Recursos/White Papers

Opinião

É hora de fazer o checkup das suas soluções corporativas

Identificar os sinais de software e sistemas ultrapassados logo no começo pode ser a oportunidade perfeita para fazer um upgrade e se manter competitivo

Lisandro Sciutto *

Publicada em 06 de janeiro de 2017 às 07h15

As tendências de digitalização estão chegando com força no setor corporativo, tanto que, de acordo com um levantamento feito pela Siemens, em parceria com a Fundação Dom Cabral, cerca de 85% dos CEOs, CIOs e especialistas em tecnologia acreditam que a digitalização aplicada à indústria, energia e infraestrutura pode aumentar a competitividade do Brasil. Para se preparar para isso, as empresas devem olhar para os seus softwares e identificar se, de fato, eles acompanham as necessidades operacionais.

Parece simples identificar problemas em sistemas legados que potencialmente geram uma bola de neve de erros, resultando em pedidos atrasados, inventário incompleto, cotações de backup, pilhas de papelada e uma equipe frustrada e confusa. No entanto, esses sinais podem ser sutis e correm o risco de ser confundidos com falhas pontuais e isoladas.

Abaixo, veja alguns sinais de alerta iniciais que podem indicar que suas operações já superaram seus sistemas:

Aumento de erros: erros podem variar de falhas no faturamento à comunicação sobre mudanças de design de última hora, por exemplo. Eles geralmente se manifestam em inventário incompleto ou estoques cheios de matéria prima. Erros de envio também parecem escalar quando os sistemas estão sobrecarregados. Como consequência, a entrega pode chegar ao consumidor final com pedidos incompletos ou itens errados.

Inatividade frequente e inesperada: quando trabalhadores são pressionados e lidam com alto volume de trabalho no chão de fábrica, os primeiros cortes são em manutenção preventiva. Afinal, quem tem tempo para pegar uma máquina off-line e fazer uma verificação de calibragem, reposição de peças gastas e cuidados preventivos recomendados? No entanto, equipamentos que não estão operando com desempenho máximo se misturam a problemas de produção já existentes.

Não atender aos padrões da indústria: quando clientes, fornecedores, colegas de indústria geram expectativas sobre o trabalho da sua empresa, eles esperam recursos modernos, como portais online para pedidos, ferramentas de cotação e configuração, visibilidade do status da ordem de serviço, ferramentas de colaboração em tempo real e projeções precisas de capacidade. Você está cumprindo com suas tarefas e tornando mais fácil fazer negócios com você? Ou está ouvindo reclamações sobre seus sistemas e quão pesado eles são?

checkup

Falta de visibilidade da cadeia de valor: a falta ou atraso na chegada de materiais pode gerar atrasos nos pedidos do consumidor final - e essa falta de visibilidade não permite enxergar alguns processos, como: saber o status da ordem de serviço dos pedidos enviados, rastrear a localização, principalmente quando a empresa lida com diversos fornecedores. Ao perder essa visibilidade e não ter controle o risco de atrasos podem gerar prejuízos

Incerteza em relação aos limites: para indústrias que lidam com uma grande demanda de pedidos make-to-order (MTO) e engineer-to-order (ETO), é fácil perder de vista o custo total de um projeto para que você possa licitar e faturar com precisão. As causas são, muitas vezes, as mudanças de emergência e de pedidos de última hora. A equipe torna-se tão focada em atender a solicitação do cliente que negligencia o registro de novos materiais, peças ou mão-de-obra alocada para o trabalho. Analise se um cliente altamente exigente é mesmo rentável.

Sobrecarga de dados sem insights: com o crescente uso de sensores inteligentes, os dados gerados a partir de produtos, veículos e máquinas se multiplicam exponencialmente. Por isso, transformar as informações vindas de máquinas, clientes e parceiros da supply chain em insights valiosos é desafiador. Porém, soluções com capacidades de ciência de dados podem ajudar a contornar essa dificuldade, pois fornecem um local para armazená-los e ferramentas para análise.

Incapacidade de se conectar a redes: um sistema rígido que requer contato com o provedor em caso de necessidade de expansão ou comunicação com parceiros, a falta de capacidade de adaptação e adição de aplicações de forma simples e ignorar uma atualização de sistema para evitar a revisão de cada alteração (para se certificar de que está tudo funcionando com os novos recursos do update) levam à desaceleração da eficiência da empresa. A companhia precisa contornar esses problemas de arquitetura para garantir bom funcionamento das operações.

A organização que sofre de um ou mais desses sintomas precisa considerar investir em uma nova solução, ou fazer o upgrade da atual tecnologia, para se manter competitivo. Se a companhia não está operando com 100% de desempenho, as pressões do mercado enfatizam ainda mais os gargalos de sistemas desatualizados, fazendo com que a empresa fique para trás e incapaz de competir num cenário em rápida mudança. Estes sinais de alerta em fase inicial precisam ser abordados o quanto antes.

 

 

(*) Lisandro Sciutto é diretor de Produtos da Infor LATAM


Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui