Recursos/White Papers

Gestão

Custo de um desenvolvedor mobile pode chegar a mais de R$ 8 mil por mês

A esmagadora maioria das empresas remunera o desenvolvedor com um salário fixo mensal

Da Redação

Publicada em 02 de fevereiro de 2018 às 11h52

Você sabe quanto custa um desenvolver mobile? Em busca dessa e de outras respostas e para descobrir mais sobre o perfil desses profissionais e as empresas onde trabalham, a Quaddro Treinamentos, centro de ensino mobile do Brasil, realizou uma pesquisa com 169 desenvolvedores de apps.

Uma das descobertas foi sobre o salário. O levantamento concluiu que não existe uma polarização. Enquanto 22% ganham mais de R$ 8 mil por mês, praticamente a mesma porcentagem (21%) tem salário entre R$ 2 e R$ 3 mil. Outros 17% dos desenvolvedores recebem salário menor de R$ 2 mil.

A esmagadora maioria das empresas remunera o desenvolvedor com um salário fixo mensal (76%), 10% recebem por hora trabalhada, 9% por entrega de projeto e 5% recebem de acordo com a receita obtida com o app.

O número de profissionais de desenvolvimento mobile nas organizações ainda é pequeno. Na maioria das empresas, o profissional é o único que trabalha na área, representando 32% dos entrevistados, 27% dividem o trabalho com mais um, dois ou três profissionais mobile e 18% trabalham com de quatro a seis colegas. Em contrapartida, 11% dos entrevistados atuam em uma empresa com mais de 20 desenvolvedores mobile.

Ainda de acordo com o levantamento, 43% dos desenvolvedores têm mais de 31 anos, o que contradiz o mito de que esse é um mercado exclusivo para os mais jovens.

Um quarto dos entrevistados possui um negócio próprio e essa parece ser uma tendência no setor, já que 81% dos entrevistados pretendem abrir uma empresa própria nos próximos anos. Mais da metade dos desenvolvedores, 55%, trabalha na área de Serviços. Em segundo lugar estão os Bancos, com 21%, e em terceiro vem a área de Educação, com 19%.

perfildevmovel

Perfil do profissional
A esmagadora maioria dos entrevistados é do sexo masculino (92%), sendo que 33% têm idade entre 31 e 40 anos, 30% estão na faixa entre 18 e 24 anos, 28% têm de 25 a 30, 8% têm entre 41 e 50 anos e os outros 2%, mais de 51 anos.

Destes profissionais, 72% trabalham no estado de São Paulo, 7% no Paraná e a mesma porcentagem, no Rio de Janeiro. A maioria (57%) já trabalhava com programação antes de partir para a área mobile.

A maioria dos desenvolvedores está há menos de um ano na área (44%). Entre um e dois anos, temos 26%; 15% têm entre três e quatro anos e 15% têm cinco anos ou mais no mercado.

Quanto à linguagem de programação, Swift ganha como a linguagem preferida de 67% dos entrevistados. Em seguida, temos: Java (46%), Objective-C (27%) e Kotlin (11%). Outras linguagens ficaram com 15%.

 

 



Reportagens mais lidas

Acesse a comunidade da CIO

LinkedIn
A partir da comunidade no LinkedIn, a CIO promove a troca de informações entre os líderes de TI. Acesse aqui