Recursos/White Papers

Notícias

Google flexibiliza suporte da sua Cloud Plataform

A partir de abril, empresas usuárias poderão misturar e combinar níveis de suporte para cada usuário, cobrados a partir dos recursos usados

Da Redação, com IDG News Service

Publicada em 09 de março de 2017 às 09h46

Começou nesta quarta-feira, 8/8, em são Fracisco, a conferência para usuários de Google Cloud, que reúne discussões sobre nuvem pública, aplicativos e dispositivos de produtividade (Google Cloud Platform e G Suite). Até amanhã, 10/3, os principais líderes do Google farão apresentações sobre novidades e demonstrações dos produtos e perspectivas de parceiros e clientes.

Já no keynote, Diane Greene, vice-presidente sênior do Google Cloud, mandou o recado: a Google quer trabalhar para o mercado corporativo e está fazendo o seu dever de casa. Isso inclui um conjunto de parcerias e anúncios de clientes que forneceram resultados concretos para a estratégia de serviços de nuvem enriquecidos com soluções de Machine Learning E um dos principais anúncios que a empresa fez para atrair empresas de todos os tamanhos está relacionado com suporte ao cliente .

dianegreene2

A Google está revisando seus níveis de suporte para a Google Cloud Plataform, cobrando taxas fixas por usuário por mês, com base no nível de suporte que cada usuário precisa.

"O suporte faz parte da experiência geral do produto e pensamos que deve ser adaptado às suas necessidades técnicas exclusivas", comenta o Google na página do serviço.

Esqueça os pacotes tradicionais de suporte, Prata, Ouro, Platina, que ligam os custos de suporte diretamente ao uso da nuvem.

Chamado de “Engineering Support”, o novo modelo pressupõe que os clientes paguem apenas pelas funções que sua equipe precisa, pelo tempo de resposta que melhor se enquadrar ao ciclo de vida das aplicações e tanbém pelos  membros da equipe que poderão interagir com o suporte. 

Portanto, agora, as empresas podem misturar e combinar níveis de suporte para cada usuário dentro de sua organização. Isso significa que não é necessário pagar pelo suporte mais rápido se apenas um projeto precisa dele. Na prática, o objetivo é ter preços mais flexíveis e previsível para o atendimento ao cliente.

Os engenheiros que podem esperar até oito horas para uma resposta serão capazes de obter esse nível de serviço por 100 dólares por usuário/mês, aqueles que precisam de um tempo de resposta de uma hora obtêm isso por 250 dólares por usuário/mês e aqueles que precisam de um tempo de resposta de 15 minutos, 24/7, 1,5 mil dólares por usuário/mês.

Se acordo com o Google, o modelo se baseia em três princípios:

1 - Previsibilidade - taxas fixas por usuário por mês. Você deve saber no dia um que seus custos serão no dia 30.

2 - Personalizabilidade - Você deve ser capaz de configurar seus direitos de suporte para corresponder às necessidades exatas da sua empresa.

3 - Flexibilidade - Você deve ser capaz de alterar o nível de suporte de mês para mês conforme as necessidades exclusivas de seu negócio evoluem.

A oferta do serviço será progressiva, iniciando a partir de abril. E a Google planeja  mover os clientes atuais para o novo modelo ao longo do ano.

Greene também anunciou um par de parceiros que vão ajudar a levar esse suporte para mais clientes. A Pivotal vai ajudar a garantir que os clientes que usam o GCP e o Cloud Foundry criem aplicativos altamente confiáveis.já a Rackspace passa a suportar serviços gerenciados para as ofertas de serviços em nuvem do Google. Ele fornecerá aos clientes uma variedade de serviços, incluindo ajuda com migração, arquitetura em nuvem e suporte contínuo para implantações do Google Cloud.



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui