Recursos/White Papers

Notícias

Mundo tem 7 bilhões de telefones, tablets e PCs em uso, afirma Gartner

E as as remessas globais de dispositivos ficarão estáveis em 2017, na casa de 2,3 bilhões de unidades no ano, crescendo pouco em 2018

Da Redação

Publicada em 09 de janeiro de 2017 às 08h52

Nas contas do Gartner, no fim de 2016, existiam aproximadamente 7 bilhões de telefones, tablets e PCs em uso no mundo. E esse número não deve variar muito nos próximos anos. As projeções da consultoria apontam que as vendas globais combinadas de PCs, tablets, ultraportáteis e celulares ficarão estáveis em 2017, na casa de 2,3 bilhões de unidades, mesma auntidade resgistrada em 2016.

Já em 2018,  embora não espera nenhum crescimento nas vendas de dispositivos tradicionais, a consultoria prevê um pequeno aumento nas remessas de ultraportáteis e celulares.

"O mercado global de dispositivos está estagnado. As vendas de celulares só estão crescendo nas regiões emergentes da Ásia/Pacífico.
O setor de PCs está na pior fase de seu declínio", diz Ranjit Atwal, Diretor de Pesquisas do Gartner.

Assim como a queda no aumento de remessas para dispositivos tradicionais, os preços médios de vendas também estão começando a estagnar por causa da saturação do mercado e de um desenvolvimento reduzido da inovação, segundo Atwal.

"Os consumidores têm menos motivos para fazer upgrades ou comprar aparelhos tradicionais. Eles buscam experiências e aplicativos novos em categorias crescentes, como Head Mounted Displays (HMDs, modelos de display usados na cabeça), Virtual Personal Assistant (VPA, assistente pessoal virtual), alto-falantes e dispositivos vestíveis”, completa o executivo.

Segundo o Gartner, o conflitante setor de PCs se beneficiará com um ciclo de substituição no final deste período de projeções, voltando a crescer em 2018. Cada vez mais, funcionalidades e preços atrativos de ultraportáteis atrairão compradores enquanto as vendas dos PCs tradicionais continuam a cair. O segmento de celulares também será favorecido com as trocas. No entanto, há uma diferença entre os mercados consolidados e em desenvolvimento.

devoces469

"As pessoas que estão em países emergentes ainda enxergam os smartphones como seus dispositivos principais de computação e os substituem com mais frequência do que os consumidores de mercados consolidados", afirma Atwal.

Os fornecedores de dispositivos tentarão entrar gradativamente nas categorias de rápido crescimento de aparelhos emergentes. Na opinião de Atwal, isso exige uma mudança na estratégia focada em hardware para um enfoque mais rico em serviços de valor agregado. Conforme as abordagens lideradas por esse tipo de solução se tornam ainda mais cruciais, os fornecedores de hardware terão que criar parcerias com os de serviços, já que eles não têm experiência nesse tipo de oferta.

gartnerdispositivos

 

 



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui