Publicidade

A central de whitepapers de tecnologia do CIO

Opinião

TI, logística e economia de recursos

Hoje a logística tem um significado simples para as empresas: economia. O valor dessa economia irá depender da aplicação e de quão eficiente é a solução.

Giovane Cesar *

Publicada em 05 de março de 2012 às 06h56

A Tecnologia da Informação rompeu barreiras e hoje é largamente utilizada para otimizar, facilitar e modernizar processos nas mais diversas áreas de atuação. Umas das áreas que tem sido beneficiada é a de logística. Com a TI, é possível reduzir os atrasos e falhas humanas nos processos logísticos.

O primeiro caso de otimização de logística vem da Segunda Guerra Mundial, quando os alemães planejavam o movimento de suas tropas para serem mais efetivos em combate. Casos mais usuais de aplicação de otimização são de definição de rotas e paradas, a ideia é escolher o melhor caminho a passar e qual ordem as paradas devem ser feitas. No dia a dia vemos a otimização da logística, muitas vezes sem perceber. O Google Maps utiliza a otimização para traçar suas rotas.

Uma outra aplicação bastante utilizada é o planejamento de escala, por exemplo, para decidir qual equipe de tripulação vai atender cada voo numa companhia aérea, minimizando horas extras e respeitando os limites legais. No caso de logística de trens, o sistema possibilita um melhor planejamento das linhas e minimiza os atrasos. O despacho é um dos casos mais importantes, pois pode representar uma diferença grande na entrega da carga, chegando a um dia para trechos maiores.

Mais recentemente, o setor bancário também passou a se beneficiar da otimização da logística, por meio de um melhor controle de valores. Uma solução em TI possibilita a comunicação segura de dados, armazenamento e otimização das decisões. Dessa forma, as agências bancárias podem ter o mínimo possível de estoque de numerário, sem que isso signifique gastos altos com logística para recolher e trazer o dinheiro diariamente.

Menos comum, mas também importante, é o planejamento de frota e metas, estes podem também representar uma economia e eficiência operacional bastante significativa.

A otimização de logística é um processo dividido em três partes: modelagem, implementação e implantação.

A modelagem é a fase em que, geralmente, um matemático entende o processo a ser otimizado e desenvolve um conjunto de expressões e fórmulas que o representa.

A implementação é a fase onde o modelo matemático algébrico é levado ao computador. Nessa fase são feitos vários experimentos que confrontam o modelo com a realidade em busca de falhas e também desenvolvem-se algoritmos a fim de diminuir o tempo necessário para apresentar uma solução.

Finalmente, a implantação é feita. Nesse momento a implementação anterior é integrada ao sistema da empresa, conectando-o aos usuários e às bases de dados.

Hoje a logística tem um significado simples para as empresas: economia. O valor dessa economia irá depender da aplicação e de quão eficiente é a solução. Em alguns casos, isso pode significar milhões.

(*) Giovane Cesar é gerente consultor sênior de otimização da eWave do Brasil e já realizou diversos trabalhos na área de logística em empresas como Itaú e ALL.



Reportagens mais lidas
Brand Post
Zero Distance