Recursos/White Papers

Notícias

Mercado está mais confiante na recuperação dos empregos, revela Robert Half

A rotatividade entre os profissionais de TI continua alta. Mas o numero de vagas apresenta leve recuperação

Da Redação

Publicada em 23 de novembro de 2017 às 12h36

O mercado de trabalho dos profissionais qualificados permanentes apresentou saldo negativo de 18.957 empregos no 3º trimestre de 2017, porém inferior ao saldo negativo do 2º trimestre de 2017 (-23.076 postos de trabalho). Mas a chegada do fim do ano e as expectativas em torno de um 2018 mais positivo reforçam o otimismo com relação à economia e ao mercado de trabalho, segundo o Índice de Confiança (ICRH) da consultoria Robert Half para o terceiro o período.

A sondagem do mercado de trabalho dos profissionais qualificados – aqueles com 25 anos ou mais e com formação superior –, realizada no mês de outubro de 2017, revelou que os três grupos de entrevistados (empregados, desempregados e recrutadores) seguem pessimistas com a situação corrente da economia e do mercado trabalho, ainda que em menor grau comparado com o 2º trimestre de 2017. Porém, com relação à expectativa para os próximos 6 meses, começam a demonstrar otimismo.

indice

O Índice de Confiança (ICRH) consolidado das três categorias, que revelou pessimismo no curto prazo, se manteve no 3º trimestre de 2017, registrando 26,5 pontos, e adentrou o território do otimismo com relação aos próximos 6 meses, ficando em 51,0 pontos.

A taxa de desemprego dos profissionais qualificados, pessoas com 25 anos de idade ou mais e com formação superior, ficou em 5,4% no 3º trimestre de 2017, ficando 7,0 p.p., abaixo da taxa de desemprego geral da economia. Comparada com o mesmo período do ano anterior, a taxa de desemprego elevou-se em 0,2 p.p., e contra o trimestre imediatamente anterior, a taxa recuou 0,5 p.p.  

TI em alta
O mercado de trabalho de profissionais qualificados permanentes segue afetado pela baixa atividade econômica, devido à letargia de criação de postos de trabalho para essa categoria de profissionais. Contudo, essa deterioração tem acontecido de maneira cada vez mais branda, o que sugere a interrupção deste processo no curto prazo e a inversão no médio e longo prazo.

A pesquisa foi conduzida  entre 9 e 25 de outubro/2017, contando com 387 respondentes para cada uma das três categorias (Empregados permanentes, Desempregados e Recrutadores), distribuídos regionalmente e proporcionalmente pelo Brasil, de acordo com os dados do mercado de trabalho coletados na PNAD. A margem de erro é de 5%, com intervalo de confiança de 95%.

A rotatividade entre os profissionais de TI continua alta. Mas o numero de vagas apresenta leve recuperação para as  atividades de Programadores de Sistemas de Informação e Administradores de Banco de Dados. 

roberthalf

Por região
Na comparação trimestral, avaliando as admissões, todas as regiões apresentaram aumento de contratações. Porém, no que tange os desligamentos, 3 regiões aumentaram o número de demissões na passagem do trimestre: Sul (-6.600 empregos), Nordeste (-392 empregos), CentroOeste (-165 empregos). Já a região Sudeste e Norte reduziram o número de demissões em 323 e 48 postos de trabalho, respectivamente, entre os trimestres. Em relação ao saldo líquido de empregos, a região sul foi a única que piorou o seu resultado na passagem para o 3º trimestre de 2017, já as outras regiões apresentaram redução do saldo negativo.

Conselhos
Após o bom resultado da economia no 1º semestre de 2017 e a continuidade da recuperação econômica no 3º trimestre do ano, o mercado de trabalho segue apresentando sinais de melhora. 

O avanço do otimismo dos recrutadores pode indicar projetos saindo da gaveta e a necessidade de novas contratações. Para os empregados, no mesmo sentido, a evolução do índice de confiança indica a percepção de uma retomada, que pode significar novos desafios e oportunidades.

mercadodetrabalho

Aos que pretendem contratar para reforçar a equipe já no início de 2018, a Robert Half recomenda começar o processo de recrutamento desde já. "O planejamento não só facilita a busca pelo candidato ideal como também permite às empresas já trabalharem em prol de resultados desde o início do ano", explica o relatório. "Não deixe que os 12 meses que você tem para cumprir as metas se transformem em 10 por conta da falta de pessoas chave na equipe", completa.

Isso porque, ao que tudo indica, no curto prazo os bons profissionais devem estar menos disponíveis. Além disso, a inflação salarial, que pode acontecer em cenários assim, ainda não foi sentida, mas essa onda de otimismo pode, em breve, afetar o salário de entrada desses profissionais. 

A consultoria recomenda também que as empresas olhem para dentro de casa e analisem quem são seus profissionais-chave em sua estrutura e na linha de sucessão. "É o momento de alinhar as perspectivas de carreira do curto e médio prazo e focar na retenção desses profissionais. Lembre-se: com a indicação de aumento da competição por talentos, o risco desses profissionais serem abordados de maneira mais agressiva pelo mercado aumenta", diz o relatório.  

 



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui