Recursos/White Papers

Notícias

Colaboração entre NetOps e DevOps é essencial para o mundo multinuvem

Pesquisa da F5 Networks revela objetivos mais amplos entre os operadores de rede e os desenvolveodres na hora de equilibrar flexibilidade, controle e automação ao escalar capacidades de TI

Da Redação

Publicada em 13 de setembro de 2017 às 09h40

A vontade dos NetOps (operadores de rede) e dos DevOps (desenvolvedores de software) de equilibrar flexibilidade, controle e automação ao escalar capacidades de TI é o que possibilitará a criação de um ambiente multinuvem muito mais adequado para as empresas. Ess a é uma das principais conclusões de uma pesquisa recente da F5 Networks com 850 profissionais dos dois grupos.

Até aqui, reunir NetOps e DevOps e fazer com que eles dialogassem sempre foi um grande desafio para as empresas. “A boa notícia da pesquisa da F5 é a constatação de que eles estão amplamente alinhados em prioridades, com interesses convergentes em torno do pipeline de produção de TI e das capacidades de automação”, ressalta Ben Gibson, Vice-presidente executivo e Chief Marketing Officer da F5.

Segundo o pessoal da F5, a pesquisa que revelou que tanto o pessoal de rede quanto o de desenvolvimento demonstram ter uma compreensão comum dos objetivos mais amplos; além disso, os dois grupos acreditam que a outra função está priorizando a coisa certa para entregar ao cliente o ambiente multinuvem ideal.

“Todavia, vale afirmar que, enquanto os DevOps buscam mais acesso aberto ao pipeline de implementação para impulsionar a velocidade de inovação, os NetOps podem ser muito mais cautelosos no tocante às permissões — presumivelmente porque são eles que carregam a responsabilidade em caso de comprometimento de segurança, disponibilidade ou desempenho”, completa Gibson.

Outro ponto comum detecatado pela pesquisa é o interesse em introduzir tecnologias e métodos emergentes referentes a automação e autosserviço no pipeline de produção de TI. “Acreditamos que isso pode estar ligado à rápida adoção de soluções baseadas na nuvem e à flexibilidade que elas fornecem”, especula Gibson.

devopos

Principais Descobertas da Pesquisa

· Diferenças impulsionando implementações multinuvem – A maioria dos DevOps (65%) admitiu ser “muito” ou “um pouco” influenciada no sentido de adotar soluções de nuvem com capacidades de automação/autosserviço. Com relação a isso, uma parcela significante dos NetOps (44%) indicou que o uso de tecnologias de nuvem externas pelos DevOps afeta “um pouco” seu desejo de prover acesso ao pipeline (recursos de produção de TI), com 21% adicionais declarando que isso os influencia “muito”. Um resultado disso é o uso de múltiplas soluções de nuvem e provedores em toda a área de TI, complicando ainda mais o processo de entrega, implementação e escalação de aplicações que suportam esforços de transformação digital.

· Dissonância em torno do acesso ao pipeline – A enquete revelou uma diferença de opinião quanto ao nível ideal de acesso compartilhado a recursos de produção (pipeline). 45% dos DevOps acreditam que deveriam ter acesso a, no mínimo, 75% do pipeline de produção, com significantemente menos (31%) dos NetOps entrevistados atribuindo o mesmo grau de importância ao acesso dos DevOps, sugerindo uma parcial desconexão em torno de expectativas e melhores práticas na área de TI. Esse desalinhamento pode dificultar os esforços de aprimoramento de processos e entrega de aplicações de que o negócio necessita para ter sucesso em uma economia digital.

· NetOps e DevOps respeitam as prioridades uns dos outros – Dentro de cada grupo, mais de 75% do pessoal de NetOps e DevOps acreditam que a outra função esteja priorizando “as coisas certas” em TI, sinalizando uma compreensão comum dos objetivos mais amplos. Além disso, os grupos estão razoavelmente alinhados quanto ao ritmo de entrega de aplicações e serviços, com a frequência das implementações satisfazendo uma significante maioria dos pessoais de DevOps (70%) e NetOps (74%).



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui

White Papers