Recursos/White Papers

Opinião

Três erros muito comuns ao adotar Lean

Saiba como evitá-los

Cesar Gon e Aminadab Nunes *

Publicada em 06 de maio de 2017 às 00h00

Executivos devem apostar no Lean para transformarem digitalmente seus negócios. Entretanto, alguns erros são recorrentes entre as empresas que adotam a metodologia, o que pode comprometer os resultados.

Descubra quais são os três erros mais comuns e saiba como evitá-los.

1. Promover a mudança cultural de forma isolada
Para que a mudança cultural aconteça de forma estruturada e, consequentemente, gere uma real transformação, a adoção do Lean deve envolver toda a estrutura hierárquica e não só áreas e equipes específicas. 

Por exemplo, a implantação dos princípios de forma isolada na produção não será eficaz se não houver o envolvimento e comprometimento de todas as lideranças e demais envolvidos na cadeia de valor.

A construção de novos valores e de uma nova cultura dentro de uma organização depende do compromisso da liderança. São eles os responsáveis pelo engajamento e que exercem o papel de educadores das suas equipes. Essa aproximação determina exemplos a serem seguidos e aumenta o índice de adesão à mudança.

lean

2. Tentar aplicar fórmulas “prontas” de outras empresas
Quando o assunto é Lean, a principal referência é a Toyota. Porém, isso não significa que adotar as mesmas práticas da Toyota ou de outras empresas seja  o caminho. Nem sempre os princípios que funcionam bem em outras organizações terão o mesmo sucesso em sua empresa.

Antes de implementar na íntegra os princípios inspiradas em outros cases de sucesso, é preciso ter uma visão crítica para avaliar o que se aplica ao seu contexto e objetivos de negócio. Além de aplicar a engenharia de valor para validar o que deve ser priorizado em sua empresa.

3. Buscar a mudança de cultura sem mudar comportamentos
Incorporar as ferramentas do Lean por si só não impulsiona a transformação. O foco principal deve ser implantar uma cultura consistente, na qual predomina a busca pela melhoria e aprendizado contínuos.

Outra falha comum é tentar forçar a mudança cultural ditando valores prontos, sem construí-los através de experiências. No Lean, o processo é inverso: primeiro, deve-se criar experiências para incitar a mudança de comportamento e, então, influenciar a forma de pensar e valores que construirão uma nova cultura.

A mudança de cultura promovida pelo Lean é e deve ser gradativa. Em cada uma das etapas, é fundamental garantir que as equipes estejam confortáveis com o novo modelo, o que será determinante para que a adesão aconteça de forma natural.

 

(*)  Cesar Gon é CEO e Aminadab Nunes é vice-presidente de operações e pessoas da CI&T



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui