou apostilas quilométricas. É possível colocar as informações da organização que o colaborador precisa no seu dia a dia de trabalho em um aplicativo e criar formas mais interativas e efetivas de comunicação.

E a vantagem da customização está em poder inserir no software aquilo que mais se assemelha e agrada a equipe. Desenvolver, por exemplo, funcionalidades que só a empresa terá que facilitarão, e muito, a vida do colaborador. É a organização mostrando que se importa com seus membros.

Todas aquelas ideias filosóficas sobre propósito se materializam em estratégias como essas. Inserir a cultura da empresa em todas as ações desenvolvidas (e esse é o futuro inevitável das organizações), como em softwares customizados, em que se pode planejar todas as funcionalidades, colocar as características da empresa em cada detalhe e, principalmente, entender quais são as formas de deixar os colaboradores da sua empresa engajados e motivados.

Ter uma plataforma customizada e sustentável (passível de ser alterada de acordo com as necessidades dos usuários) e mobile, é um convite para os profissionais da Geração Millennial cobiçarem uma vaga na sua empresa.

 

(*) Samir Iásbeck é CEO e Fundador do Qranio



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui