Recursos/White Papers

Gestão

5 principais razões pelas quais os testes de software devem ser prioridade

A estratégia correta de testes de software pode permitir aumento de receita, impulsionar a inovação e evitar erros dispendiosos

Kevin Dunne *

Publicada em 11 de setembro de 2018 às 07h19

Qualquer pessoa que atue em desenvolvimento de produto sabe muito bem a importância do controle de qualidade. Mas, e aquelas que estão no nível executivo?

Os CIOs e CTOs podem ter prioridades diferentes mas, no final do dia eles, devem se preocupar com os testes de software tanto quanto todos os que atuam com o desenvolvimento das aplicações. Isso ocorre porque os testes gerenciados adequadamente – aqueles que são consistentes, reproduzíveis e ocorrem com antecedência e com frequência - podem, na verdade, acelerar o tempo de comercialização do produto e evitar softwares com bugs. Como resultado, a estratégia correta de testes de software pode permitir aumento de receita, impulsionar a inovação e evitar erros dispendiosos.

São 5 os pontos capazes de convencer CIOs e CTOs de que eles devem se preocupar com os testes:

1. Reduzir os riscos do negócio
Se sua empresa não testar novas versões de software (ou não testá-las corretamente), seus clientes o farão. E se encontrarem um problema?

Embora existam vários defensores dos testes durante o percurso, com o produto já em operação comercial, essa abordagem pode se mostrar altamente arriscada, especialmente se o software lida com qualquer tipo de dados confidenciais. 

O teste adequado do software pode reduzir riscos, diminuindo a probabilidade de o seu negócio entregar para o mercado um aplicativo com bugs que podem deixar os clientes insatisfeitos, conduzindo à perda de receita ou, pior de tudo, a graves violações de dados.

2. Medir o ROI durante o desenvolvimento
O CIO provavelmente gasta uma quantidade significativa de dinheiro em desenvolvimento. Se a empresa não atua em conjunto com o desenvolvimento e a equipes de testes, é como investir dinheiro em um projeto sem parar para ver os resultados.

Os CIOs querem garantir que se obtenha o retorno adequado de todo o dinheiro que gastam em desenvolvimento e engenharia, e a única maneira de fazer isso (sem mencionar que esta é a única maneira de se fazer entender a quem faz um bom trabalho) é testar o que cada equipe constrói. Caso contrário, o CIO simplesmente terá que aceitar a palavra dos desenvolvedores de que a equipe construiu o que deveria  e entregou o projeto completo.

3. Timelines melhoradas
Historicamente, o teste de software ocupa a última fase em um plano de desenvolvimento. Se esse for o caso, o teste tem um impacto imediato em fatores como o time-to-market, críticos para o sucesso do negócio, especialmente quando a concorrência é alta.

No entanto, se sua equipe não tiver um processo de teste bem gerenciado, que seja consistente com a automação, muita coisa pode dar errada. Por exemplo, algo tão simples quanto um testador ficar doente pode comprometer todo o cronograma de produção. Em vez disso, os CIOs devem investir para tornar os testes mais repetitivos possíveis para evitar esses tipos de atrasos imprevistos.

Levando isso um passo adiante, se sua equipe abraçar um turno para que os testes ocorram mais cedo e com mais frequência ao longo do processo de desenvolvimento, isso pode realmente ajudar a acelerar o tempo de entrada do produto no mercado, levando a uma economia de tempo ainda maior.

4. Maior eficiência
O CIO também deve se preocupar com mais do que apenas os testes em andamento. Deve se preocupar em poder contar com testadores dedicados. 

E, independentemente ter bons testadores e processos repetitivos, deve evitar que os desenvolvedores também lidem com os  testes. Essa duplicação pode parecer ideal na teoria, mas pode, na verdade, diminuir a eficiência.

Os desenvolvedores são recursos caros, cuja principal responsabilidade é escrever código.  “Escrever código” e “testar código” são tarefas que requerem uma mentalidade completamente diferente. Embora ter desenvolvedores que também possam realizar os testes seja um grande benefício, pedir a esses profissionais que mudem seu mindset regularmente pode diminuir, de fato, a eficiência. Especialmente para grandes organizações, aquelas que criam softwares em grande escala, há enormes ganhos de eficiência provenientes de testes dedicados.

teste

5. Feedback melhorados
Na mesma linha de raciocínio, investir em testadores dedicados e experientes, que podem atuar como especialistas no assunto, oferece inúmeros benefícios, criando um ciclo de feedback efetivo em tempo real. Por exemplo, esses especialistas podem fornecer comentários sobre áreas do software que podem precisar de atenção extra ou simplesmente não são viáveis, e podem fazê-lo logo no início do projeto. Esse tempo faz com que seja mais barato, em termos de tempo e dinheiro, fazer as alterações necessárias.

Por outro lado, se você não fizer nenhum teste ou tiver testes conduzidos por desenvolvedores (que normalmente não são capazes de assumir a perspectiva dos usuários finais, da mesma forma que os testadores experientes), você não terá esse feedback até que o software chegue ao mercado. E quando esse feedback chegar, fazer alterações necessárias pode custar caro justamente porque você já dedicou muito tempo e dinheiro para criar algo que, na verdade, não atende adequadamente às necessidades dos seus clientes.

Ajude o CIO a entender (e melhorar) o impacto nos negócios dos testes
De riscos e custos reduzidos até o aumento da eficiência, há inúmeros benefícios advindos da atenção e do investimento em testes. Como resultado, é importante para todos, desde a equipe de desenvolvimento de produtos até o C-Level. Toda a organização pode trabalhar em conjunto para criar um ambiente de testes bem gerenciado que tenha um impacto positivo nos resultados finais da empresa.



(*) VP de Estratégia e Desenvolvimento de Negócios da QASymphony.



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui